quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Amor ou agressividade entre irmãos

Luísa acorda muito mal humorada. Fica na cama dela berrando e choramingando "mamaaãe" e só para quando eu chego lá. Ainda assim, quase todos os dias ela continua na manha por um tempo e há dias em que esse chororô se estende até depois do café da manhã. Marido diz que ele era igual quando pequeno, então ela tem a quem puxar. Mas que é um saco quando ela está assim, isso é.
Eu não sou mal humorada de manhã, mas levo um tempo pra entrar em sintonia. Gosto de ficar quieta, sem conversar muito, fazer as coisas com calma. Só desperto rapidamente depois de tomar banho. Agora imagina uma pessoa assim tendo que aguentar outra berrando na orelha logo de manhã. Aí sim, fico de péssimo humor.
Mas ultimamente descobri um jeito de Luísa acordar bem e sorridente: se a Rafaela já estiver acordada, levo ela junto ao quarto da Luísa. Incrível como ela imediatamente levanta e começa a sorrir e a fazer carinho na irmãzinha. Não é o máximo?
As duas têm uma cumplicidade incrível que me enche de orgulho. Rafaela dá gargalhadas deliciosas com a Luísa e a irmã mais velha cuida da pequena com o maior carinho e atenção. Lê pra ela, abraça, faz graças. Tá certo que às vezes ela exagera nos apertões e eu tenho que apartar um pouco pra ela não espremer a irmã, mas ainda assim acho muito melhor do que ver minha filha agredindo propositalmente a irmã.
Luísa tem duas amigas e um amiguinho que tiveram reações horríveis depois do nascimento dos irmãos. Agressões propositais a ponto de a menina mais velha pedir para a babá colocar o menininho no colo dela e ela então arremessar o moleque na cama. Por sorte ele não foi para o chão. Outra teve que levar o filho ao psicólogo pra ajudar o garoto a aceitar melhor o irmão, que sofria agressões físicas com frequência (apertava o travesseiro na cara dele, jogava brinquedos no bebê etc).
Difícil julgar ou tirar conclusões, até porque cada criança é de um jeito e cada família também. Mas, no caso dos amigos da Luísa que tiveram essas reações agressivas, posso afirmar que, em todos eles, o primeiro filho era absolutamente mimado. Primogênitos que faziam o que queriam em casa, eram criados pelas babás e tinham tudo o que queriam. Quando chegou o irmão/irmã e perceberam que o reinado de filho único havia acabado, reagiram assim tão agressivamente.
Não sou psicóloga, mas acho que vale a reflexão.

26 comentários:

Minha Filha Minha Vida disse...

Boa tarde, como estão lindas suas piquenas, tanto por dentro como por fora .... eu era louca para ter uma menina e agora tenho pra mim será um sonho ter duas, rsrs !!!!

Beijos de uma fã deste cantinho

Ana Carolina disse...

Meu priminho mordeu o dedinho da irmãzinha recem nascida por puro ciume.

BJ

Ana Carolina
www.quasemaepai.blogspot.com

Ana Paula disse...

Lindas fotos, cumplicidade pura!

Naiara Krauspenhar disse...

Você tem sorte mesmo Ro, porque acontece muito esse lance de agressividade, ainda mais quando o irmãozinho não era desejado.
Lá em casa o mais velho é um homem, e eu sou a seguinte.
Ele queria um irmão. E pra seu total desprazer veio uma irmã.
Eu era uma pedra no sapato dele... rs
Ele ia nos vizinhos e perguntava se eu podia morar lá porque na nossa casa não tinha espaço pra mim.
Minha mãe quase morria de vergonha.
Ele tentou me jogar na lata de lixo uma vez.
Isso tudo minha mãe conta e hoje a gente dá risada... mas na época, conta minha mãe, que passou apuros.
Hoje somos grandes amigos, então penso que um bom diálogo aos poucos ajuda a resolver.
BJooooo

Patrícia Boudakian disse...

Rô, acho que a maneira como educa a Luísa influencia e muito em como ela enxerga a irmã. Esses casos de agressividade são horríveis. Acho que os pais têm que tomar cuidado para não mimar excessivamente o primeiro filho.
Quando você escreve sobre esse amor entre Luísa e Rafaela eu acho a coisa mais linda do mundo! Parabéns, tenho certeza que parte disso é mérito seu e do maridão.
A Luísa está linda demais, apesar de só te conhecer por foto, a acho muito parecida contigo. E Rafa, uma fofura!
Beijo e feliz 2011! =]

Renata disse...

Ro, eu acho que a sua reflexão faz sentido sim.
Eu, felizmente, tb não tive problemas com o André. Os dois tem uma interação linda...ele adora a irmãzinha e os olhinhos dela brilham quando olha pra ele. Uma delícia de se ver.
beijinhos

Renata disse...

Ah, e o que são essas fotos?? Lindas demais!!!
mais beijos

Re disse...

