terça-feira, 2 de novembro de 2010

Irmãs


Acho que a pergunta que mais me fazem desde que Rafaela nasceu é como está sendo a reação da Luísa. E essa, evidentemente, é uma das maiores curiosidades (ou preocupações) de quem vai ter ou pensa em ter um segundo filho.
Como tudo o que diz respeito à maternidade, não há regras. Em cada família a coisa funciona de um jeito, portanto o que está acontecendo comigo não necessariamente vai acontecer com todo mundo. Mas eu posso dizer que, em dois meses e meio de vida da Rafa, só tenho a agradecer.

Luísa é uma queridíssima com a irmã. E a Rafaela já demonstra uma super cumplicidade com a Luísa. Encara, gargalha pra ela. É a coisa mais linda do mundo vê-las juntas. Dá até vontade de chorar, às vezes.

Até hoje, Luísa nunca demonstrou qualquer agressividade com a irmã. Beija, faz carinho, segura na mãozinha, chora quando a vê chorando, me ajuda a dar banho. Ela age como se ela fosse realmente uma mocinha e a irmã, um bebê. Chama de fofinha, "epéta" (esperta), lindinha, "gotosinha"... Não deixa ninguém pegar na mão dela sem antes lavar as mãos ou passar álcool gel. Quando a Rafa está chorando e mexendo as perninhas, a Luísa logo avisa que ela está com cocô (e geralmente acerta mesmo). A Lulu não se incomoda, por exemplo, de me ver fazendo gracinhas para a Rafaela, o que eu achava que poderia acontecer. Ela entra junto na brincadeira e faz carinho na irmã. Só sendo mãe e pai pra saber quanta felicidade é ver as duas nesse carinho, com tanto amor. Torcemos para que elas sejam sempre muito companheiras - apesar de sabermos que ainda existirão muitas brigas e cenas de ciúme.

Sempre procurei envolver a Luísa em tudo o que diz respeito à irmã, e sempre peço ajuda a ela para cuidar da Rafaela. Acho que isso é uma das regras básicas para quem tem um segundo filho. Essa postura ajuda muito para que a criança mais velha se sinta incluída e importante. Também tenho me preocupado em dar bastante atenção e carinho pra Luísa, ter meus momentos só com ela, e não exigir que ela se comporte como uma adulta, já que ela tem apenas três anos. Mas também continuo sendo firme quando acho que devo. Não ficamos enchendo de presentes ou fazendo tudo o que ela quer só porque agora ela tem uma irmã. Mantivemos firmes as regras de educação e limites, e também acho que esse é outro ponto essencial.

Em relação a mim, evidentemente, há momentos mais delicados de administrar. Mas nada em exagero. Uma criança de três anos, com ou sem irmãos, naturalmente tem seus muitos momentos de manha, de birrinhas. E, é claro, em um momento desses de "quero a mamãaaaaaaaae", ela simplesmente quer a mamãe. E se a mãe está amamentando, ela quer o colo da mamãe do mesmo jeito. No início foi um pouco mais complicado, porque ainda era muita novidade pra Luísa e ela ainda não estava acostumada a dividir a mãe. Hoje já está mais fácil de administrar. Sempre na base da conversa, do jeitinho, do pedido de ajuda. Mas, ainda assim, às vezes ela me provoca. Como sabe que eu não posso sair do lugar quando estou amamentando, por exemplo, ela às vezes faz coisas pra me provocar, do tipo mexer nas coisas da irmã e me desobedecer se eu peço pra ela parar de fazer algo. No início, essas provocações eram mais frequentes, mas recentemente melhoraram também.

O que eu sei é que a vida com as duas em casa está muito gostosa e mais harmoniosa do que eu imaginava para esse período. Dizem que quando a Rafaela começar a fazer mais gracinhas, daqui a alguns meses, provavelmente Luísa terá mais cenas de ciúmes. Mas isso é esperado e acho que saberemos lidar. Só não consigo imaginar que ela possa vir a se tornar agressiva, porque essa é uma característica que a Luísa nunca manifestou. E desejo que isso realmente não aconteça, para que a marca entre elas seja sempre esse carinho imenso e esse amor tão lindo que chega a doer no coração de uma mãe.

25 comentários:

(Mamãe) ~Pinel disse...

Só com seus posts já dá pra perceber que é pura harmonia mesmo ai na sua casa! =D

Que bom, bom mesmo!
Beijo!

Paty disse...

Lindo o post!!!! Passa uma tranquilidade .... quero que minha filha seja assim como a Luisa com meu segundo filho.... bjs

Paty disse...

Lindo o post!!!! Passa uma tranquilidade .... quero que minha filha seja assim como a Luisa com meu segundo filho.... bjs

Carol Garcia disse...

E elas já são uma dupla dinâmica.
fofas!

bjocas lilás

Maikely disse...

Amei ler seu post... Tenho amigas que terão o segundo filho, e sempre falo isso pra elas, de inserir o primeiro filho em tudo (nos cuidados, brincadeiras..) porque assim, eles se sentem como se devem sentir "o irmão mais velho", responsável! Bjokas

Mamãe do Matheus disse...

Que linda a cumplicidade das duas manas!!
Que elas sejam sempre assim!
Beijinhos e ótimo restinho de semana para vcs!
Danny e Matheus
www.mamysdematheus.blogspot.com

Sarah disse...

Ai que delícia Roberta! Vocês estão sabendo levar tudo com tanta maturidade!! Envolver a Luísa nas atividades com a irmã, mas sempre lembrando que ela também é pequena é muito bacana. Com certeza esse é o segredo para levar a maternidade com serenidade.
beijo!

