quinta-feira, 26 de maio de 2011

Aquele monstro nojento

Não estou falando dos monstros que habitam no imaginário das crianças. Quem dera se fosse, seria um assunto bem mais leve. Estou falando de um monstro real. Há tempos estou com esse homem entalado na minha garganta, esse ex-doutor Roger Abdelmassih. Essa semana, enfim, o registro de médico dele foi cassado definitivamente pelo CRM. Condenado a 278 anos de prisão por estuprar sistematicamente - veja bem, sistematicamente – suas pacientes, esse homem chegou a ser preso, mas graças a um habeas corpus concedido pelo nosso querido ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, ele foi solto e fugiu do país.
Fiquei com náuseas depois de ler a matéria de capa da revista Época de duas semanas atrás, entitulada “A clínica do horror”. Se alguém por acaso não leu, não sei se recomendo a leitura ou se sugiro que a pessoa se poupe de descobrir mais atrocidades que esse ex-médico cometeu com centenas, milhares de mulheres e homens que o procuraram e pagavam uma fortuna na tentativa de engravidarem.
Me dá nojo saber que esse monstro, reconhecido internacionalmente por conseguir índices de sucesso na fertilização jamais alcançados no mundo, enganava casais implantando embriões fertilizados de outras pessoas para garantir maior sucesso na inseminação. Ele manipulava aqueles embriões humanos como se estivesse numa aula experimental da faculdade testando embriões de ratos. Foram OITO MIL bebês gerados na clínica de Abdelmassih, que já foi um dia o queridinho das celebridades (muitas mulheres famosíssimas tiveram seus filhos com a ajuda dele, já pensou? Uma delas é uma das mais famosas apresentadoras de TV do país).
OITO MIL bebês. Dá para ter uma idéia de quantos pais não devem dormir desde que as denúncias começaram, em 2009? E agora, então, depois dessa denúncia da revista de que ele trocava embriões?
Tento me colocar na posição de um desses casais, mas sinceramente não consigo. É cruel demais essa história toda. Fico pensando: se eu tivesse feito fertilização in vitro com esse médico-monstro, será que eu gostaria de saber se meus filhos são ou não meus filhos biológicos? O que é mais cruel? Não sei responder.
O que eu gostaria de saber é: vocês, se estivessem na situação de um desses casais, fariam o teste de DNA para saber se seus filhos são mesmo seus filhos biológicos ou se houve troca de embriões?

23 comentários:

Dani disse...

Monstro é pouco! Revoltante saber de mais essa! Que horror!
Mas, acho que não faria DNA não. Sei lá, acho o tipo de informação desnecessária quando se tem um filho já amado e querido. É, penso assim.
Beijo, querida.
Dani

Carol Garcia disse...

arrepio.
arrepio, medo e uma gratidão enorme a deus.
conto pq: esse monstro aí da foto era a aminha segunda opção caso o tratamento em campinas não desse certo.
affff....
perco até o ar.
bjocas

Flavia Bernardo disse...

Rô,
esse assunto é indigesto mesmo. Esse homem brincou com a vida e sonhos de muitas pessoas! Muito cruel isso tudo que ele provocou em tantas familias: estupro, troca de embriões, tentativa de aborto (ele deu comprimidos de CITOTEC para uma de suas pacientes q estava gravida e o marido ameaçou fazer DNA após o nascimento), etc..

Uma monstruosidade sem tamanho. Nao consigo imaginar como estao essas familias após essas denúncias. Sequer consigo me colocar no lugar deles. Depois de ler a revista me fiz a mesma pergunta: Será que eu iria querer saber se meu filho é meu e de meu marido biologicamente falando? Difícil responder. No fundo, acho q a probabilidade dessas crianças nao carregarem os DNAs de seus pais é muito alta. Talvez eu fizesse sim o teste pra ter uma resposta, sei lá...mas sei que JAMAIS deixaria de amar meu filho. Se isso ia me fazer bem? Talvez não...mas a eterna dúvida tb nao me faria bem e conviver com ela seria igualmente difícil.

Flavia Bernardo disse...

Vejam só esse link...Dr. Monstro sendo aclamado por famosos, antes das denúncias. Muito nojo disso tudo!

http://www1.vooz.com.br/noticias/materia-no-portal-caras-mostra-roberto-carlos-homenageando-o-medico-roger-abdelmassih-13316.html

Andrea Nunes disse...

