terça-feira, 13 de abril de 2010

Estigmas da infância

Hoje eu vejo o quanto algumas atitudes que temos perante nossos filhos vão marcar a imagem que eles têm de nós pra sempre. Me lembro, por exemplo, de coisas que marcavam muito o meu pai. Ele lendo jornal, ele apertando cravinhos no espelho do carro (e eu brigando com ele sempre por causa dessa nojeira!!), ele dirigindo, ele com lenço de pano no bolso.
Me lembrei disso porque domingo levamos Luísa ao Cirque du Soleil. (Parênteses: ela assistiu ao espetáculo todo vidrada. Achei até que ela fosse se assustar com alguns momentos mais tensos do espetáculo, mas que nada). Sei que, num determinado momento, aparece um personagem vestido de terno, lendo jornal. Qual é a primeira coisa que Luísa solta, espontaneamente? "Óla lá, o moço igal o papai lendo jornal!"
Demos tanta risada com essa intervenção dela que depois ficamos pensando em como eles prestam atenção em tudo o que a gente faz. Só espero ela tenha outros tipos de referência de mim e nunca chegue o dia que ela vai ver uma mulher lavando roupa ou louça e fale: "óla, igual a mamãe"!!!!

7 comentários:

Dani disse...

Coloquei uma meia branca na Nina outro dia e ela me solta a seguinte pérola: igual a do papai! E é igual mesmo! O Má só usa meia branca prá trabalhar (médico...já viu, né!) Posso com uma coisa dessas?
Beijo, Rô!
Dani

Renata disse...

ah, não...lavando louça ninguém merece!
O meu marido só usa moto pra ir trabalhar, pra tudo! Então o André vê uma moto qualquer e fala "igual ao papai", ou então quando eu digo que o papai tá trabalhando, ele sempre emenda "de moto". Eu brinco dizendo que o André acha que ele é motoboy e passa o dia todo em cima da moto...hehehehe
beijos pra vcs 3

Patrícia Boudakian disse...

Rô, você está em Sp não? Se sim, entra lá no meu blog e veja a dica pro Circo VOX. Tô dando ingressos...
Depois dessa experiência toda da pequeno no Soleil, acho que vocês vão curtir o Vox.
beijo!

Letícia Volponi disse...

Ro, que invejinha branca. to doida para levar a Laura no Cirque. Eu tenho a lembrança mais clara do mundo dos meus avôs: um fazendo palavras cruzadas e o outro jogando futebol com a gente no caminho.

Glauco disse...

A mãe da Luísa lavando roupa?!?!? onde??? rs

Patricia disse...

Incrível esse post. Ia fazer um igual pra contar duas coisas que vou então contar aqui: ontem mariana pegou uma boneca de pano, cruzou as perninhas da boneca e disse: - Igual mamãe! E depois, fofa, fofa, tentou cruzar as pernas igualzinho. E pensei exatamente isso que você pensou, que ela observa os mínimos gestos, coisas que a gente nem se dá conta...
E hoje cedo tive o mesmo sentimento em relação ao meu pai. Vesti uma saia que tem um laço na cintura. Ao amarrar o laço ouvi o mesmo barulho da gravata do meu pai sendo amarrada, bem cedinho, quando ele ia trabalhar. Incrível como a memória da gente registra coisas desse tipo.

Paloma disse...

heheheeh...também me lembro do meu pai e seus jornais. mas ele gostava dos televisivos. ele via os de todos os canais, em um tempo que a TV a cabo não existia...heheeh...E acho que a Isa vai lembrar de mim como a mãe que está sempre fazendo alguma coisa. Juan brinca que mais pareço uma enceradeira...heheeh...no Cirque, que personagem seria eu? bjo
Paloma e Isa