Vilany disse...

pois é, eu tbm com medo q meu filho ficasse com ciumes da irmazinha, mas q nada ele adoraaa ela, quer cuidar, quer participar de tudo , somos abençoados ... beijooooos adorei esse seu post

Anna disse...

Tão bom ouvir um relato como esse!

Meu Miguelito está quase chegando e me pego muitas vezes pensando em como será a convivência dos irmãos.

Beijos pra todos!

Kah disse...

Ah... mas, vai, que graça teria se fossem tudo mil maravilhas? Tem que ter história para contar quando elas estiverem grandes! hahahaha

Que bom que está tudo fluindo. Que continue assim!
Beijão!

Anne disse...

Ah, que demais. tenho uma irmã mais nova e fomos criadas também na base da cuplicidade: melhores amigas até hoje!
Mães de mais de um são heroínas para mim!
Bjos
Anne
mammisuperduper.blogspot.com

Dani disse...

Seeeeeeem querer puxar a brasa para a sardinha das mães (virei a maior corporativista desde que entrei no clubinho...), eu acho que esta harmonia é reflexo, sim, da forma como os pais lidam com a chegada do segundo filho. Vocês estão de parabéns por saber orientar bem a Luisa neste momento que é delicado.
E acredito que a Luisa, a meiguice personificada, não vai ter episódios de agressividade com a irmãzinha...
Linda foto
Beijos

Ana Carolina disse...

Amor entre irmãos é maravilhoso!

BJS

Ana Carolina
www.quasemaepai.blogspot.com

Eu + Ele = 3 disse...

Sempre morri de pena de filhos únicos por isso! O amor entre irmãos é lindo e sublime. É um amor diferente de amor de pai, de amor de amigo, de amor de filho: é um amor único.
Ah, e quando eu era criança minha mãe disse que eu usava o trocador da minha irmã pra trocar minhas bonecas e quando sumia alguma coisa da cômoda podia contar que estava sobre o meu criado mudo. Santa Paciência da minha mãe hein!?
Beijos

Pinguinho da Mamãe disse...

Que delícia!!!
Lindas!!
bjs
Ju

Avassaladora disse...

Roberta,
no momento esse é o meu maior medo. Porque o Gui é mais novinho que a Luisa e acho que vai sentir bastante.
Tomara que eu esteja enganada e que tudo sejam flores pra mim também!

Micheli disse...

Que lindo, Roberta! Já começaram bem, acredito que ela serão sim, muito amigas, que briguinhas normais virão, mas com certeza a cumplicidade será maior que tudo. Parabéns para vc pela linda família!
Beijos.

Re disse...

Que linda essa relação. Realmente envolver a primogenita em tudo que diz respeito a bebe, deve ajudar muito, quebra a barreira e ela se sente como parte daquilo tb. Bjs

Maya disse...

Que lindo!
Se a Luisa está agindo tão bem é pq vcs souberam lidar mto bem com a situaçao! Parabens! Espero que a Julia tb se comporte como uma mocinha qdo encomendarmos uma irmazinha ou irmaozinho!!!
Bjos

Nine disse...

Adoro ler as suas impressões sobre o 2o. filho! Eu penso em encomendar o meu em 1a ou 1a e meio. Eu sou a mais velha de 3 irmãs e sei bem o que a chegada de novos filhotes na família pode causar ao primogênito, principalmente se não for bem conduzida. Eu amo minhas irmãs, são minhas amigas, companheiras e quero que a minha filha tb tenha essa convivência! Beijos!

Marina disse...

Rô,

confesso que no meio dessa geração de filhos únicos, quando vejo relatos assim fico MUITO FELIZ!
Bia certamente não será filha única, e so não tenho uns 5 filhos porque, vamos combinar que filho é hobby de rico, né? hahahahaha Mas se me der a louca passo a vida parindo!

beijos nas suas meninas lindas e maravilhosas e beijo em vc por ser uma mãe tão empenhada em fazê-las felizes!

Flavia disse...

Rô,

cabe dizer que vocês têm uma grande parcela de responsabilidade da "facilidade" da Luíza de aceitar e amar a irmã.

Por isso tenho certeza que se o cíume da pequena aparecer, tanto a Luiíza quantos vocês vão saber administrar muito bem a situação.

Parabéns familia!


beijo grande

Mari disse...

Lindo post! Linda imagem! Linda relação! Parabéns! Com certeza elas vão crescer muito unidas!
Bjos!

Dani disse...

Rô, cê já sabe eu amo quando vc faz esses posts, né.
Já tinha lido no dia que vc publicou, mas, menina...tava uma correria só por aqui e acabei não comentando antes.
Aliás, só pra variar um pouquinho, chorei até quando li.
Rô, agora com quase 7 meses de gestação, vem me dando uma vontade enorme de ter a Alice aqui do lado de fora. E acho, sim, que aqui as coisas também vão dar certo. Passou aquele medão, sabe. Fico vendo a Nina, como ela já age com a irmã, e, sim,acredito mesmo que vai dar tudo certo.
E esse seu post me deu mais ânimo e mais certeza!
Agora, me fala uma coisa: a Rafa tá a cara da Lu, heim! Cê também acha?
Obrigada, querida, por deixar a gente participar dessa sua linda história.
Bj.
Dani

Renata disse...

Ro, eu tb tinha medo da fase das gracinhas da Nana, mas o André tb está lidando super bem. Ele tb ri das gracinhas dela, faz graça pra ela dar risada e adora ensinar as coisas pra ela (ensinou a mostrar a língua...rs!)
Espero que continue assim!!
beijos