quinta-feira, 30 de agosto de 2012

De quando eu era criança

Minha infância foi privilegiada. Não me lembro dos primeiros anos, a não ser por fotos, mas a partir dos 5 ou 6 anos de idade já tenho muitas referências bacanas. Nesta época, morei com meus pais na Holambra II, uma colônia holandesa no interior de São Paulo. E vejam que privilégio: tenho daqueles dois anos minhas primeiras referências sobre diversidade cultural, marcadas por lindas memórias que ficaram até hoje. Me recordo de cheiros, das comidas caseiras, do interior das casas e das brincadeiras com meus amigos loirinhos.
Depois dessa experiência, motivada pelo trabalho do meu pai, voltamos para Mairinque, onde moramos em uma chácara até a minha adolescência. Quando não estava na escola, estava brincando descalça com meus irmãos e com os vizinhos em algum lugar pela redondeza.  E é daquele período que tenho as maiores referências da minha infância. Uma infância marcada pela simplicidade e por muita, mas muita brincadeira.
Eu tinha preferência por três tipos de brincadeiras: fora de casa eram esconde-esconde (o terreno era grande, e a gente se escondia meeesmo) e amarelinha;  e, dentro de casa, amava brincar de escritório com os papéis timbrados e pastinhas que meu pai me dava.
O desafio desta semana era voltar a ser criança por um dia. Está certo que com filhos a gente volta a ser criança o tempo todo, mas a proposta era que eu comandasse as brincadeiras, da mesma forma como eu brincava quase trinta anos atrás. Desafio mais do que aceito e cumprido à risca com o maior prazer. Antes de começar, contei toda a história para a Luísa de como eram as minhas brincadeiras na infância e depois partimos para a ação.
Começou com a amarelinha, brincadeira que a Luísa também adora e tem se aprimorado cada vez mais. Brincamos até cansar, eu e ela. Depois do almoço, foi a vez de brincar de esconde-esconde e, aí, a família toda entrou na roda, inclusive o marido e a Rafaela. Foi muito divertido. Claro que, como as meninas ainda são pequenas, não dá pra encontrar esconderijos impossíveis como os da minha infância, mas não facilitamos demais não. Fizemos a galera se esforçar.  (Difícil foi parar a brincadeira para fotografar!)
E à noite, depois do jantar, eu e Luísa brincamos juntas de escritório. Pela primeira vez, deixei que ela montasse a mesinha dela no meu escritório de verdade, emprestei a ela vários objetos e papelada que eu uso no meu dia-a-dia e ficamos ali um tempão brincando de trabalhar. Como eu trabalho em casa e essa é uma referência forte pra ela, foi um momento em que ela pode ficar ali à vontade sem me atrapalhar.
E você, quais eram as suas brincadeiras preferidas quando criança?



#Desafio 15 - Esse texto faz parte do desafio 100 Coisas para fazer com seus filhos antes que eles cresçam”, proposto pela Royal, do qual eu estou participando ao longo de 20 semanas. Também estão participando os blogs @pontecialtweet @avidaquer @blogcoisademae @dica_de_mae e @cozinhapequena


3 comentários:

Vi disse...

Eu adorava brincar de escritório! Família de advogados, né? Brinquei tanto que digito hj como profissinal, graças à máquina de escrever do meu avô... E hj trabalho assim. Fazendo na idade adulta o que imitei a Infancia toda...

Meriene Zamprogno disse...

Lembrança de infancia são sempre coisas muito gostosas né, lembro que eu era uma menina muleque que vivia brincando na rua de coisas de menino, mas adorava brincar de coisinhas de menina também...ai que tempo bom *.*

(Mamãe) ~Pinel disse...

Eu AMAVA brincar de escritório!!!
A Luísa deve ter achado um máximo!!! =D