segunda-feira, 31 de maio de 2010

Da série "Mamãe, não tenta me enrolar"

Eu e minha mãe tentando terminar uma conversa e Luísa querendo atenção. Então, para dar uma distraída, pedi que ela fosse buscar no quarto dela o livro novo pra ler para a vovó ("A Casa Sonolenta", que eu comprei dessa lista aqui e ela ama). Ela sai correndo para o quarto enquanto nós conversamos mais um pouco.
Logo volta com o livro:
- Vovóóó, lê pa mim!
E eu tento mais uma vez:
- Filha, pega lá também o "Não Confunda", que você adora.
E ela sai correndo de novo.
A conversa anda mais um pouco. Faltando quase nada pra minha mãe terminar de contar a história, Luísa chega com uma pilha de livros. Acho que justamente pra eu não pedir mais nada.
- Filha, acho que tem mais livros novos lá no quarto pra você mostrar pra vovó, não tem?
Séria, ela olha pra mim, senta na cadeira e fala:
- Agora vai você, mamãe, eu tô cansada.

sábado, 29 de maio de 2010

Toot & Puddle


Nova paixão aqui em casa (da Luísa e minha também) é o desenho Toot & Puddle, que passa no canal fechado Discovery Kids. Gente, que fofura é aquela??
Pra quem não conhece, são dois porquinhos fofíssimos que se aventuram em viagens pelo mundo. Mas o mais legal é que as paisagens e grandes pontos turísticos correspondem a lugares reais. Em Paris, por exemplo, eles passeiam pelo rio Sena, pela Torre Eiffel... Na Holanda, passam pelos canais de Amsterdã (só não vão ao Red Light District hehehe), visitam os moinhos e os campos de tulipas...
É uma experiência cultural super interessante para crianças e até mesmo para adultos.
Além disso, os porquinhos são super educados e mostram o quanto é importante respeitar as diversidades e tratar bem as pessoas. Quem não conhece, vale a pena.

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Sangue no nariz

Maior susto quando a babá entra aqui no escritório pra mostrar que estava sangrando o nariz da Luísa. Isso nunca tinha acontecido antes. Liguei rapidamente para a pediatra e ela me disse que isso é normal acontecer em períodos do ano mais secos. A mucosa do nariz fica ressecada e pode estourar algum vasinho.
A solução, segundo ela, é colocar uma bolsinha com gelo do lado de fora do nariz e pressionar, com a cabeça da criança levemente para trás, para estancar o sangue. (Primeiro você pega uma camisa de força ou então amarra os braços e pernas da criança, além de segurar fortemente a cabeça, porque essa tarefa é quase impossível de ser realizada sem ser à força - bom, pelo menos aqui em casa foi assim, vai que outras crianças fiquem quietinhas).
Depois, mais tarde, se quiser, pode colocar um pouco de soro para hidratar. Mas só.
Então fica a dica se alguém também tomar esse sustinho nesse inverno. Mas, é lógico, é sempre bom consultar o pediatra de confiança também.

terça-feira, 25 de maio de 2010

Travei

Duro de gravidez tranquila é que a gente acaba abusando. E mãe de segundo filho acaba tendo uma questão séria para administrar no quesito abuso: o colo do filho mais velho.
E tenho que admitir que andava abusando ultimamente ao carregar a Luísa mais do que deveria. Algumas situações eram meio inevitáveis, do tipo: saía de carro sozinha com ela e ela dormia. Quando chegava em casa, acabava pegando no colo e carregando da garagem até o apartamento, por exemplo. Mas outras situações eram realmente concessão aos apelos carentes da Luísa pedindo colo.
Só que quinta-feira passada eu travei. De repente comecei a andar com dificuldade, sentindo uma pressão mais forte no baixo ventre. À noite a coisa piorou e eu mal conseguia andar. Parecia que eu estava em trabalho de parto, tamanha era a pressão abaixo da barriga. Pela primeira vez, considerando as duas gestações, eu fiquei bastante preocupada. Nem fui ao curso que eu teria à noite. Eu sou naturalmente tranquila e não me desespero com nada. Mas naquele dia eu fiquei agoniada. Liguei para o meu médico e ele me passou uma medicação e me mandou fazer repouso. No dia seguinte, acordei bem melhor e assim fiquei até domingo à tarde. Aí travei de novo, só que com dor na lombar. Também com dificuldades para andar.
Em resumo, fui hoje ao consultório e o médico me disse que eu tive provavelmente uma distensão muscular, que pode ter sido causada por carregar a Luísa de mau jeito (especialmente nos movimentos de pegar no colo). Pode ter sido também em movimentos de me entortar para subi-la na minha cama ou mesmo ao me virar para sentá-la no meu colo. Ou seja, nada grave, grazadeus. Estou ótima de novo. Só que, agora, colinho só sentada. E, ainda assim, ali colocada com muito cuidado.

