sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

A Separação - e a verdade

Esta semana fui ao cinema ver A Separação, um filme iraniano dirigido por Asghar Farhadi super premiado e que está concorrendo ao Oscar de melhor filme estrangeiro (tá vendo, essa é só pra mostrar que eu não assisto apenas BBB e Mulheres Ricas, hehehe, eu tenho a capacidade de transitar entre o cult e o trash).

Interessante como nossa visão sobre mundo e família muda completamente depois que temos filhos, e algumas coisas nos tocam de forma diferente. A história do filme trata da separação de Nader (Peyman Moaadi) e Simin (Leila Hatami), um casal de certa forma incomum para o que costumamos ver em um país machista como o Irã. A mulher quer saír do país com a filha e, como o marido não quer ir (cuida do pai com Alzheimer), eles acabam se separando. O marido é um cara bastante compreensivo e honesto. Mas a entrada de uma diarista na casa dele acaba virando a vida de duas famílias de ponta-cabeça.
Além de ser um filme muito bem dirigido e que prende a gente na cadeira, ele me marcou pela forma forte como aborda os valores e as relações de família. Fala muito sobre verdade, sobre sinceridade, sobre o que uma mentira pode causar na vida de uma família. Mostra um pai que tem um respeito imenso pelo seu pai idoso e por sua filha e a ensina pelo exemplo, pela verdade. Verdade nas pequenas coisas, nos pequenos atos. Acho que é isso que falta muito nas famílias hoje em dia: praticar aquilo que se prega.
Talvez esse filme me tocasse de outra forma se eu ainda não tivesse filhos. Não repararia tanto nessa relação entre o pai e a filha e talvez me atentasse mais ao roteiro em si.  Mas saí do cinema pensando no quanto eu espero  passar esse exemplo da verdade para as meninas. Lógico que, em algumas fases da vida, também fiz minhas besteiras, contei minhas mentiras. Mas hoje, como uma mulher madura e mãe, procuro ter este como um dos meus maiores valores. Tomara, mesmo, que elas sigam esse caminho.


8 comentários:

Re disse...

Hummm, to querendo muito ver esse filme...

Aline Patrícia disse...

Parece que é um filme muito bom, vou assistir com certeza, adorei o trailer. Rsrs e não é só vc que assisti o BBB não ... E concordo plenamente com seu post, fico pensando nos valores que passarei para minha filha, quero que ela seja uma mulher extraordinária...
Beijos.

Rafaela disse...

Adorei o transitando entre o cult e o trash... quem disse que precisamos nos alienar em um só canal?
Fiquei curiosa sobre o filme.

Carol Ambrogini disse...

Já estou louca p ver!

Isabela Kanupp (Kira!) disse...

Olha só de você escrever sobre o filme ja me deu vontade de assistir! E realmente, preciso ir ao cinema, não vou desde bem antes de engravidar. Absurdo isso!

Eu também mudei muito minha reação ao assistir filmes depois que me tornei mãe, parece que as coisas tocam mais a gente sabe?


Beijos
http://parabeatriz.blogspot.com'

Juliana Ramos disse...

Bem interessante...
Adorei a dica!

bjo

Jussara disse...

Muito bom filme, um iraniano que não nos faz pegar no sono. rs

Achei muito legal a relação pai-filha. Logo deu pra ver que alguém estava mentindo na história, só não sabia que *ele tb tinha mentido. Acho que o filme mostra que algumas mentiras são "necessárias", mas achei que ele foi muito rígido no final, com a mulher, pois ele mesmo havia mentido. Dois pesos, duas medidas.
Interessante tb mostrarem um pouco do fanatismo religioso. Tudo tem que jurar por Alá, e o tal "temor" a ele pesa.
Agora o final... me decepcionou um pouco. Fiquei me coçando pra saber quem ela escolheria.
Realmente, o casal parece incomum para um país machista, e gostei de ver uma mulher "moderna" até o ponto aceitável para os costumes do país.
Ótimos atores, e a adolescente atua de igual pra igual com os adultos. E que lindas aquelas mulheres do lado de lá. É um contra-senso, mulheres tão bonitas tendo que andar tão cobertas.

* questionável ele alegar que mentiu pq pensou na filha. Ela tinha mãe, certamente ficaria com ela se ele fosse preso.

(Mamãe) ~Pinel disse...

Taí um filme que eu fiquei morrendo de vontade de assistir! Wow!!!
Adorei a história! Com certeza, é filmasso!

Valeu a dica!