segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Prioridade para crianças de colo

Estávamos voltando de uma viagem internacional. Aeroporto internacional de Guarulhos absurdamente cheio por conta da chegada de muitos voos ao mesmo tempo. A fila começou a se formar já nos corredores logo após a saída das aeronaves. E a gente ali segurando as duas crianças depois de uma noite toda dentro do avião. Ficamos na fila um tempo, carregando crianças, carrinho, malas e sacolas, até que eu me dei conta que teria direito a prioridade por causa da Rafaela, que já estava começando a chorar impaciente.
Nesse mesmo minuto passou um funcionário do aeroporto e pediu que a gente fosse seguindo ele, atrás de uma outra mãe com criança pequena.
Puxei o marido e fomos andando com as meninas pela lateral da fila.
Até que uma vaca moça fez o comentário ao meu lado, em alto e bom som, para alguém que estava com ela:
- Eu não enxergo essa criança como prioridade - olhando e apontando com a cabeça para a Rafaela, que estava no carrinho, com 1 ano e 10 meses de idade na ocasião.
Na hora aquilo subiu o sangue, mas eu estava andando e não consegui responder, infelizmente não fui rápida suficiente pra dar uma patada na cara dela.
Depois só fiquei olhando pra trás, encarando a menina com meu olhar fuzilante que poucas pessoas conhecem.
Minha vontade era xingar muito, e falar algo bem gentil do tipo:

- Sua vaca, vai se F$¨&%$¨*$*, você não tem que enxergar nada porque não é da sua conta

Mas depois fiquei só pensando: CERTAMENTE essa sujeita mal educada não tem filhos. Porque no dia que ela tiver, ela vai entender o que significa essa prioridade. O que significa você pegar uma fila gigantesca e se locomover com duas crianças pequenas. O que significa uma criança se debatendo no carrinho porque quer sair dali.

(E ainda bem que isso aconteceu no Brasil, porque em outros países como EUA realmente não teríamos direito à prioridade por carregar bebês e crianças de colo).

34 comentários:

marta santos disse...

Que situação chata, olha aqui em Portugal os funcionários dos aeroportos logo separam as pessoas que viajam, com carrinhos de bebé, independente da idade, e verifiquei o mesmo em outros aeroportos de pelo menos mais três países europeus( França, Suiça, e Bélgica)para os quais viajei com Helena. E nunca tivemos "cara feia", de ninguém as pessoas aceitam a prioridade a grávidas, deficientes e crianças como algo natural, está inclusivé na legislação.
Fora da Europa, eu só viajei antes de ter a Helena, mas nos USA eles não dão prioridade a crianças de colo? Porquê?

Beijos em toda a família.

Lorraine disse...

que nojo isso!

tá garantido um fiho muuuuuuuuuito birrento pra essa sujeita!

nossa! um país como os EUA não ter essa visão,hein? Não me surpreende....

beijos

Roberta Lippi disse...

Não é Lorraine? Como não desejar que ela tenha um filho muuuuuito birrento e que dê muuuuito trabalho?
Beijos

De. disse...

Afe!
É o tipo de pessoa que só considera válidos os direitos que lhe favorecem. No dia que estiver grávida, vai entrar na prioridade com 4 semanas de gravidez (quando sabemos que temos plenas condições de enfrentar uma filinha).

Lorena Magalhaes disse...

Ai gente, olha eu metendo o bedelho. Não tenho filho, mas quero e não me dejem um birrento, nao, por favor!!!
Mas, eu acho que aqui tem um exagero.è um tal pagar conta no banco com crianca no colo, ir no correio , etc.
Acho que a virtude estaria no uso da prioridade com moderação.
Imagina se coloca prioridade na Disney? a fila de prioridade seria maior!!!!
Beijos

Roberta Lippi disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anne disse...

eu acho que a prioridade da qual temos a "vantagem" de usufruir é bem pouca!
só quem carrega a criançada, ainda que sejam capazes de andar, sabe a dificuldade que é! é claro que é uma necessidade especial, e deveria ser atendida como tal!
eu acho que inclusive nos aviões, os assentos das primeiras filas deveriam ser reservadas para quem tem criança pequena, para a gente conseguir minimamente descer do avião antes e não esperar os 300 passageiroas enfileirados no sufocante corredor enquanto as crianças urram impacientes, com calor, co bontade de fazer xixi, enjoadas.... ah! faça-me o favor!
depois vc me ultrapassa com suas pernas e sua * uma* mala de rodinha, mas tenha dó! criança é necessidade especial, dificuldade de locomoção e ai de quem fizer bico (eu uso a preferencial sem-pre que posso) bjo

Roberta Lippi disse...