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Viagens com filhos


Apesar de sempre ficar feliz com o carinho daquelas pessoas que me oferecem selinhos, um em particular me chamou a atenção. Porque desta vez ele tem um significado maior do que um elogio ao próprio blog. Sei que ele tem circulado bastante na rede, até porque chega uma hora em que os destinatários começam a se repetir. Mas eu realmente me identifiquei com esse, que é sobre viajar com filhos, que recebi da Carol, do Viajando na Maternidade.
Luísa viajou de avião pela primeira vez aos dois meses de idade. Foi numa viagem a Brasília em que eu fui sozinha com ela. Depois ela já viajou com a gente muitas outras vezes, para lugares bastante diferentes. Até para a Europa a mocinha já foi, quem diria! E olha que a mãe dela foi ao exterior pela primeira vez aos 19 anos...
Também fomos a Buenos Aires, cujas dicas que eu dei aqui atraíram muitos novos leitores ao blog - até rendeu uma matéria na revista Crescer. Fiz também, com a ajuda de mães amigas que moram no exterior, listas dos principais termos em inglês, espanhol e italiano que precisamos saber em uma viagem internacional com crianças.
Então, para que esse post seja mais do que um agradecimento ao selinho, segue um link com todos os posts que já escrevi sobre viagens, como dicas para viagem de avião, dicas de passeios e comportamento dos bebês/crianças em fases diferentes. É só clicar aqui.
E, para aqueles que têm medo de viajar com filhos, vai minha dica mais valiosa: faça isso, é bom demais. Mas vá relaxado. Porque em viagem com crianças é preciso ser muito flexível e ter paciência. Deixe suas neuroses em casa. Saiba que é impossível ter tudo sobre controle e que imprevistos ocorrerão sempre. Por isso, é fundamental encarar tudo (ou o máximo possível) com bom humor.

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Organizando por cores


Dia desses eu vi uma foto em algum blog* em que os 'gizes de cera' (como é o plural disso, meldels??) ficavam em uma caixinha separados por cor e achei a ideia incrível. Então resolvemos inventar por aqui (eu e a babá da Luísa, que também adora essas coisas) e criar nosso próprio modelo.
Lembram quando eu ensinei a fazer cestinha de barbante, que eu aprendi no Mr. Maker? A explicação está toda aqui nesse post. Desta vez resolvemos fazer cestinhas de diversas cores pra poder organizar melhor aquele monte de giz que ficava misturado numa caixa só e não despertava muito interesse.
O resultado é este aqui da foto. Ainda não temos de todas as cores porque estamos fazendo as cestinhas aos poucos.
Mas tenho que dizer que foi uma excelente ideia. Primeiro porque, além de participar da confecçcão das cestinhas, a Luísa consegue organizar os gizes nas caixinhas certas das cores. Segundo, porque dá mais incentivo pra usar aqueles pedaços que já estavam quebrados e jogados no fundo da caixa.
Quem não tiver paciência para fazer as cestinhas de barbante (que não ficaram perfeitas, como dá pra ver, mas isso é o menos importante!), pode usar a criatividade: pode pintar ou cobrir latinhas com tecido, cobrir embalagens plásticas (potinhos de Danette, por exemplo) com papel colorido, etc. O grande lance é separar os lápis de cor e gizes de cera por cor, pra ficar mais organizado.

