quarta-feira, 14 de março de 2012

Disney com duas crianças pequenas Parte VI - os parques

Eu não vou fazer um guia completo dos parques aqui porque este não é meu propósito. Acho que várias publicações cumprem bem esse papel e também não fomos a tudo, fizemos os passeios com bastante calma. Portanto posso contar apenas o que foi a nossa experiência e dar algumas dicas do que foi legal na viagem. Depois vou dar aqui uma relação de sites e guias que podem dar uma visão mais ampla do todo.

Lá em Orlando existem os parques da Disney, que são quatro - Magic Kingdom, Epcot Center, Holywood Studios (antigo MGM) e Animal Kingdom, mais os parques aquáticos. Além do complexo Disney, tem o Sea World, o Universal Studios e o Island of Adventures (parque novo que tem a vila do Harry Potter). Fora de Orlando, tem o Bush Gardens e o Legoland. Nós não fomos a esses dois últimos e nem aos parques aquáticos.

Algumas dicas:

- Estacionamentos: todos são enormes. Para não correr o risco de perder seu carro (e não achar nunca mais rsrs), anote o lugar onde estacionou. Outra dica que pouca gente fala: anote também (ou fotografe) a placa do seu carro. Como ele é alugado, você pode não reconhecê-lo especialmente nos primeiros dias.

- Nos parques maiores, como os da Disney, há um trenzinho que leva e traz vocês até a entrada do parque.

- Nós compramos as entradas lá mesmo nos parques. Uma amiga tinha dado essa dica, mas confesso que só fizemos isso porque eu não consegui finalizar a compra dos tickets pela internet aqui do Brasil. Tinha medo de não dar certo, mas foi muito tranquilo. Nos parques da Disney tinha zero de fila pra comprar ingresso, na Universal tinha uma filinha muito rápida. Na Disney, compramos um ticket para cinco dias e deu na medida certa (fomos duas vezes ao Magic Kindom e uma em cada um dos demais). Caso quiséssemos voltar mais vezes, o valor seria bem menor que o ticket unitário.

- Assim que entrar nos parques, a primeira coisa a ser feita é pegar o mapa do parque e o papelzinho (Time Guides) com a programação da semana. Ali tem o horário das paradas (elas variam quase que diariamente, fique de olho), shows e demais atrações. Também fala os horários e locais onde os personagens estarão espalhados pelo parque. Com essa programação em mãos fica mais fácil traçar o roteiro do dia.

- Se for alugar carrinho para as crianças, o "stroller rental" fica na entrada dos parques e custa US$ 15 por dia (o unitário) ou US$ 30 (o duplo). (Vale a pena comprar um carrinho no Walmart, Target ou Toys R Us. Ou, ainda, comprar um carrinho simples dentro do próprio parque por US$ 50). De qualquer forma, recomendo que tenha um carrinho para cada criança, mesmo para as maiores. Elas se cansam porque os parques são grandes. Fora que eles são boa ajuda pra carregar as bolsas e mochilas.

- Identifique as crianças de algum jeito. Pode ser com pulseira, com crachá, o que for melhor pra vocês. Mas é importante que eles carreguem uma identificação com nome dos pais, endereço de onde estão hospedados e se possível um telefone para emergência.

- Caso você tenha intenção de ir a algum restaurante temático, aqueles em que você toma café da manhã, almoça ou janta com personagens, reserve pela internet assim que fechar a sua viagem. Eles costumam ser bem lotados. Ainda assim, se não conseguir, quando estiver lá não custa tentar. Se você for em uma semana tranquila, pode ser que consiga algum horário. Foi o que aconteceu com a gente. Por acaso fomos almoçar tarde no Magic Kingdom e conseguimos lugar no Crystal Pallace, que estava quase vazio. As meninas almoçaram com a turminha do Ursinho Pooh quase que com exclusividade, foi muuuito legal. Esses restaurantes são bem mais caros que os outros, mas um dia vale a pena - tanto pela interação com os personagens como pela qualidade da comida, que é bem superior e mais variada (muitos são buffets, como o caso desse que nós fomos).

- Os brinquedos mais lotados nos parques da Disney têm um sistema que se chama Fast Pass. Para evitar pegar as filas imensas, que podem chegar a uma hora e meia ou até mais em dias de parque lotado, você pode usar esse sistema. Basta colocar seu ticket do parque na máquina do fast pass (um para cada pessoa) e  você recebe um papelzinho com o horário que pode voltar ao brinquedo (ele te dá uma hora de limite, tipo das 3pm às 4pm). Daí você pega fila especial que não dura mais que 20 minutos.

- Nós pegamos parque cheio e parque vazio. Na semana em que chegamos, quinta-feira da semana de carnaval no Brasil, estava bem lotado. Especialmente porque, além de tudo, estava acontecendo em Orlando os All Star Games, uma tradicional competição de basquete dos EUA. Tinha cerca de 100 mil pessoas só para o evento na cidade, o que causou trânsito e muitas filas por lá. Nesses dias, os brinquedos estavam sempre bem lotados. Na semana seguinte, estava tudo uma maravilha. Todos os parques super vazios, dava pra entrar e sair do mesmo brinquedo várias vezes. Para vocês terem uma idéia, isso aconteceu no simulador do Harry Potter, considerado o brinquedo mais disputado dos parques, com fila que chega a quase duas horas. Eu fui com o Luiz enquanto minha mãe ficou fora com as meninas, depois nós saímos e ele voltou lá pra ir com ela de novo.

