quinta-feira, 10 de junho de 2010

Que polêmica ridícula é esta?

Sinceramente, não entendo a grande polêmica que tem se dado em torno da obrigatoriedade da cadeirinha nos carros para crianças até sete anos. Então quer dizer que os pais só estão correndo agora para comprar cadeirinha de segurança para não tomar multa de R$ 191 ou levar sete pontos na carteira? E como eles faziam até então? Não estavam nem aí para a segurança dos filhos?
Ok, as cadeirinhas são caras. Também há ajustes que a indústria automobilística precisa fazer na instalação dos cintos de três pontos nos bancos de trás. Mas não vou entrar nesse mérito. O que eu acho é que quem tem dinheiro para manter um carro e tem filhos deveria ter noção clara de que esse acessório tem que fazer parte da conta desde sempre. Deveria ser automático, item essencial do enxoval. Vejo pessoas, independentemente da classe social, que não medem esforços pra comprar um celular bacana ou uma TV de LCD, mas agora, porque virou lei, acham um absurdo comprar uma cadeira para transportar seus filhos com segurança. "Nossa, mas e quem tem três filhos, vai ter que gastar uma fortuna?" Ué, mas esses pais 'responsáveis' não deveriam ter comprado uma cadeirinha a cada nascimento dos filhos, oras bolas, preocupados com a segurança deles?!! E não agora, todos de uma vez, só para não tomar multa?! (Exceção, claro, para quem tem trigêmeos)
Ok, no passado andávamos soltos nos bancos de trás e até mesmo no bagageiro dos carros quando tinha muita gente. Nem os motoristas usavam cinto na cidade. Mas hoje são outros tempos e a informação está aí. Já faz muito tempo que sabemos que as cadeiras de segurança reduzem absurdamente o índice de mortes e ferimentos graves de crianças no trânsito - e vale lembrar que grande parte dos acidentes acontece na cidade, perto de casa, em ruas onde a velocidade não passa de 60 km/h. E os cintos do próprio carro, se usados inadequadamente, também podem causar sérias lesões nas crianças e bebês. Contra fatos não há argumentos.
Minha filha não reclama de ir sentada na cadeirinha sabe por quê? Porque é assim desde que ela nasceu, e segurança não é ponto passível de negociação aqui em casa.
Ah! E aqueles que reclamam que não colocaram porque não conseguiram instalar no carro, então? Se vira, meu amigo!!! Como é que você instala sua TV nova em casa? Te garanto que instalar o bebê conforto é bem mais simples.
Lamentável, lamentável.

38 comentários:

Paloma disse...

Certíssima, Rô. Eu acabei de comprar um carro e a primeira coisa em que pensei foi na cadeirinha. E pensei nisso por uma questão de segurança, e não por conta da obrigatoriedade. bjo
Paloma e Isa

Avassaladora disse...

Nossa, Roberta, também achei tão absurdo isso!
Quer dizer que o povo não usa cadeirinha para os filhos??? Aqui em casa a coisa aconteceu mesmo antes do Gui nascer e ele NUNCA foi transportado sem estar bem seguro numa cadeirinha ou bebê conforto, nem quando vai pro carro da minha mãe!

Juliana Contezini disse...

Que engraçado...eu estava pensando o mesmo, mas fiquei quieta por receio de ser apedrejada, ainda mais qdo pessoas bem próximas de mim estão reclamando...
A minha bebê tbém só anda no carro "amarradinha", desde que saiu da maternidade, mas mesmo assim, tem dia que é um chororô só, já chegamos a cancelar passeios ou determinadas rotas para chegar mais rápido em casa e liberar a figurinha...

Cynthia Santos disse...

Estou revoltadíssima com isso, é um bando de gente irresponsável, que só pensa sim na carteira de motorista e na de dinheiro, fiquei tão braba que também já tinha falado sobre isso no meu cantinho. Ter filhos é ter antes de tudo, responsabilidade, mas parece que tem gente que ou não sabe o que é isso ou não sente amor pelas próprias crias...lamentável.

Tássia disse...

Olá!

Concordo plenamente com o que você falou e complemento, há cada dia a frota de carros e motoristas habilitados aumenta muito e com isso aumenta o número de motoristas imprudentes (prudentes também, é claro) e sabendo disso eu vou expor o meu filho a um perigo maior? Quando eu fiquei grávida (ainda estou, de 28 semanas) uma das primeiras coisas que pensei foi no tal bebê conforto, já que eu não vivo sem andar de carro. E olha que foi um pensamento natural por que eu nem sabia que não era obrigatório ai quando veio essa obrigatoriedade eu pensei, ué será que só eu pensei nisso? kkkk

Beijos.