*Descobri! Foi no blog da Camila, o Mamãe Tá Ocupada

terça-feira, 18 de maio de 2010

Diálogos

- Dá licença (me empurrando da cadeira) que agoRa (ela fala o R assim, bem puxado) eu vou tabalá
- Trabalhar no quê?
- Eu fui no méco hoje e o méco falou que eu tenho que tabalá muuuito, muito.
(Pausa para minha gargalhada)
Levanta do meu colo e fecha a porta do escritório.
- E agoRa eu vou fechá a póta pá ninguém abí. Acabou a moleza.

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Meu maior presente

video

A festinha de Dia das Mães da Luísa foi neste último sábado, uma semana depois da data oficial. Foi legal porque foi uma apresentação musical em que as crianças ficavam sentadas no chão junto com as mães, cantando as musiquinhas que aprenderam com a professora de música.
E o auge pra mim foi essa música delícia que está aí no vídeo, que a Luísa cantou pra mim várias vezes em casa no fim de semana. Juro, cada vez que eu escuto me dá um nó no coração de tanta lindeza. Foi certamente meu maior presente.

sexta-feira, 14 de maio de 2010

Nenê e mamãe

Chega aqui no escritório toda dengosa, depois do banho, e encosta a cabeça nas minhas pernas.
- Óla, mamãe, que cheirosa
- Hummmm, que delícia, filha
- É nenê e mamãe
- Como, não entendi?
- Nenê e mamãe.
- O que é nenê e mamãe?
- É o nome do pessume que eu passei.

Não é pra morder? "Nenê e mamãe" é a versão dela para o "Mamãe e Bebê", perfuminho da Natura que a babá havia passado nela depois do banho.

quinta-feira, 13 de maio de 2010

Você dá água para seu filho?

A Bonafont me mandou algumas dicas bacanas sobre consumo de água e achei interessante a tabela sobre a quantidade recomendada para darmos às crianças e bebês diariamente (na verdade, a recomendação é do Instituto de Medicina dos EUA). Os especialistas dizem que o ideal é oferecer água sempre, e não esperá-las pedir. Veja a tabela abaixo:

7-12 meses: 0,8 litros/dia
1-3 anos : 1,3 litros/dia
4-8 anos : 1,7 litros/dia

Eu confesso que, depois que vi essa tabela, fiquei preocupada. Preciso aumentar bastante a quantidade de água que minha filha bebe diariamente.

COMENTÁRIO POSTERIOR: A Fabi deixou um comentário interessante aqui nesse post, falando sobre a controvérsia que existe entre alguns especialistas sobre a quantidade indicada de água. Lógico que a Bonafont, como ela lembrou, tem interesse em divulgar os índices mais altos. De qualquer forma, todos sabemos que a água é extremamente importante para o organismo e é preciso criar o hábito de bebê-la, sim. Tem gente que não bebe um copo de água sequer por dia. E esse assunto me fez pensar, sim, que eu deveria oferecer mais água para a Luísa do que costumo oferecer. Lógico que não vou obrigá-la, mas vou deixar sempre a água disponível por perto.

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Quiz - O que é mais sexy?

1) O andar de uma grávida, segurando a lombar, aos 8 meses de gestação
2) O movimento de abaixar com as pernas abertas (e o barrigão no meio) para pegar algo no chão
3) A calcinha bege gigante a la Bridget Jones pra segurar a barriga
4) Os lindos e fofos sutiãs de amamentação
5) As delicadas meias de compressão (conforme descreveu a Mari)
6) A pança aparecendo enquanto você levanta a blusa para amamentar o bebê
7) As cintas pós-parto

terça-feira, 11 de maio de 2010

Grávidas têm TPM?

Porque há dias em que eu fico tão irritada, ansiosa e sem paciência com as pessoas que eu poderia jurar que estou de TPM.

