quinta-feira, 24 de maio de 2012

A Alice, o coelho e a cápsula do tempo

A narrativa do livro Alice no País das Maravilhas resume de certa forma o que o tempo faz com a gente, especialmente depois que temos filhos: assim como o coelho do livro, parece que vivemos em uma eterna corrida contra o tempo. A rotina nos consome, muitas ações correm em automático e as crianças... ah, como elas crescem rápido demais! E quando paramos pra prestar atenção, tomamos aquele susto: caramba, como o tempo está voando!

De repente, você recebe um desafio: construir uma cápsula do tempo com a sua família. Inicialmente fica reflexivo: mas o que isso realmente poderá agregar nesse mundo em que a informação corre tão rapidamente nas veias da tecnologia? Afinal, originalmente as cápsulas do tempo eram recipientes que armazenavam objetos ou informações que pudessem ser encontrados por gerações futuras. Hoje em dia, essa finalidade não faz mais tanto sentido. Ainda mais para quem tem um blog.

Mas depois fiquei pensando:  que exercício fantástico para ser praticado em família! Especialmente porque, mais do que informações históricas, essa cápsula do tempo pode carregar sentimentos, expectativas, sonhos. Pode não ter nenhuma importância para um historiador, mas pode representar momentos muito especiais para uma família.

Imediatamente, convoquei a turma de casa e começamos a planejar a nossa própria cápsula do tempo.  A primeira decisão: em quanto tempo ela será aberta? 10 anos foi o consenso. E mãos à obra. Tudo começou pela parte externa, para que ela pudesse limitar o espaço em que depositaríamos nossas cartas, ou desejos, ou sabe-se lá o que colocaríamos ali. Encontramos um recipiente perfeito: uma embalagem de chocolates que ganhamos na Páscoa que tem o formato de uma cápsula oval. Tiramos o rótulo e Luísa foi incumbida de pintá-la.

A delícia do momento começou ali: primeiro com a curtição da pintura, devidamente acompanhada – e atrapalhada (hehe) – pela Rafaela.  Depois, com o resultado: um desenho lindo que a Luísa fez da nossa própria família: um sol, nuvens brancas e nós quatro desenhados: ela, eu, Luiz e Rafaela.

Depois, sentamos todos juntos e começamos a pensar no que colocar ali. Cada um poderia por o que quisesse. Eu e meu marido resolvemos escrever, já a Luísa quis colocar dentro uma foto de nós quatro e um desenho feito por ela. A Rafa, no auge dos seus 1 ano e 8 meses, também participou e fez a sua parte: tentou tirar tudo de dentro.


Não vou dizer aqui o que foi escrito naqueles particulares textos.  Afinal, não faz sentido eu ter esse registro aqui no blog – acho que o conteúdo tem que estar unicamente dentro da cápsula do tempo. Posso adiantar que eu fiz uma carta mais emocional,  enquanto meu marido fez um texto mais prático tentando imaginar como estará o mundo daqui a 10 anos.  Luísa fez outro desenho da família, bem colorido e cheio de corações. Ela ainda não sabe escrever e ainda está aprendendo a se expressar, mas esse desenho lindo me faz enxergar que ela é uma criança feliz e que tem na união da família sua maior referência.

Se daqui a dez anos, quando abrirmos essa cápsula, a família ainda for a principal referência para as minhas filhas então adolescentes, terei certeza que, mesmo o tempo tendo passado tão rápido, ele terá sido muito, mas muito bem vivido. E que cada esforço, cada culpa, cada dificuldade que ainda sei que iremos passar, terá valido a pena.

Faça esse exercício na sua casa. Construa uma cápsula do tempo com os seus filhos. Quando ela for aberta, certamente será um achado de grande valor histórico para a sua família.

*Esse texto faz parte do desafio “100 Coisas para fazer com seus filhos antes que eles cresçam”, proposto pela Royal, do qual eu estou participando às quintas-feiras ao longo de 20 semanas. Também estão participando os blogs @pontecialtweet @avidaquer @blogcoisademae  @dica_de_mae e @cozinhapequena



16 comentários:

Piticarts disse...

Adorei seu blog!
Super bem escrito, da maneira que queremos ler sempre mais...
Voltarei com certeza!
Se quiser me visitar, fique á vontade!

Bjinhos

Dani disse...

Fantástico!!!

Carol P disse...

Achei linda a ideai mas fiquei pensando como a pequeninha participou. Ela colocou alguma coisa dentro ou um rabisto? pergunto pq fiquei pensando q daqui a 10 anos qaundo for aberta nao tera nada dela lah dentro. Me desculpa se eu interpretei mal o texto e nao entendi como ela participou.
x carol

Dani disse...

Pode dizer que "amei" a idéia, assim, bem "amado" mesmo?!
Amei, amei, amei!
Vou fazer, djá!
Bj, ídala forever!
Dani

marta santos disse...

Fantático Roberta, que ideia linda e delicada.
Beijos de Portugal.
Marta Santos

Carolina disse...

Muito legal isso, acho que vou aderir! rs

Na minha família nunca teve nada assim, e eu não lembro quase nada da minha infancia... acho que é legal criar situações pra lembrar com carinho

Roberta Lippi disse...

Carol P, a pequena colaborou com fotos e com a imagem das mãos e pés dela que colocamos depois ao lado da mão e pé da Luísa. Como ela é muito pequena ainda, a participação dela foi menor. Quem sabe quando ela tiver uns 5 anos a gente faz outra cápsula com ela pra ser aberta 10 anos depois, pode ser legal! Beijos

Renata disse...

Nossa, Ro. AMEI a idéia!!!
Vou fazer com certeza!!!!

Sarah disse...

Que demais! Adorei também! A ideia, a execução, a participação de todos... Demais mesmo!
Agora uma curiosidade... onde vcs guardaram? A tradicional cápsula do tempo era enterrada, tipo num jardim... e por aí, como foi?
bjos!

Carol Garcia disse...

adorei a idéia!
amei!

pronta pra fazer aqui em casa.

bjocas nas fofas

Celi disse...

Adorei!!!!! Também me entusiasmei... Beijos

Roberta Lippi disse...

Sarah, guardamos no alto de um maleiro, bem escondidinho lá no fundo!!! Nós fizemos uma cápsula pequena, mas se olhar na dos outros blogueiros, alguns fizeram verdadeiros baús cheios de objetos!! Fica a critério de cada família, vale conferir os outros pra ter ideias!
Beijos

De. disse...

Achei muito legal essa ideia! Eu adoro voltar no tempo e lembrar como eram as coisas. Uma boa para fazer quando o bebê nasce, e depois mostrar pra ele com 10.
Bjo

Mamma Mini disse...

Amei Rô! Quero fazer quero fazer! Amei a pintura da Lu, super artista! Bjo

Daise disse...

Roberta, que ideia maravilhosa!
Já anunciei aqui em casa que vamos fazer uma também. Meu enteado mais velho contou que fez uma na escola para ser aberta no final do ano.
Adorei, obrigada pela dica. ;)
Também gostei da ideia de, em cinco anos, fazer outro e assim ir fazendo em intervalos. Certamente será uma delícia chegar o tempo de abrir esses verdadeiros baús do tesouro.
Beijo pra vocês.

Lia Vasconcelos disse...

Adorei a ideia! Vou esperar minhas filhotas crescerem u m pouco para fazer aqui em casa também! Bjs