quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

E agora, o que faço com esta criança?

Sou fã da Rosely Sayão. Já era antes e fiquei mais ainda depois que eu a conheci em um evento. Com seu jeito tímido, ela dá bronca na gente e ainda saímos encantados, veja só que poder ela tem. Esse artigo foi publicado antes das férias de julho deste ano, mas se encaixa perfeitamente agora neste finalzinho de 2011, quando o período de aulas está se encerrando nas escolas. Afinal, o que fazer com os filhos durante as férias? Esse artigo é excelente, leva a uma reflexão profunda do nosso papel como pais e também tem tudo a ver com o tema da semana que estamos discutindo aqui. Se ainda não leu, leia o artigo e depois me conte o que achou. 

E agora, o que faço com esta criança?
Rosely Sayão

As férias chegaram e muitos pais ainda não têm a menor ideia do que farão com os filhos neste período.
Algumas famílias já programaram viagens, que parecem ser a solução ideal, já que, desse modo, os adultos podem até descansar um pouco enquanto seus filhos aproveitam tudo aquilo que os hotéis e/ou babás disponíveis podem oferecer a eles.

Alguns pais deixam os filhos na escola, pois muitas delas permanecem abertas para proporcionar entretenimento enquanto os pais trabalham.
É no período de férias que melhor podemos perceber o quanto, no mundo contemporâneo, os pais se transformaram em tecnocratas na relação com os filhos.

Eles cumprem suas funções, batalham incansavelmente para proporcionar à prole do bom e do melhor. Mas, no final das contas, não sabem ao certo de que maneira se relacionar intimamente com os filhos.

Esse período poderia ser uma excelente oportunidade para os pais exercitarem aquilo que um dia escolheram fazer em suas vidas: educar.

E o que isso significa? Significa apresentar o mundo, em seus detalhes, aos mais novos. Em outras palavras: educar é compartilhar algo de nosso domínio com outro – com paciência e generosidade.

As viagens, por exemplo, podem ser uma experiência fantástica para a criança se, pelo caminho, ela for despertada, questionada, encorajada a pensar sobre o que está vendo, ouvindo e sentindo. E isso pode incluir desde a geografia local até a matemática das distâncias.

A leitura é outro exemplo interessante. Ler junto com a criança, e não apenas para ela, pode ser uma aventura para ambos.
Conversar sobre o enredo, questionar as atitudes de determinado personagem, inventar outros desfechos possíveis para a história podem ser boas estratégias de aproximação entre os mundos infantil e adulto.

Mas a melhor estratégia é a do simples convívio caseiro. Compartilhar com os filhos o entusiasmo por determinadas atividades corriqueiras pode ser uma bela herança, a mais significativa de todas.

A transmissão de pequenas habilidades: deixar a criança ajudar na cozinha ou na organização da casa, cuidar das plantas, contar para ela os casos dos antepassados, ou apenas passar o tempo juntos. O convívio com os filhos pode ser bem simples quando há espaço na vida dos pais para eles.

15 comentários:

Lia disse...

Lindo! É uma pena que muitos pais só façam (ou não) isso nas férias, porque educar nossos próprios filhos deveria ser uma tarefa diária.

Mirian Vieira disse...

Amei !!!!

Renata Marques disse...

Para a mãe que trabalha fora deve ser um período de readaptação estar em casa e disponível para os filhos. No final eles se ajeitam.

Lia Vasconcelos disse...

Sou super fã da Rosely Sayão também, e esse eu ainda não tinha lido. Adorei! Além de lindo, o texto é super apropriado e nos propõe uma reflexão bem bacana!

Ivana - coisademae disse...

muito bom mesmo, Rô. eu acho que a gente não precisa de muito pra aproveitar o tempo com os filhos. mesmo quem não viaja nas férias pode aproveitar o tempo em casa com os filhos de forma simples, mas intensa, fazendo atividades juntos, lendo, conversando. Isso é que é bom e o mais importante: a atenção dirigida e com o coração totalmente entregue, sem pressa.

amei a reflexão!

Tatei e Nana disse...

Adorei o texto! E vem em boa hora mesmo!!!
Aqui em casa busco isso no dia-a-dia, pois tenho o privilégio de ser mamãe em tempo integral. Mas as reflexões desse tipo são bem-vindas em todos os casos, né?
Bjs

Chris Ferreira disse...

Oi Rô,
adorei o texto. Aproveito as férias para um convívio mais próximo em família. Viajamos muito e ficamos juntos, aprendendo, conhecendo, descobrindo. Aproveitamos para fazer nada juntos.
Não precisamos de muitas coisas para aprveitar o tempocom as crianças. Basta ter vontade e disponibilidade.
beijos
Chris
http://inventandocomamamae.blogspot.com/

Paloma, a mãe disse...

Também adoro ela e concordo com tudo. Mas que isso deveria ser parte do dia-a-dia e não só das férias devia... Mas é quase utópico, na sociedade em que vivemos, né?
Beijos

Sarah disse...

Muito bom, ótimo texto. Também sou fã da Rosely! E concordo que essa atenção, essa dedicação às crianças deveria ser diária, não apenas nas férias...
bjos

Lu (mãe da Bia) disse...

Perfeito!!!!
Me dá licença de colocar no meu blog tbm?
Isso tem que ser disseminado!
Beijooooooooooooos!

eu tamanho familia disse...

bom para refletir....bjs
Fer
http://eutamanhofamilia.blogspot.com/

(Mamãe) ~Pinel disse...

Muito bom o texto!!!
E melhor ainda é sabe que é exatamente o que eu estou trabalhando para fazer nessas férias!!! =D

Beijo

Roberta "Mimi" disse...

Boa reflexão.
Beijo,
Roberta, mãe dos gêmeos Rute e Miguel

Andrea Fregnani disse...

Adoro a Rosely Sayão, geralmente estamos no carro sábado pela manhã e ouvimos o programa dela na Band, adoro os puxões de orelha dela nos pais, esse texto é ótimo, no meu contato com muitas mães, vejo o "medo" de muitas da férias, ainda não tenho essa experiência pois Alice não vai pra escola e eu que cuido, por isso sei exatamente como pode ser enriquecedor passar dias com um filho, é uma delícia e uma oportunidade única para conhecimento entre pais e filhos,
bjs

Valéria Vieira Beirouth disse...

Texto maravilhoso, como todos da Rosely Sayão! Eu ainda não tinha lido este. Também compartilho as ideias dela no blog e peço sua licença para compartilhar este também.
Acho que já falei em outros comentários que adoro seu blog. Parabéns e beijos!