sexta-feira, 26 de abril de 2013

Crianças e suas inseparáveis fantasias

Dona Minnie e Senhora Abelhinha


Se tem situação em que eu me divirto é quando vejo uma criança na padaria vestida de Batman, Homem Aranha,  princesa ou outra fantasia qualquer. Acho que essa é uma das grandes delícias da infância e curto junto com as meninas quando elas ficam zanzando fantasiadas por aí. Elas se sentem tão poderosas, encarnam personagens de verdade, né?
Além das fantasias, que as meninas têm algumas, ultimamente me apaixonei pelas tiaras (ops, mas a paixão não é das crianças? rsrs) . Talvez empolgada pelo livro da querida Silvana Rando, A Tiara da Clara, que conta a história de uma menina que colecionava tiaras e que de repente se encasquetou com uma tiara azul e não tirava mais da cabeça. Recentemente, quando fiz uma viagem para o exterior, trouxe uma mais fofa que a outra: tiara com antena de sapinhos, com antena de joaninhas, com orelha de gatinha e de coelho... Essas coisas me fazem ser criança um pouco também, talvez por isso eu curta tanto. As meninas têm uma coleção e se divertem horrores com essas tiaras.
Essa semana as meninas ganharam umas fantasias deliciosas da Tartar e, como elas são tipo roupa mesmo, com tecido molinho e que não pinica, as duas encasquetaram com essas fantasias de um jeito que eu morri de rir. A Rafaela, vestida de abelhinha, quer usar a roupa de manhã, de tarde e de noite e fica falando "bzzzzzz" pela casa. A Luísa, que já havia me pedido tempos atrás uma roupa da Minnie, está toda cheia de cuidados com medo de se sujar, mas também não tirou mais a fantasia. Na foto, as duas brincando pela casa enquanto eu implorava pra colocarem o pijama (atentem para a Luísa com meu sapato de salto).
Rê Lilata, me lembrei esses dias do André, que não queria tirar a roupa do Homem Aranha.
Tem coisa mais gostosa do que deixar os filhos se transportarem para o mundo da fantasia?? Não tem, né?

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Gravidez e birras

Para quem não viu, seguem os links para meus dois últimos posts lá na coluna do Mamatraca no UOL:

Eu não sinto saudade da gravidez

Tragam minha filha de volta!

Aliás, não deixem também de acompanhar por lá os textos das minhas queridas amigas e sócias Anne Rammi e Priscilla Perlatti. Delícia de ler os textos dessas duas. Toda segunda, quarta e sexta, na parte de Gravidez & Filhos.




segunda-feira, 15 de abril de 2013

Mamatraca no UOL

Das coisas que fazem nosso esforço valer a pena!! Estreia hoje no UOL Gravidez & Filhos a coluna Mamatraca.

http://mulher.uol.com.br/noticias/redacao/2013/04/15/uol-estreia-coluna-com-as-maes-do-blog-mamatraca.htm

O texto de abertura é o meu, em que falo sobre o fato de não sentir saudades da gravidez.
Muito feliz com essa conquista. Quando a gente rala mas faz tudo com amor, o resultado vem.




quarta-feira, 10 de abril de 2013

Por uma mãe


Uma mãe de um grupo que eu participo no Facebook publicou esse texto e eu achei tão lindo que resolvi compartilhar aqui. Queria saber quem foi que escreveu essa lindeza que me deixou com olhos cheios de lágrimas. 

Por uma mãe (autor desconhecido)

Ele é o nó no meu cabelo.
O esmalte descascado na minha unha,
as olheiras no meu rosto.
Ele é o brinquedo na gaveta de roupas,
o amassado nas páginas do meu livro,
o rasgado no meu caderno de anotações.
Ele é o melado no controle remoto,
o canal de televisão,
o filme no DVD.
Ele é o farelo no sofá,
As tesouras no alto.
Ele é o backup no computador,
o mouse escondido,
as cadeiras longe da janela.
Ele é a marca de mão nos móveis,
o embaçado nos vidros,
o desfiado nos tecidos.
Ele é o ventilador desligado,
a porta do banheiro fechada,
a gaveta da cômoda aberta.
Ele é o coque na minha cabeça,
o amarrotado nas roupas,
as frutas fora da fruteira,
os panos de prato amarrando os armários.
Ele é o meu shampoo cheio de água,
a espuma no chão do banheiro,
o brinquedo dentro da privada.
Ele é o interruptor nas tomadas.
Ele é o peixe no áquario,
a árvore de natal,
os "pisca-pisca" de todas as casas.
Ele é o círculo, o susto....
A primeira visão da lua no começo da noite....

O valor do trabalho, a vontade de aprender,
a minha força,
a minha fraqueza,
a minha riqueza.
Ele é o aperto no meu peito diante de uma escada,
a ausência de sono diante de uma febre.
Ele é o meu impulso, o meu reflexo, a minha velocidade.
O cheirinho no meu travesseiro,
o barulho,
a metade,
o azul.
Ele é o vazio triste no silêncio de dormir,
o meu sono leve durante a noite.
Ele é o meu ouvido aguçado enquanto durmo.
A minha pressa de levantar da cama,
a minha espera de bom dia.
Ele é o arrepio quando me chama,
a paz quando me abraça,
a emoção quando me olha.
Ele é meu cuidado, a minha fé,
o meu interesse pela vida,
a minha admiração pelas crianças,
o meu respeito pelas pessoas,
o meu amor por Deus.
É o meu ontem,
o meu hoje,
o meu amanhã.
Ele é a vontade,
a inspiração,
a poesia.
A lição, o dever.
Ele é a presença, a surpresa
a esperança.

A minha dedicação.
A minha oração.
A minha gratidão.
O meu amor mais puro e bonito.
A minha vida!