- Nesse caso do Harry Potter não precisou porque não tinha fila, mas quando acontece casos assim, em que os adultos querem revezar para ir a um brinquedo que as crianças pequenas não podem ir, você pode solicitar a um funcionário do brinquedo para fazer o "rider swich". Funciona assim: a mãe, por exemplo, pega a fila enquanto o pai fica com o filho. Depois, quando a mãe volta, o pai pode ir ao brinquedo sem ter que pegar fila novamente.

- Quando for assistir a algum show em teatro fechado com crianças pequenas, procure se sentar próximo das  extremidades, para ficar mais fácil de sair caso a criança chore ou fique com medo do escuro ou da música alta.

- Leve na mochila: água, lanchinho, protetor solar, boné para as crianças, bateria extra para a máquina fotográfica, capa de chuva caso haja previsão de chuva (em último caso dá pra comprar nos parques, mas é bem mais caro), uma troca de roupa e band aid. Caso esteja em época de bastante calor, vale levar roupa de banho e toalha também. Além dos brinquedos que molham (no Sea World e Universal tem alguns que molham muito), há também para as crianças uns tipos de chafarizes espalhados por alguns parques em que eles podem brincar e se molhar. Se estiver calorão, pode ser uma boa. No caso dos brinquedos que molham, há por perto em geral os chamados People Dryer, uma espécie de secadores gigantes (custam acho que US$ 5 por uma secada que dura três a cinco minutos).

- Sempre pare os carrinhos de bebê nos estacionamentos próprios. Se você largar em outro lugar, vai tomar um susto quando voltar achando que sumiu. Os funcionários do parque levam todos os carrinhos para o estacionamento. Aproveite para marcar o seu de alguma forma, porque há muitos iguais. Amarre uma peça de roupa, uma fita ou qualquer coisa que facilite a identificação na hora de procurar o seu de longe. Os estacionamentos de carrinhos, dependendo do dia, ficam bem cheios.

Amanhã falo um pouco mais sobre detalhes de cada parque. Beijinhos.

14 comentários:

Keiviany Sena disse...

Nunca vi uma série de posts tão didática. POde ser considerado Serviço de utilidade pública (rsrsrs)

Sabrina disse...

Oi Roberta,

Não sei se vc pode me ajudar: Vc viu Flynn Rider em algum lugar por lá? Meu planejamento gira em torno dele.
Obrigada

Dani disse...

Adoraaaayyyyy!!!!!!!!

Estou amando!!!

Realmente, vc pode vender esse editorial dos parques,da viagem, de tudo... amei!!!!

Beijos!

Raquel disse...

Nossa, estou curtindo as dicas...espero que a gente possa usá-las logo logo. hahaha
E aquela história do seguro saúde, vcs fizeram? Como funciona para comprar remédio por lá caso precise?
bjs

Naomi disse...

Anotando no caderninho!
Suas dicas são óóóóótimas!!!
Bjcs

Mamatraca disse...

Raquel, nós sempre fazemos seguro saúde quando viajamos pra fora, acho que é uma segurança importante, né? Quanto aos remédios, alguns mais simples você consegue comprar na farmácia sem receita (para gripe, tosse, essas coisas), o resto tem que ser com receita mesmo e eles são rigorosos. A dica é pegar uma receita com o pediatra (bom levar a receita tb) e já levar daqui uma listinha de remédios para casos de emergência - antialérgico, remédio pra febre e dor, descongestionante e outros que sejam recomendados. Eu não levei antibiótico, tem gente que leva também.
Beijos

Mamatraca disse...

(Ops, sou eu camuflada na conta da firma!!! bjs Roberta)

Sabrina disse...

Oi Roberta,

Oi Roberta,

Não sei se vc pode me ajudar: Vc viu Flynn Rider em algum lugar por lá? Meu planejamento gira em torno dele.
Aparentemente ele não aparece na Florida, só na california. Como não consegui confirmar isso ainda, estou perguntando a quem foi.
Obrigada

Pati disse...

Roberta,
vou guardar todos estes seus posts para levar comigo em uma futura viagem com as crianças!
que delicia de dicas, super obrigada pela paciência de escrever cada detalhe e dividir com todas nós!
bjs
Pati

Mônica Japiassú disse...

Roberta, ficamos lá no mesmo período, então! Também chegamos lá no dia 23/03, ficando até o dia 07/03. Se bobear, nos esbarramos por algum parque lá. :)

O estacionamento de carrinhos me impressionou (ou melhor, a cultura do povo que frequenta os parques)! Deixávamos o carrinho da Letícia cheio de compras penduradas e não sumiu nadinha!

Quando puder, dê uma passadinha no meu blog pra deixar suas impressões sobre a viagem lá nos meus posts tb. :)

Roberta Lippi disse...

Sabrina, tive que entrar no google pra saber quem é o Flynn Rider rsrsrsrs é o príncipe da Rapunzel, é isso? Não vimos, não!! Mas também não procuramos, não sei se ele estava por lá.
bjs

(Mamãe) ~Pinel disse...

Essas dicas foram valiosíssimas!!!
Adorei e anotei (copiei) uma por uma!! =D

Muito bom! Dá até pra fazer um guia "Disney com crianças"

Sabrina disse...

Obrigada Roberta!

Olha o trabalho, né? Eu já estou 'intima' dele, pra mim é o José Bezerra...É a primeira coisa que pergunto ultimamente. Mas consegui uma resposta do site oficial, dizendo que ele não está lá regularmente mais, só na Eurodisney e Disneyland. Uma pena.
Enfim, gostei bastante de seus textos, bastante coisa interessantye que me fez repensar algumas escolhas. E muito obrigada pela ajuda q vc deu à minha Luísa!

Fernanda disse...

Maravilhoso encontrar este blog.
Parabéns!