Karina Dutra disse...

Concordo plenamente com vc!
Eu não tenho carro, mas desde que meu filho nasceu que tenho o bebê conforto e agora a cadeirinha específica para sua idade. Não sou louca, longe disso!
Como ando muito no carro do meu sogro e da minha cunhada, resolvi comprar a cadeirinha, e sempre aviso:
- Tem que ter espaço para a cadeirinha do João!
Já tive discussões homéricas com meus sogros por conta disso, mas nunca abri mão da segurança do meu filho; ou era com cadeirinha, ou não iríamos sair de carro com eles, ponto!

Carol P disse...

Dizem que se mede o nível de desenvolvimento de um país pela educação no transito, e o Brasil é um péssimo exemplo nesse ponto. Não me admira que usar cadeirinha de carro tenha se tornado lei por aqui. Para mim é algo essencial e já escrevi lá no blog minha adoração pelo maxi cosi. Na Europa em geral, por exemplo, não se sai do hospital com o bebê sem o maxi cosi/bebê conforto independente dos pais terem seu próprio carro, pegarem um taxi, irem a pé. E você não vê ninguém discutindo sobre isso. Acho que se pode economizar em certos artigos para nós ou para as crianças, mas quando se fala de segurança, dai não tem preço. Concorde com vc lamentável !!!!!!

Paula Dreger disse...

Mais uma vez vou dizer que adoro seus posts!
Você está certíssima, a criança que foi educada a andar na cadeirinha desde que nasceu não estranha nunca.
Um beijão,
Paula

Mariana disse...

falô e disse!
Mariana

Lia disse...

Concordo 100%. Mas tem muita gente que ainda tem a ilusão de que o bebê estará mais seguro no seu colo. E vai e tira o neném da cadeirinha quando ele chora.

Daniela Freitas disse...

É um absurdo mesmo! Eu fiquei espantada quando li a noticia de que as cadeirinhas sumiram do mercado! Como assim gente?!!!! Alô! td mundo tinha q ter isso faz tempo!
Sobre a dificuldade pra instalar a cadeirinha, uma amiga minha levou em um quartel dos bombeiros e eles instalaram pra ela sem problema nenhum! Quem não conseguir, procure os bombeiros!!!

Micheli disse...

Assino embaixo tudo o que vc escreveu.
Não dá mesmo para entender.
Qto eu morava em Ctba, eu via, no geral, que as pessoas já estão acostumadas a isso. Desde que mudei para o interior, estou assustada: vejo pais, com boa educação e renda, indo buscar seus filhos da escolinha particular e colocando-os soltos no banco de trás. Crianças da idade da minha, alguns com menos de dois anos! Soltas, e sozinhas no banco de trás! Gente, dá pra acreditar em um negócio desses? Eu não acredito!
Em lugares onde a fiscalização não é efetiva, o povo acha que não faz diferença, já que não terão multa, que se dane. Mal pensam na segurança dos filhos, que deveria estar acima de qualquer lei.
Um absurdo.
Bjs.

Renata disse...

Vc já disse tudo no título do post: ridícula essa polêmica! Aqui em casa sempre foi tranquilo também, o André vai numa boa na cadeirinha, até porque não conhece outra opção, nunca andou de outra maneira!
beijinhos, Re

Lais Alves disse...

Concordo com você Roberta!
Falou e disse!

beijos ;*

Adriana Stock disse...

Não posso acreditar que teve esse tipo de polêmica aí no Brasil! Que absurdo! Concordo contigo, Rô.

Paloma, a mãe disse...

Como vc disse: segurança não é negociável. E fim de papo.
Beijos

Angélica disse...

Certíssima.
Aqui em casa também é assim: Desde a saída da maternidade já estava lá seu bebê conforto para o seu transporte. Com três meses ele passou para a cadeirinha "de verdade", rss e ainda hoje continua nela. Agora que ele está com três anos e meio estou pensando em trocar por uma que ofereça um pouco mais de conforto, pois meu príncipe está ficando meio grandinho para essa cadeirinha. E aqui também é como aí: ele nem reclama de sentar lá, pois desde sempre é assim: algo inegociável. Beijos.