Que lindaasss...acho que o ciumes entre irmaos tem um pouco da criaçao do primogenito e um pouco da personalidade da criança. Sou caçula de 4 e meu irmao acima de mim perdeu o trono com 1 ano e 3 meses (ele era o 3 filho, portanto, nada de paparicos), mas mesmo assim, morria de ciumes de mim..tanto que eu demorei para andar, pq td vez que eu ficava em pe, ele vinha por tras e me empurrava, rs. Acho linda a relaçao das suas filhas, parabens. Bjs

Priscilla disse...

Realmente as fotos estão lindas!

Essa cumplicidade enche nossos olhos de lágrimas, não? E dá orgulho perceber o quanto elas estão em sintonia!

Aqui em casa minha mais velha é mãezinha da mais nova: quando ela machuca procura primeiro o beijo "cura-dodói" da irmã e, se sobrar um espacinho, a mamãe pode dar um beijinho tb!

Bjs
Priscilla
mae-de-duas.blogspot.com

Coisa de Mãe disse...

Rô que fotos lindas...tem coisa mais sincera do que esse amor?
Aqui em casa tenho três e graças a Deus nunca houve agressão. Ao contrário, sempre fiz um participar muito da vida do outro, desde as "barrigas" que tive e deu super certo! E quanto maior o incentivo a essa proximidade, a essa participação na vida do outro, melhor pra todo mundo!

Parabéns pelas lindas filhotas!

Ivana

Gabriela Gomez disse...

Lindas as fotos mesmo!
Ainda bem que aqui em casa também sempre deu tudo certo.
Hoje foi um amor, perguntei ao Matheus (3 anos) se ele queria ir na colônia de férias, prontamente ele perguntou a Thaís (1 ano e meio) vai? Eu disse que não. Ele respondeu ah então não vou, quero ficar com ela.
Achei tão fofo.

Kelly Resende disse...

Roberta, sempre acompanho seu blog mas quase não comento. Suas filhas são lindas e essa cumplicidade entre elas é demais. Aqui ainda não decidimos se a Clara terá ou não um irmão(irmã), mas tenho medo que ela fique mimada, fico sempre me policiando.
Abraços

Carol Garcia disse...

aaaaaaaaaaaaaaa....
rô até esqueci de tudo o que vc escreveu depois das fotos.
estão bárbaras essas duas.
lindas, trsnbordando de amor uma pela outra.
vcs estão de parabéns.
serão fofas de tão cúmplices.
kkkkkkk
dois beijos.

Regina disse...

Oi Rô! bom dia!
Que delícia de post! Família unida é sempre muito bom e sempre muito positivo para todos e para o desenvolvimento das pequenas!!
Como psicóloga, digo que realmente é muito comum a dificuldade que muitas crianças enfrentam quando chega um irmãozinho na família. É muito difícil para muitos lidar com essa "perda" da atenção, dos cuidados e muito mais...

beijos

Lia disse...

Que fofura!
Acho que vale mesmo a reflexão. Engraçado é que o "mimo", que era pra ser uma coisa boa (carinho, afeto, atenção), se tornou pejorativo. A criança mimada ganha bens, ganha permissividade, ganha liberdade excessiva. Mas muitas vezes são justamente essas que carecem da presença ativa dos pais, que têm de suprir sua ausência eliminando os "nãos". Acho que criança mimada muitas vezes é criança mal-amada, com uma insatisfação tão profunda que precisa consumir tudo o que vê pra tentar tapar o buraco.

Lia disse...

Que fofura!
Acho que vale mesmo a reflexão. Engraçado é que o "mimo", que era pra ser uma coisa boa (carinho, afeto, atenção), se tornou pejorativo. A criança mimada ganha bens, ganha permissividade, ganha liberdade excessiva. Mas muitas vezes são justamente essas que carecem da presença ativa dos pais, que têm de suprir sua ausência eliminando os "nãos". Acho que criança mimada muitas vezes é criança mal-amada, com uma insatisfação tão profunda que precisa consumir tudo o que vê pra tentar tapar o buraco.

Dani Meggiolaro disse...

Olá, Roberta!
Adoro seu blog. Tenho duas filhas como você, uma de 2 anos e meio e outra de 3 meses. A mais velha está bastante enciumada, mas ama a irmãzinha de paixão, assim como a Luísa ama a Rafaela.
Escrevo, na verdade, porque estou enfrentando um problema bem parecido com o seu, já descrito em um post antigo: minha caçula rejeita meu seio direito de tal forma que quase não tenho mais leite nele. E pior,com a produção apenas de uma mama, de um mês prá cá ela só ganhou 400g. Fui ontem ao pediatra e ele receitou Equilid, além de me orientar a insistir com o seio direito (de cada 1 mamada no seio cheio, 2 no vazio) até a produção se normalizar. Por enquanto não vi nenhuma mudança e já estou entrando em desespero. Sei que não devo, pois o psicológico é tudo na amamentação. Por isso gostaria de saber o que você tem feito com a Rafaela? Ela voltou a mamar no seio direito? Você só está dando o esquerdo? O que você tem feito?
Um beijo grande e obrigada, desde já, pelo desabafo.
Daniella.

