quinta-feira, 5 de julho de 2012

Família reunida comendo fruta no pé

Se tem uma coisa que eu e meu marido sentimos falta é de estarmos mais próximos das nossas famílias.  A minha vive no interior de São Paulo, a dele no Rio. Adoramos casa cheia, mas infelizmente são poucas vezes no ano que conseguimos fazer aquela bagunça familiar que tanto adoramos reunindo todo mundo.  Por esse motivo, inclusive, o Natal se tornou uma data ainda mais especial pra nós – é quando, desde que nos casamos, recebemos os familiares todos na nossa casa.

 Aproveitamos então o desafio da semana, que era organizar um encontro em família, para fazer uma bagunça com a turma do interior. Foi a chance de conhecermos o sítio do meu cunhado, que ainda não havíamos estreado.

Arrumamos as tralhas todas e pegamos a estrada rumo a Sorocaba para passar o dia. As crianças ficam excitadíssimas nesses encontros, porque além da oportunidade de um passeio bacana, elas são doidas pela minha mãe (meu pai é falecido) e pelo primo, dois anos mais velho que a Luísa.

E, vamos combinar, para quem mora em prédio em uma cidade como São Paulo, passar o dia em um sítio é um presente.  As crianças se soltam, se sujam, correm, se divertem como se não houvesse amanhã.


Mas, desta vez, fizemos um programa inusitado. Parênteses: vale resgatar uma parte da minha história lá no passado. Eu passei minha infância morando em uma chácara, e o pomar que tínhamos lá é uma das fortes lembranças que tenho daquela casa. Manga, fruta do conde, goiaba, pitanga, nêspera, limão... Quanta fruta do conde eu comi em cima da própria árvore! Agora, voltando ao presente, pude neste dia remeter as meninas um pouco àquela minha infância. Depois do almoço, fomos todos ao pomar apanhar mexericas (tangerinas) que transbordavam das árvores.

Luísa já tinha comido fruta no pé, mas nunca tinha ido a um pomar grande como aquele – e a Rafaela muito menos. Aquele foi um momento tão gostoso, tão simples, que valeu o dia. A família toda comendo fruta ali debaixo das mexeriqueiras. E os adultos podendo relembrar com as crianças o quanto esses momentos eram especiais também na nossa infância. Ai, como eu lembro de me acabar de comer jabuticaba sentada debaixo da jabuticabeira do sítio do meu avô...


*#Desafio 7 - Esse texto faz parte do desafio “100 Coisas para fazer com seus filhos antes que eles cresçam”, proposto pela Royal, do qual eu estou participando ao longo de 20 semanas. Também estão participando os blogs @pontecialtweet @avidaquer @blogcoisademae @dica_de_mae e @cozinhapequena

5 comentários:

Chris Ferreira disse...

Oi Roberta,
Qeu programa mais delícia! Muito bom estar com a família reunida, com espaço, contato com a natureza e resgatando momentos da própria infância.
beijos
Chris
http://inventandocomamamae.blogspot.com/

Dani Rabelo disse...

Rô,

não há nada melhor, mais natural e mais saudável do que apanhar fruta do pé.
minha família (tios e avós) são de minas, eu sempre tive uma fazenda para ir, para brincar, rolar, correr.... fico com dó da minha filha, que não terá.

de qlq forma, meu marido é de Sorocaba (vc é de lá tbm???), os pais dele tbm têm uma chácara enorme, gostosíssima e a Laura já sente na pele como é bom passar embaixo do pé de manga (gigante!), de limão, de acerola, de ... o pomar é fantástico e a horta, então... nem se fala!!!!!!!!!

Adoramos!

É mto bom poder ter esses momentos com a filha!

Beijos!

Lia Vasconcelos disse...

Delícia de programa, né? Às vezes a gente fica quebrando a cabeça para entreter as crianças e coisas tão simples funcionam tão bem! Bjs

Thaís Rosa disse...

hummm... que delícia.
hoje mesmo estávamos falando aqui sobre o privilégio das crianças crescerem em contato com a natureza: uma amiga comentava do sobrinho que nunca tinha visto uma jabuticabeira...
e essas fotos, coisa mais linda?
legal esse desafio, hein, vou tentar acompanhar!
beijoca

(Mamãe) ~Pinel disse...

Casa de avó já é uma delícia!
Se for assim, num sítio com direito a pomar e tudo então!!!!

=D