Lorena, foi você que falou isso pra mim aquele dia no aeroporto? rsrsrs
Se não foi, não se preocupe, não vou desejar filho birrento pra você!! rsrs
Só achei uma falta de educação a pessoa falar aquilo na minha cara, sabe, como se eu estivesse sendo folgada.

Lógico que há exageros em toda parte. Existe gente folgada mesmo e isso é fato. Vide os exemplos de gente que contrata pessoas idosas pra fazer serviço de banco só porque eles vão na fila preferencial. Mas isso não exclui o direito de quem tem o direito, né?

Sobre o que você comentou, o problema é que nem sempre a gente sabe qual é a realidade do outro. Pode ser abuso sim, mas pode ser também que a pessoa não tenha com quem deixar os filhos e só quem tem criança sabe o quanto seria melhor e mais produtivo se pudesse sair de casa e fazer suas coisas sozinho, sem carregar os filhos.
A mesma coisa falam sobre as grávidas em início de gestação. Mas uma grávida de 3 ou quatro meses aparentemente pode estar super bem, mas ninguém sabe que esta é uma fase que muita gente passa mal pra caramba, tem enjôos, desmaia em lugares abafados. Não é só a questão de ter ou não a barriga aparecendo.
Minha irmã mesmo uma vez desmaiou no supermercado no início da gravidez porque caiu a pressão.
Beijos

Lorena Magalhaes disse...

Nao fui eu não. Juro!!!rsrsrs
Acho que se a prioridade existe tem que usar mesmo, vc ta certa.
E vc ta certa tambem, tem situaçoes que pode passar mal mesmo.
Nao foi minha intenção criar confusao não, so dei uma opinião divergente. Fique a vontade para retirar inclusive, não quero ninguem exaltado por minha causa.
Tomara que a lei mude e tenha direito a sentar nas primeiras filas tambem.
Um beijo querida

Roberta Lippi disse...

Imagina, Lorena,eu jamais vou retirar daqui algum comentário apenas porque é divergente do que eu penso ou escrevo. Especialmente porque você não faltou com respeito a ninguém.
Comente aqui sempre que quiser!!
É que realmente tem algumas situações que antes de ter filhos a gente avalia de um jeito e depois que nos tornamos mães a gente vê que nem tudo é como a gente imaginava. Eu mesma vivo relatando milhares de situações em que eu cuspi pra cima e depois caiu com tudo na minha testa.
Mas nem por isso acho que todas as mães estão certas em tudo o que dizem ou fazem só porque têm filhos e se acham no direito, viu?
Você é muito benvinda por aqui.
Beijos

Roberta Lippi disse...

Marta, não sei exatamente porque não existe essa prioridade nos EUA. Nesta última viagem, até senti que um policial "facilitou" porque eu estava com crianças e me deixou ir para uma fila mais vazia destinada aos americanos. Mas isto não é regra, não é um direito à prioridade, apenas uma delicadeza da pessoa para quem fui pedir informação.
É até interessante tentar levantar em quais países não existe esse direito à prioridade e quais têm, né? Seria um serviço interessante a ser prestado às mães viajantes. Qualquer dia vou lançar essa pergunta num grupo de mães internacionais e compilo os resultados.

Tatei e Nana disse...

A palavra pra isso é ignorância!!!
Estou revoltada aqui!
bjk

Dani disse...

Lembro que falava cada BARBARIDADE quando não tinha filhos, quando não usava tentáculos pra dar conta de tudo...andar com criança não é fácil, sabem disso todas as mães do mundo.

Certamente ela imaginou vc como uma folgada. Ora, poxa. Fazer uma viagem longa num avião suuuper confortável, enfrentar filas na ida, na vinda com duas crianças é coisa de gente folgada mesmo.

Olha, deveria ser considerada criança de colo criança de até uns 3 ou 4 anos de idade. Porque fácil, não é mesmo.

Ro, estou tentando até agora te imaginar com raiva. hahaha

Beijo

Cássia disse...

Olá Roberta, sempre leio o seu blog mas esse será meu primeiro comentário. Semana passada voltei de uma viagem dos EUA com 02 crianças, a menor com 02 anos. Infelizmente não havia ninguém para separar as pessoas com preferência, mas não reclamei pois foi relativamente rápido. Já i no aeroporto dos EUA, ficamos 1 hora e meia na fila e ninguém teve atendimento preferencial, achei um absurdo!! Quando você diz que a pessoa que reclamou ainda não teve filhos, concordo plenamente, só quem viaja com 02 crianças e só consegue dormir 03 horas a noite toda e ainda ficar na fila mais de 01 hora com 01 criança no colo entende a situação.
Parabéns pelo blog. Beijo

Roberta Lippi disse...

