sábado, 12 de maio de 2012

Antes de ser mãe, eu nunca...

Antes de ser mãe, eu não tinha ideia do que o impacto de um filho representa na vida de uma família. Ou melhor, eu não imaginava que só a partir da maternidade eu realmente sentiria que construí minha própria família


Antes de ser mãe, eu tinha minhas verdades absolutas, eu julgava outras mães. Vivia olhando comportamentos de pais e crianças e pensando que comigo aquilo jamais aconteceria. Basta ter seus rebentos em casa para todos os cuspes caírem na própria testa.


Antes de ser mãe, eu achava que jamais sairia correndo atrás de criança pra dar comida. Com a Luísa eu consegui, porque ela comia bem e nunca me dava trabalho. Mas a Rafaela é toda cheia de enrolação pra comer e dia desses me peguei no chão, correndo atrás dela com as colheradas cheias de comida.


Antes de ser mãe, eu tinha muito medo do que a maternidade pudesse causar no meu casamento. Via tantos casos de pais que começaram a se desentender depois dos filhos e depois de um tempo se separaram. Passamos por muitos ajustes, evidentemente. Há momentos difíceis no casamento porque a tendência, quando os filhos são pequenos principalmente, é de deixarmos o marido de lado. Mas com muito respeito, amor e compreensão é possível sim superar essas barreiras e fortalecer ainda mais a relação.


Antes de ser mãe eu achava que mulheres que têm parto natural em casa eram umas hippies loucas. Hoje eu respeito muito as escolhas das mulheres e tenho amigas que admiro muito que fizeram essa opção.


Antes de ser mãe, eu achava que não abriria mão do meu sucesso profissional pela maternidade. Hoje penso diferente, busco o equilíbrio. Continuo trabalhando e isso ainda é muito importante pra mim, mas prefiro ser uma profissional média e feliz do que uma alta executiva frustrada por não dar conta da vida pessoal e, pior, não ver minhas filhas crescerem.


Antes de ser mãe, eu nunca imaginei que me tornaria tão parecida com a minha própria mãe.





Esse texto faz parte de uma blogagem coletiva que surgiu em um café da manhã super agradável  com blogueiros na revista Crescer. Entre uma conversa e outra num papo muito agradável, surgiu a ideia de fazermos uma blogagem coletiva daquele grupo falando sobre coisas que não imaginávamos antes da maternidade. Nossa, acho que dava pra escrever um livro!  Estou atrasadíssima com a minha postagem, mas hoje saiu!!
Daniela Buno, Letícia Volponi, Glauciana Nunes, Carol Passuello, Anne Rammi, Renato Kauffman, eu, Jorge Freire, Sam Shiraishi e Priscilla Perlatti no café da manhã da Crescer


4 comentários:

Taisa Albini De Assis disse...

Legal!
Texto lindo...

Dia das mães dia de ficar grudadinha na família, nos filhotes e fazer aquele passeio gostoso pra ficar na memória!!
hehehe
O meu foi exatamente assim!
Bjs

Pri e Gu disse...

Olá Roberta, realmente tudo muda quando a gente sai da teoria para a realidade. Me identifiquei com a parte do hippie louca.... fiz o parto em casa e realmente não tenho nada de hippie, mas tb achava que quem seguia essa linha (antes de aderir tb) era tudo muito natureba.... rs.
Minha família nasceu em casa e foi fantástico.

Thaís Rosa disse...

me identifiquei com quase todos, porque será, hein?
adorei a foto dos blogueiros, é bom ver o rosto do povo vez por outra! rs
beijoca
tha

Roteiro Baby Brasilia disse...

Oi, Roberta. Eu também me surpreendi muito com a maternidade... e, mais uma vez, me identifiquei com um texto do seu blog, porque eu também me vejo repetindo a minha mãe diariamente, mas me sinto super orgulhosa disso! (risos). Espero que você tenha tido um ótimo Dia das Mães! Beijos!