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Leoa

Eu tinha por volta de um ano de idade quando minha mãe engravidou novamente. Ela sonhava em ter três filhos com pouca diferença de idade entre eles. Tudo corria bem na segunda gestação (isso era 1977), mas ela estranhava que a barriga estava grande demais. Aos seis meses, ela usava as roupas que usou quando foi para a maternidade na primeira gravidez. Mas um dia, aos 6 meses de gestação, ela se sentiu mal. Travou, não conseguia sair do lugar nem se mexer para pegar o telefone. Achou que estivesse perdendo o bebê. Quando conseguiu telefonar, ligou para minha avó "postiça", já que a mãe dela havia falecido anos antes e ela não queria assustar meu pai. Minha avó a levou pra casa dela. E ela ficou lá repousando. Quando meu pai chegou para buscá-la, resolveu levá-la imediatamente para o hospital. Naqueles tempos não existia ultrassom e os exames eram muito mais precários e menos precisos do que hoje. Foi para o raio-x pra ver o que se passava.
Descobriu que ela não estava grávida de um, mas de dois. E aquele medo todo se transformou em uma emoção indescritível. Ela teria seus sonhados três filhos, só que dois viriam de uma só vez.
Foram pra casa e ficou tudo bem. Mas ela ficou enorme. Era magra, mas a barriga, de lado, tinha a largura de uma janela. Dormiu um mês sentada e comia com o prato sobre a barriga. Foi até 40 semanas de gestação, e o médico então marcou a cirurgia.
Naqueles tempos também não se sabia o sexo com antecedência e também não se conseguia calcular o peso dos bebês.
Foi para o centro cirúrgico. Primeiro, nasceu uma menina. Peso? 3,200kg. Enorme para uma gravidez gemelar. Então todos já se prepararam: o próximo deverá ser muito pequeno. De repente, aparece o pé do segundo filho e o médico exclama:
- P-u-t-a-q-u-e-p-a-r-i-u!!! Todos riem.
E sai o moleque. Meu irmão pesava 3,800kg!!!!
Minha mãe tinha simplesmente 7kg de criança na barriga. Até hoje nunca ouvi alguma história parecida. Meu médico, quando soube, ficou abismado. Também não conhece nada similar. Até porque hoje em dia dificilmente gêmeos nascem com 40 semanas.
Sei que os dois nasceram ótimos e saudáveis. Minha mãe, lógico, teve como passivo uma sobra de pele na barriga que teve que ser retirada com cirurgia plástica anos depois.
Minha homenagem nesse dia das mães vai pra ela, essa leoa que é a minha mãe. Que a vida inteira cuidou e defendeu seus três filhos com unhas e dentes. E agora, além de uma mãe maravilhosa, ela é a avó que toda criança sonha em ter. Eu e meus irmãos infelizmente não tivemos a sorte de ter uma avó assim, mas minhas filhas e meu sobrinho graças a Deus têm a vovó Lúcia.
Beijos, mãe. Ontem já te dei muitos pessoalmente, mas hoje fica aqui minha homenagem pública.
E, mesmo atrasado (ou não, porque isso vale para todos os dias), transmito aqui meu beijo grande a todas as mães leoas que acompanham esse blog. Ah, e esse texto aqui da Lya Luft está lindo, vale a pena ler.

sexta-feira, 7 de maio de 2010

As festas imaginárias

Esta é a nova mania do momento: as festas imaginárias. Meu Deus, que delícia que é isso. Quase toda noite tem festa aqui em casa.
Luísa se arruma (às vezes coloca vestido de festa mesmo), passa maquiagem (isso de mentirinha) e depois começa a ligar para os amiguinhos pra confirmar presença na festa. Pega o celularzinho dela e telefona para todos os coleguinhas da escola: "Oi, Marina! Tudo bem? Você já está vindo? Vem logo, a féta já vai começar! Tá bom, beijo, tchau". E já liga de novo: "Oi, Joaquim, você tá demorando muito! Beijo, tchau". E assim vai.
Daqui a pouco começa a tocar a campainha de casa e os amiguinhos vão chegando. Ela vai até a porta recepcioná-los, dá beijinho e convida pra sentar no chão. Depois eles começam a comer os salgados e sempre tem a hora dos parabéns.
Um dia a festa é de aniversário de alguém, outro dia é festa só de meninas, outro só de meninos. Teve até churrasco, já. Dia desses meu marido chegou do trabalho no meio de uma festança imaginária e perguntou se podia participar: "Não, papai, hoje é festa só de meninas, amanhã você pode. E não senta aí porque a Ana Luísa já está sentada". Então, tá.
Essas brincadeiras têm aguçado a imaginação dela de uma forma muito legal. Aliás, fica aqui a dica para quem tem crianças nessa idade. Uma festa dessa é capaz de entreter uma criança por um bom tempo. É só a gente estimular.