Pois é, Cássia, ainda tem essa, né. Além do desgaste da mobilização toda com as crianças, tem o nosso cansaço nosso de uma noite praticamente não dormida - no meu caso, ainda segurando uma figura de menos de dois anos que ameaçava cair da poltrona a cada 5 minutos de tanto que se mexia. Aí vem uma sujeita insinuando que você é uma folgada. Vontade de dar um soco na cara, né não?

Dani, hahaha eu fico brava sim, viu, pergunta pro meu marido e pra minha mãe hahahaha. Sai de baixo. rsrs

Raquel disse...

Acho que é uma questão de bom senso e respeito ao próximo...Não é pq não se tem filhos que não se facilita pra quem tem né? Poxa! Para mim seria muito natural priorizar as necessidades. Como já aconteceu e eu ainda não tinha a Ana. Na época parabenizamos o funcionário da Cia aérea. Anos depois fomos beneficiados na mesma situação e achamos ótimo. Na última vez reservaram os assentos da frente, inclusive.
Sinceramente? Tem gente que acha que é o tipo do comportamento de pessoas que não tem filhos, mas eu acho que é falta de educação mesmo.
Esses dias ouvimos uma história de um idiota que entrou no condominio em alta velocidade e achou ruim pq um pai tirou satisfação...sabe o que ele dise: que cada pai tem que cuidar do seu filho para não ser atropelado. Aff! que raiva!
E do jeito que ando intolerante se encontrar o tal idiota vou bater boca. rsrsrs

Vi disse...

Eu, grávida de 6 meses, numa fila prefencial de uma loja de departamentos, tive que ouvir a reclamação de uma senhora (para não chamar de velha chata) que só me viu de costas. Virei para ela e disse: além de grávida é preciso estar acima do peso para ter direito à fila prefencial? A maleta não sabia onde enfiava a cara! Bem feito!
Sou a favor da fila sim... Quando chegar a vez da pessoa, ela vai entender como ser preferencial nem sempre é sinal de vantagens, mas sim equilibrar a desvantagem!

Celi disse...

Roberta, que raiva que dá nessas horas. Imagino que você tenha ficado com vontade de pegar e falar poucas e boas para essa moça.
Mas a verdade é aquela velha história: só vivendo para saber como que acontece realmente. Fácil falar!
Sabe que estranhei muito aqui na Alemanha, já que idosos, gestantes e crianças de colo não tem prioridade. Lembro de reclamar para meu marido quando estava grávida. Olha que reclamei bastante durante a segunda e terceira gestação. Hoje já acostumei, mas sinto falta... Acho que deveria sim ser prioridade, ter pequenas regalias.
Beijos

Dani disse...

Ro, antes de ter a Helena eu viajava umas duas ou três vezes por semana e ficava irritada SIM com criança no avião e falava SIM que achava um absurdo "mãe com criança GRANDE passar na frente da gente que tá cansada e louca pra chegar em casa, não tá de férias feliz e descansando, que saco essas folgadas".
Mas né? A vida muda e ensina. Realmente carma is a bitch e agora eu tenho uma criança birrenta que me deixa desesperada nas filas hahahahaha. Parabéns a todas as mães que me odiaram, vocês conseguiram
Perdoa, Ro. Essa moça não sabe o que fala.

Dani disse...

Ah, faltou acrescentar uma coisa: nem sempre este tipo de comentário é desrespeito, falta de educação e etc.
Simplesmente, quando você não convive com crianças, você NÃO SABE que uma criança de uns dois anos, que já sabe andar, pode dar muito mais trabalho - e incomodar muito mais - que um bebê em uma fila. Era o meu caso. Eu sempre entendi a necessidade de prioridade para bebês de colo, mas ficava injuriada quando uma criança que já anda passava na minha frente. Mas era simplesmente porque eu não tinha como saber do que essas criaturinhas são capazes.
É isso, gente, não vamos massacrar a moça não!
(*fala e sai correndo da sala*)

Roberta Lippi disse...

Hahaha, Dani, para de defender a moça. Ela foi mal educada sim. Ela tem todo o direito de pensar aquilo, até por desconhecimento, mas não precisava falar nas minhas costas insinuando que eu estava sendo folgada.
Olha que eu rogo praga pro segundinho vir bem birrento, hein? hahahaha

Roberta Lippi disse...

Pior é que é exatamente isso que vc falou, Dani: as pessoas pensam que criança que já anda não dá trabalho, mal sabem ela que é mil vezes pior que um bebezinho de três ou quatro meses no colo.