Revoltante! Monstro é pouco para essa criatura. Mas eu faria o DNA sim, sem pensar duas vezes, eu acredito que as coisas precisam de basear na verdade e quanto antes lidarmos com essa verdade, apenas biológica, melhor seria para todos os envolvidos.

Já vivi a angustia de não conseguir engravidar e é desumano o que aconteceu com essas famílias já tão fragilizadas pela dor da infertilidade.

beijoca

Renata disse...

Não consigo me imaginar no lugar das mulheres que passaram pelas mãos desse homem. Mas em relação ao DNA, eu talvez faria caso isso servisse pra exigir uma indenização, arrancar qualquer coisa desse homem na tentativa de reparar o mau que ele causou a tanta gente. Se fosse só pra saber se é meu filho biológico, eu não faria não. Não mudaria nada.

Anne disse...

essa pergunta me perturba simplesmente porque eu não consigo responder...
a existência desse homem no mundo é uma tragédia, sem proporções.

Nine disse...

Oi Roberta!
Que coisa horrorosa o que esse cara aí fez, fiquei chocada!

Respondendo: eu não faria teste de DNA não, porque esse teste, para mim, não mudaria nada.

Talvez eu fizesse se alguma doença, ou problema futuro implicasse em se conhecer a hereditariedade do filho amado, mas só.

Beijos,
Nine

Mãe de Duas disse...

Rô, queria ter estômago para ler e comentar, mas eu sou daquelas que quando falam na TV "cenas fortes, tirem as crianças e pessoas sensíveis da sala" eu me retiro.
Mais do que revolta, sinto repulsa, nojo.
Bjs
Pri

Lorena Magalhaes disse...

Oi Roberta!
Não sou mãe ainda.Estou no pla nejamento.
Mas como sou ginecologista, e vivencio o quanto é sofrido para as pacientes que não conseguem engravidar,e o quanto de fé elas depositam nos medicos; me sinto a vontade pra comentar.
Na verdaede, acho que houve uma total negligencia nessa demora em divulgar o que ele fazia com estes casais.ja que Ja existia uma especulação diante da impossibilidade de uma clínica ter um índice de sucesso tão grande.
Bom, mas quanto ao exame de DNA, eu não faria não.A não ser nos casos de um problema de saúde...
Mas, é bem difícil opinar.
beijo

Marina disse...

Essa notícia fica entalada na garganta da gente. Mas eu não consigo imaginar o que eu faria. Cada hora penso uma coisa. Hora penso que faria DNA, hora penso que não... mt complexo. Só quem tá vivendo esse pesadelo pra ter real dimensão disso e conseguir pensar numa saída!

E eu nem posso falar o que eu
queria q acontecesse com esse sujeitinho porque é amoral e pesado demais!

Lily disse...

Oi Roberta! Eu fiz FIV e sei o qt é angustiante td o processo. Nao vou negar q essa duvida esta sempre presente durante td o processo, por mais confianca e fe q vc tenha no tratamento e no medico. Mas, eu nao sei se faria o teste de DNA, nao. A nao ser que fosse o caso de um processo juridico. So pra saber se o bebe é realmente nosso, nao faria. Ele é nosso, e pronto! Nada vai mudar isso. Depois de td que passei so posso agradecer por ter encontrado um medico maravilhoso aqui no Rio e nao ter precisado recorrer a este monstro, pq era isso q acontecia com a maior parte das pessoas q eu conheco.

Mari Hart disse...

É tão asqueroso o que ele fez que só de imaginar causa ânsia! Teve mulher que ficou estéril depois dele fazer anal nela e 'levou' bactérias das fezes p/o útero. Outras venderam seus bens p/pagar tratamento e ainda ser molestada. Cadeia é muito pouco. Basta acreditar na justiça que vem depois, pq aqui na Terra qualquer condenação seria injusta.

Mayara disse...

Olha, também não tenho a capacidade de me imaginar nesta situação, mas acho que não faria DNA. Se colocarmos todo o horror de lado, de qualquer forma você não ama o filho que tem, principalmente tendo em vista as dificuldades que passou pra te-lo? Então acho que seria meu filho de qualquer jeito meu amor seria maior.

Camila disse...