Dani disse...

Fotos lindas, historia mais linda essa de vocês! Ai, não preciso nem dizer que me derreti toda aqui vendo elas né!
Sabe, Rô, vendo essas fotos, me lembrei tanto da minha infância com minha irmã! Eu vivia pendurada no carrinho dela. Tinha esquecido dessa imagem...e acabei lembrando vendo a Lu aí, toda carinhosa!
Que bom que a Alice tá chegando!
Beijo, querida!
Dani

Sarah disse...

Vale sim a reflexão. Sou caçula de 4, mas em casa o maior problema de ciúmes veio da segunda para a terceira filha. Quando a terceira nasceu a segunda tinha pouco menos de dois anos e sentiu que "perdeu o trono". Não chegou a essas agressividades que vc descreveu, mas a atitudes menores que demonstravam o ciúmes - que às vezes, dá as caras até hoje.
Concordo com as meninas, esse amor e cumplicidade da Luísa e da Rafaela são méritos seu e do pai!
Por fim, as fotos estão demais mesmo!
beijos

Bianca disse...

Lindas....

TÔ apaixonada.....

Se eu não tivesse a Ju, ia pedir as duas pra mim.... Você me dava?

Beijos

Andrea Nunes disse...

Roberta, tu sabe que aqui em casa eu nunca tive receio disso, minha intuição dizia que tudo ia ser muito tranquilo entre a Natália que foi filha única por sete anos e a Andressa que chegou agora. Eu e o marido procuramos sempre mostrar a ela como seria boa a vida com uma irmã, como era bom nós, pai e mãe termos irmãos e acabou que ela implorava por um bebê tinha muito tempo.

A pequena fez 4 meses sem que a Nati tenha tido nenhuma reação negativa com a irmã, vejo que ela me imita no carinho, nos cuidados e até mesmo repete as frases que eu falo com a maninha.

Esses dias eu falei, "ai, ai lá vou eu de novo que a maninha não para de chorar hoje, tá chatinha chatinha" ela prontamente me recriminou dizendo: não fala assim mãe, ela é um bebezinho não quer ficar sozinha"

Morri de orgulho.

Tuas pequenas estão lindas demais!

beijoca

Fabi Saba disse...

Que gracinha! Tambem tenho duas meninas, a mais velha de 2 1/2 e a pequenina de quase 3 meses. As duas primeiras semanas foram dificeis pq a Victoria estava bem chorosa, e brava comigo, mas nao com a irma. Mas agora, eh incrivel ve-las juntas. Alias, eh um relacionamento magico. A Victoria ama a irma, quer cuidar dela, faze-la rir, abraca, aperta tanto que outro dia a Rebecca ate deu uns gritinhos no meio do abraco... Claro que as vezes da um ciuminho e dai ela diz que a Rebecca cansou de ficar no meu colo e quer deitar no berco, ou que ela quer ir pro colo de outra pessoa, e eu as vezes deixo e falo, eh mesmo ela quer deitar e pego a Vi um pouquinho, outras vezes eu digo que a irmazinha precisa de colinho naquele momento, mas na maioria das vezes eu sento e fico com as duas princesas no meu colo, e apesar de apertado, esse eh o jeito que eu mais gosto (:


http://fabisabany.blogspot.com/

Fabi Saba disse...

Daniela e Roberta, eu tambem estou tendo esse problema. Meu seio esquerdo parou de produzir leite entao eu dou o direito e depois a formula. Ainda assim sempre tentoo esquerdo na esperanca de que ele ira produzir algo. Fui a acupuntura e nada. Agora estou tomando umas ervas que eles me receitaram e tem ajudado na producao de leito do direito, mas o esquerdo continua sem nada. Acredito ser um problema anatomico pois fiz uma biopsia nesse seio ha muitos anos, mas talvez tenha deixado alguma sequela. Mas caso voces tenham alguma dica tambem gostaria de saber.
Bjs

Priscila disse...

A melhor coisa do mundo é ver esse carinho entre os irmãos, né?
Eu baaaaabo!!!! Sempre quis ter mais de um filho pra ver isso, essa cumplicidade, esse amor, essa amizade. Que continuem assim. Os meus e as suas!
Bjs.

Chris Ferreira disse...

Oi Ro,
a minha mais velha, Ana Luiza, também acorda super mal humorada. Depois do meio dia parece que é outra pessoa.
E eu que acordo de bom humor também acho isso um saco. Mas temos que ir nos adaptando, né?
beijos
Chris
http://inventandocomamamae.blogspot.com/

(Mamãe) ~Pinel disse...

É maravilhoso o companheirismo dessas duas!
E olha que só está começando! =D
Lindas!!! Muito muito muito!

Beijo!