Lorena Magalhaes disse...

Roberta voltei.
Olha só a ANAC quer acabar com assentos preferenciais na frente pra gestantes, idosos e deficientes.
Nem sabia que tinha....Nem a Anne, pelo comentario dela, entao acho que a maioria desconhece.
Bom, o caso é que pelo que ouvi ate o dia 5 de setembro eles estao abertos a sugestoes.

talvez valesse a pena a divulgação....
Beijos

Roberta Lippi disse...

Lorena, sabe que agora esses assentos são preferenciais mas não são mais gratuitos, vc paga a mais pra sentar na frente. É um absurdo, né?
Mas obrigada pela dica, vou lá fuçar isso!! bjs

Adriana Stock disse...

Eu conheço o olhar fuzilante!!! Pode deixar que ela entendeu o recado, Rô :)
Eu estava viajando sozinha com a Paola e o Diego para POA. Eles não são de colo, mas os funcionários da Gol me passaram para a fila prioritária. Talvez se eu estivesse acompanhada, a situação seria outra.
Nos EUA, pode não ter fila prioritária, mas em diversos casos encontrei funcionários de cias aéreas que nos davam uma mão, nos passando para a frente da fila...

Thais Bessa disse...

A resposta nem precisava ser essa, era simplesmente dizer que dane-se se ELA "não enxerga essa criança como prioridade", porque ela não é ninguém pra achar nada, a LEI acha.

Quando eu estava grávida no Brasil ouvi reclamações dezenas de vezes nas filas, olhares tortos. Uma vez eu respondi uma mulher (e parece ser sempre mulher!) curta e grossa: "pois é, querida, é lei, é meu direito e você não pode fazer nada além de engolir", hehe.

Mônica Japiassú disse...

No aeroporto de Miami, um funcionário nos chamou parar passar a frente da fila do embarque para Orlando. E olha que a minha filha menor já tinha quase 3 anos e estava no carrinho! :)

Fanny disse...

Oi Roberta, adoro seu blog. Realmente, que comentario infeliz de essa mulher! Bem, só queria te falar que aqui nos EUA as crianças (de colo, pequenas, etc) tem SIM prioridade!! eu moro aqui, e viajei para o BR quando minha nene tinha 3 meses, e fui muito bem atendida no aeroporto, era só chegar na fila e ja vinha um agente do aeroporto abrindo caminho para mim, até ajudaram a dobrar o carrinho. Assim mesmo na fila da imigraçao na volta...Depois viajei novamente quando ela tinha 1 ano e foi o mesmo trato! Espero que continue assim ate fim de ano, que viajaremos novamente. Beijos

Fanny disse...

Ah, esqueci falar...aqui tem vaga prioritária no parking, para quem tem filho, é assim na maioria dos mall, supermercados, etc!!

Sam disse...

Aqui na Inglaterra fila de embarque sempre da prioridade ao pessoal com criança - quer dizer, exceto na ryanair. Na imigração não tem fila de prioridade, mas qdo a fila esta muito longa basta falar com um dos guardinhas, que eles te dão prioridade na hora.

Roberta, vc esta certíssima, com certeza essa mulher não tem filhos e não sabe a barra que eh...

Alias, no meu trabalho adoro qdo um dos caras mais seniores tem filho. Que aí eles te encontram no corredor e finalmente entendem o que eh não dormir, o que eh lidar com choradeira dia e noite, não ter down time para relaxar etc. Só que eh a tal coisa, só quem passa por isso eh que realmente entende. Não tem jeito.

Beijos para vc!

Cíntia Anira disse...

Sabe que eu até tento ter classe, mas se encontro uma cidadã dessa depois de um voo internacional com criança pequena, o tempo ia fechar no aeroporto, ah se ia! :D

A equipe da Babycub disse...

Independente do que uns ou outros acham.. lei é lei! E se existe uma prioridade, é porque realmente de fato as crianças são essa prioridade. O ser humano deveria se colocar mais no lugar do outro, estar em lugares cheios com crianças é muito complicado.

Parabéns pelo post!!

Aline da Babycub

(Mamãe) ~Pinel disse...

A mais pura verdade.
A gente só entende de fato as prioridades quando temos de usá-las!

Anônimo disse...

Ave Maria!!! As pessoas andam muito estressadas, mal amadas, intolerantes e barraqueiras. Apesar da vontade de voar no pescoço da vaca, nao vale a pena. Violência gera violência e suas crianças iriam ficar assustadas e mais estressadas com o bate boca. Melhor assim como fez, melhor engolir sapo nessa hora e tocar sua viagem!