Ana - Viajar é tudibom! disse...

Que chata essa polêmica!
é uó verdadeiramente esses pais que estão colocando a boca no trombone pq precisam serem AMEAÇADOS DE MULTA para correrem atrás da segurança de seu bem maior- de seus filhos!
Concordo que deveria fazer parte do enxoval, aqui foi assim, desde a saída da maternidade o Pedro Augusto já foi no "bb Desconforto" que no início confesso que achava ele bemmmm desconfortável, o Pedrinho de pescoço torto todo dobradinho ali me dava aquela dó, mas valeu muito o investimento - ele usou até os 11 meses, pq usar até os 13 kilos de que jeito hein? IMPOSSÍVEL- os fabricantes deveriam mudar essa capacidade- no máximo uns 10 kilos vá lá!
Hj o filhote já desfila com a linda cadeira que recebeu antes de trocar-mos o bb.

Conciencia PAPAIS! Por favor!!!

Dani disse...

Eu não poderia concordar mais com você!

Fe Piovezani disse...

Isso !!!
Mas vou falar aqui de um jeito muito feio, mas é BEM isso !
Você sabe que tem um lado da minha família que é pobre pobre de maré descí, certo ? Entendeu? então tá..e a pobraiada se sente injustiçada, pq ta acostumada a levar criança que nem carroça cheia de alface sabe? pendurada no carro...aí eles perguntam: "Mas e pobre faz o que? Anda de ônibus?" E eu digo: "siiiiiim, anda de ônibus por enquanto, porque daqui a pouco nem de ônibus vai poder ir também." Falei! beijo

Dauro Veras disse...

Concordo plenamente. Ótimo post!

Dani disse...

Ótima Rô. Sei lá, aqui em casa a cadeirinha foi comprada e instalada no carro antes mesmo da Nina nascer. Sem problemas, sem dificuldade. Tem de todo tipo, tamanho e preço. Sem desculpas, gente. Nesse caso não tem o que se falar.
Beijo.
Dani

Priscila disse...

concordo plenamente com vc!! Achei um absurdo prorrogarem a aplicação da lei!!

Andrea Nunes disse...

Roberta, também acho absurdo quem reclama. Minha filha mais velha tem sete anos e desde que nasceu era cadeirinha pra cá e pra lá quando andava no carro dos avós e dos tios. Ela está liberada por Lei e já não usava mais o acento, mas comprei um adaptador pro cinto que ajusta melhor a altura do mesmo para ela.
Tivemos uma história muito triste de um amiguinho dela que faleceu em um acidente de trânsito justamente por estar sem cinto. Gente isso é MUITO MUITO sério. Vivi de muito perto o pesadelo dos pais desta criança.
No meu carro criança não anda sem cinto de jeito nenhum NUNCA!

beijoca

Marina disse...

Pois é, Rô eu tb não entendo o porque da polêmica... Acho que o povo devia achar que cadeirinha era frescurada?
Sei lá!
Bia anda na cadeirinha pra cima e pra baixo.
Agora a questão é se eu compro outra pro carro dos avos ou se continuo carregando a minha...
bj

Gabriela disse...

Oi Rô! Concordo plenamente com o teu post! Desde q saímos da maternidade minha pequena foi p o bebê conforto, hj ela anda na cedeirinha sem reclamações. O problema é q a cadeirinha dela é importada, portanto na tem o tal sêlo do INMETRO... já ouvi de algumas autoridades q cadeirinhas sem o tal sêlo poderão acarretar ao condutor do veículo multa e pontos na carteira. O q devemos fazer?

Anna disse...

concordo em genero, numero e grau.

Meu filho ganhou o bebe conforto antes mesmo de ganhar o berço...

beijos

Camila disse...

Li, concordo e estou te aplaudindo. Os meus filhos estão super acostumados a andar na cedirinha, sem stress e sem escândalo. De vez em quando, me bate uma preguiça, ainda mais quando vamos a um lugar bem pertinho, tipo a escola, que demora 1 minuto de carro, mas não dá para ir a pé por causa das ladeiras. Daí, ponho a Manu só no cinto, no banco de trás. O pior, no meu caso, é ter 3 crianças e ficar trocando as cadeirinhas de carro no dia do rodízio. Mas, fazer o que? Ponho a mão na massa e troco as 3, de um carro para o outro e, no dia seguinte, faço o trabalho novamente. Faz parte, não tem jeito... E o risco é muito grande, não dá para correr, não.
Vai lá no meu blog, escrevi um post e citei você.
Bjos,
Camila
www.mamaetaocupada.blogspot.com

Beta disse...

