domingo, 18 de outubro de 2015

Sinal de vida - e sobre leitura para crianças

De repente me deu vontade de escrever de novo aqui no blog. Nem sei se alguém ainda passa por aqui, já que quase não tenho aparecido. Mas ultimamente tenho pensado bastante em começar a falar de livros, me envolver com leitura para crianças de uma forma um pouco mais séria do que já fiz antes. Ainda estou no campo das ideias, e também estou longe de ser especialista em literatura infantil. Mas alguns fatores recentes me despertaram essa vontade de escrever.
O primeiro foi uma visita à grande loja da Fnac, em Pinheiros, aqui em São Paulo. Um lugar que já fui muito, mas que não frequento tanto porque moro em lado extremo da cidade. Passamos por ali pra levar as crianças à livraria, programa comum nos nossos finais de semana - puxados especialmente pela Luísa, que troca qualquer programa por uma livraria.
Eis que entro na área infantil da Fnac e tomei um grande susto: a livraria está se transformando em uma grande loja de brinquedos. Boa parte das prateleiras, antes ocupadas por livros, foram sendo tomadas por brinquedos. Fiquei triste. Imagino que seja por questões comerciais, porque infelizmente o hábito de leitura no Brasil é muito baixo. Mas, ao mesmo tempo, quando minhas filhas eram menores esses espaços nas livrarias costumavam ficar abarrotados de crianças folheando livros ou ouvindo histórias dos seus pais.
O outro fator é a campanha de incentivo à leitura promovida pela fundação Itaú Social. Além de me inscrever sempre para receber os livros gratuitos em casa, porque acho essa campanha realmente incrível (e esse post não tem nenhuma característica publieditorial), participei pela segunda vez de um evento promovido pela instituição em parceria com a Fundação Maria Cecília Souto Vidigal sobre a importância da leitura para crianças. E nessas duas ocasiões saí dali pensando que quero poder contribuir, de alguma forma, para esse movimento de incentivo à leitura infantil.
Ainda não tenho ideia do que vou fazer, mas pode ser que eu volte a estar mais frequente por aqui.
Porque leitura para crianças é um tema pelo qual eu realmente me apaixonei.

Beijos

Roberta

6 comentários:

Ana Paula disse...

Tem gente que passa sim e fica super feliz em te encontrar!
Uma ideia muito interessante a sua, vou torcer para fluir.
Ainda hoje estava lendo sobre os pediatras indicarem livros, e que inclusive receberão doações da Fundação Itaú para distribuir nos consultórios.
E aí várias interrogações: e as famílias que nem acesso tem a um pediatra; ou se tiver, terá como ter um livro em mãos?
Será que temos mesmo que chegar a esse ponto da leitura ter que ser "prescrita"; será esse o retrato da leitura para nós pais? E o celular, terá influência nisso?
Também hoje li uma mãe em dúvida sobre apresentar os livros de Monteiro Lobato aos filhos por toda a polêmica que o tem envolvido.
Enfim, acho um vasto terreno a ser explorado, além de delicioso! Mesmo com meus filhos pré-adolescentes, ainda compro livro infantis. Acho que na verdade, são para mim!
Beijo!

Ártemis disse...

Acho que nunca comentei por aqui, mas acompanho seu blog há bastante tempo e adorei a ideia de você falar mais sobre literatura infantil.
bjs

Lia disse...

Oi, Rô, quanto tempo!
Dá uma olhada aqui: literaturanocolo.blogspot.com

Roberta Lippi disse...

Oi Ana Paula, sabe que ontem eu estava pensando isso: as minhas filhas estão crescendo, como vou fazer daqui a pouco para acompanhar os livros infantis? Acho que vou comprar pra mim, igual você faz! Beijos

Roberta Lippi disse...

Que bom que ainda tem gente que passa por aqui, assim me animo a continuar 😘 Beijos

Roberta Lippi disse...

Lia amada!! Que saudade! E que afinidade essa nossa de novo! Vamos trocar figurinhas!! Mas ó, você manja muito mais de literatura do que eu, fiquei até com vergonha quando vi suas resenhas :-) beijo enorme