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Pesadelo

Tive um sonho horrível essa noite. Rafaela já tinha nascido, mas havia pouco tempo. Nesse sonho eu acordava de manhã, fazia umas coisas e só depois eu me dava conta que a bebê tinha que mamar. Na verdade, eu havia me esquecido de amamentá-la desde o dia anterior, e ela estava quietinha no berço com fome. Parecia até meio doente, desnutrida.
Jesus, que coisa horrível. Sei que a gente fica mais relaxada na segunda gravidez (eu esqueci de fazer uns exames que meu médico pediu, por exemplo), mas me esquecer de amamentar a minha filha? Se bem que certamente isso não seria possível numa condição normal, né, porque ela iria berrar de fome. Mas no sonho ela ficou quietinha, como se estivesse definhando.
Agora me dei conta que esse sonho pode ter sido influência da história complicada do menino Theo, que li ontem e que está sendo divulgada em diversos blogs. O garotinho, de apenas 5 meses, tem um problema de má absorção intestinal e vem perdendo peso intensivamente. A Luiza, do Potencial Gestante, fez um post explicando bem a história e dando todos os detalhes para quem quiser ajudar. Que esse menino fofíssimo fique bom logo.
E que eu nunca deixe de alimentar minhas filhas, como aconteceu no meu pesadelo.

E o livro do Içami Tiba vai para...


... a Ana Paula, de Porto Alegre, mãe da Sophia! Parabéns, Ana, você vai receber na sua casa o livro "Quem Ama, Educa" autografado pelo Içami Tiba especialmente para o Meu Projetinho de Vida!
O sorteio foi o seguinte: usei a metodologia do Random.org. Foram ao todo 114 comentários (sucesso absoluto!!), sendo que 10 deles eram repetidos ou então de pessoas que não estavam se candidatando ao sorteio. Então sobraram 104 números.
Fiz o sorteio agora de manhã (ontem foi o último dia válido para inscrições) e deu o número 2, portanto a segunda pessoa a deixar seu comentário no post.
Ana, vou entrar em contato com você por e-mail para pegar seus dados, ok?

terça-feira, 4 de maio de 2010

Faro fino

Vi que a Luísa estava chegando da escola e tratei logo de esconder a caixinha de balas de morango diet que estavam sobre a minha mesa no escritório. Porque ela fuça em tudo, a mocinha, da minha bolsa às gavetas.
Quando ela entra correndo aqui pra me dar um beijo e um abraço, a PRIMEIRA coisa que ela pergunta:
- Que xê tá comendo?
- Nada, filha, comi um lanchinho.
- Então por que você tá melada, cheirando chiquete?

segunda-feira, 3 de maio de 2010

O menino fazendo exercício


Luísa senta aqui na mesa do meu escritório, pega um papel de rascunho e minha caneta de escrever em CD (que ela insiste em encontrar no meio de mil outras canetas, coisa incrível - e pior é que aquela desgraça, quando risca a roupa, não sai nunca mais).
Daí ela rabisca uma coisa, quase psicografando, de tão rápido, e me entrega o papel.
- Óla, mamãe, um menino fazendo zecício.
Juro, fiquei impressionada com esse desenho, considerando que a Luísa ainda não tem nem 3 anos. Ela tem uma habilidade manual incrível. Às vezes acho que minha filha é o ser mais esperto, inteligente e criativo da face da Terra. Depois me dou conta que só sou mesmo igualzinha a todas as mães...
PS. Mas, falando sério, esse desenho (e a explicação do que se trata) não está demais?