Falou e disse!
Assino embaixo.

Bjão

Sam disse...

Olá, esta é minha primeira vez lendo o seu blog e já gostei!
Moramos no UK e em Setembro vamos ao Brasil. Nosso car seat já está na lista de coisas para levar, pois só vamos levá-lo no taxi com a cadeirinha segura!
Aliás, este é um outro problema. A quantidade taxis no Rio sem cinto de três pontos é absurda!

bebeaporter disse...

Roberta,
Concordo com você em genero, numero e grau!! Acho isso tudo um absurdo. Meus filhos já sairam da maternidade na cadeirinha. Dizem que anda faltando cadeiras nas lojas mas aqui em Belo Horizonte so essa semana eu fui em umas 5 lojas e todas, TODAS, tinham cadeiras para todas as fases.
Gostaria de te dizer também, que acompanho seu blog (www.bebeaporter.com) já faz algum tempo e gosto muito. AGora, montei um para chamar de meu e gostaria de convida-la a conhecer. Se gostar e for possível deixe um comentário e me ajude a divulga-lo.
Obrigado e Parebéns pelos seu.

Mayara disse...

olá! adorei seu blog e essa postagem!
sou totalmente a favor doq vc disse, devemos prezar pela segurança de nossos filhos!
mas tbm venho para alertar todas as mamães motorizadas! agora pouquinho roubaram a cadeirinha da minha filha do meu carro! um absurdo!! agora terei q comprar outra, pq nao tem como andar sem!! e tudo por causa dessa lei e desses pais irresponsaveis!!
uma sacanagem, to mto braba!
beijos, May.

Roberta disse...

Mayara, como assim, roubaram a cadeirinha do seu carro???? Só faltava essas, agora!!!!

Letícia Volponi disse...

Ro, excelente post. Eu também não entendo a resistência das pessoas com as cadeirinhas. O pior é que conehço muita gente que tem mesmo home theater, troca de carro todo ano e reclama de investir na cadeirinha.

Mayara disse...

oi Roberta!
roubaram sim, acredita?
e ainda cortaram com faca todos os cintos... foi um preju danado, pq tivemos q comprar a cadeirinha no mesmo dia... q raiva!
e aqui em curitiba, ja vi varios casos! portanto fiquem atentas!!
agora, qdo a neném nao ta comigo, eu ja tiro e ponho no porta-malas! vou me prevenir hehehe
adorei seu blog, beijos!

Tchella disse...

eu nao li tds comentarios aqui, na verdade soh dei uma olhada por cima. eu concordo que a cadeirinha é indispensavel, e foi um dos primeiros itens do enxoval que comprei. Pois é, COMPREI, fora do país, antes da tal lei existir... e agora, jose? com certeza a cadeirinha é confiavel, tem varios selos europeus, mas nao tem o bendito selo do inmetro... q q se faz, dai??? vou chorar hein! hehe

www.teacupncake.blogspot.com

Carlos disse...

Entendo as opiniões dadas (exceção de algumas bem preconceituosas sobre pobreza), mas como uma lei que não prevê as pessoas que não tem filhos e eventualmente podem precisar conduzir crianças - em uma emergência, por exemplo - pode ser levada a sério? Ou seja, uma lei mal planejada, claramente criada para favorecer mais um lobby de empresários. Típico do Brasil.
E os fabricantes de cadeirinhas agradecem...

Izinha disse...

Concordo... uma lei mal planejada dessa, só pode estar favorecendo algum lobby.
Mas se a questão é segurança, como ficam as crianças que pegam onibus????? e aquelas que pegam táxi com algum adulto????
Agora independente da classe social é um absurdo o valor da cadeirinha!!! Não estou discutindo o valor da segurança de um filho , pq esta não tem preço. Mas se é um equipamento obrigatório, deveria ser muuuito mais barato assim como é em outros paises em que esta lei já foi implantada a muito tempo. Nos EUA por exemplo custa apenas US$ 25,00 e aqui mais de R$150,00??? Só aqui na Republica Brasilis .... rsss e as pessoas aplaudem..... aiiii vivo num mundo paralelo!!!