Rô, essa história é um verdadeiro pesadelo!! Mas eu acho que faria o DNA sim, por uma questão de curiosidade, para saber se teria sido tbem uma das vítimas desse monstro e, se fosse o caso, para reunir forças e material para agir contra ele. Nada no mundo mudaria a relação e o amor pelos meus filhos, mas não conseguiria viver com a dúvida!
Bjos,
Camila
http://mamaetaocupada.com.br

Dani disse...

Uma história repulsiva. Esse homem foi a causa de muito sofrimento alheio. Vários casamentos se desfizeram, várias pessoas perderam tudo o que tinham com a esperança de que ele lhes possibilitasse uma gravidez. Joguei fora um livro dele, que havia ganho numa revista Crescer. Tamanho o nojo!

E sobre a pergunta, sim eu faria. Não mudaria nada, mas não conseguiria conviver com a suspeita.

Patrícia Boudakian disse...

Rô, que terrível, monstro é pouco pra esse homem. Tenho nojo, repulsa... afff! E sem contar que era aclamado pelas celebridades. Essa história é uma desgraça. Tive o desgosto de ler detalhes nessa matéria da Época e nem consegui dormir à noite pensando em tamanha atrocidade!

E sobre a pergunta, sinceramente não sei responder. Quando não vivo uma situação na pele acho difícil opinar...

Beijo!

Paloma, a mãe disse...

Rô, não li as matérias recentes nem sei se faria o DNA, mas esta história dele é muito nojenta mesmo, os estupros, as coisas que ele fazia com as mulheres dopadas no consultório, ele é muito nojento.
E sabe que ele está foragido no Líbano, com uma mulher bem mais nova que ele e vai ser pai de gêmeos, né? Eu tenho muito nojo é dela também, de estar casada com um monstro destes, estuprador (imagina ser casada com um estuprador) só porque ele é rico.
Toda esta história me dá nojo, por isso nem leio mais.
Nestas horas, só dá para se revoltar ainda mais contra o Brasil e contra Gilmar Mendes, defensor número 1 de Danieis Dantas e Rogers Abdelmassihs da vida. Asco!
Beijos

Celi disse...

Roberta,
Que horrível! Inacreditável a pessoa que consegue dormir tranqüila fazendo tanta crueldade. Um absurdo! Onde vamos parar...
Sei lá se faria o teste de DNA. Uma pergunta difícil. Isso nāo mudaria em nada o amor pelo meu filho, porém a depender do resultado ficaria revoltadíssima com esse monstro. Medo! Revolta! Curiosidade! Uma mistura de tudo.
Beijos

Agláia Tavares disse...

Roberta,eu li a reportagem e realmente é revoltante. eu fiz inseminação numa clínica no RJ e pela minha cabeça passou mil coisas qdo li !
Sobre a Fátima Bernardes, se é que vc estava se referindo a ela, ela não fez o tratamento lá, mas sim numa clínica pequena em SP a qual ela cita em entrevista à repórter Claudia Colucci do blog Quero ser mãe. bjs, Agláia

Fabiana disse...

Desde que engravidei da minha caçula não consigo mais lidar com notícias duras... às vezes me sinto até um pouco alienada... mas tem sido assim. Joana já tem 7 meses e eu continuo hiper sensível e assustada.
Essa aí é uma dessas notícias que não me dá vontade de ir atrás de detalhes. É triste, revoltante. E preocupante, pois somos muito vulneráveis!
Mas respondendo sua pergunta... não faria exame de DNA. De uma forma ou de outra o filho teria crescido na minha barriga, saido de dentro de mim, mamado nos meus seios e criado com todo o meu amor. O DNA mudaria o quê? Eu não "devolveria" meu filho pro monstro criar!
bjs
Fabiana
http://2-ao-quadrado.blogspot.com

Gleice disse...

Um monstro total!
E um vergonha ele ter conseguido habeas corpus. Creio que conseguiu por ser rico...

Eu não faria o DNA não... mas acho que se estivese na condição desses casais estaria com a pulga atrás da orelha.

Kelly Resende disse...

Também não consigo responder essa pergunta, eu acredito que não faria, mas não sei se a dúvida me deixaria pra sempre abalada... O que me deixa chocada é como esse monstro foi solto, pelas mãos de um ministro!!! Só nesse país mesmo pra acontecer isso.
Beijos