segunda-feira, 8 de março de 2010

A (não) contação de histórias

"A dona aranha subiu pela parede... aí o pínpe caiu e ficou tite."
Vira a página do livro.
"Meu pintinho marelinho cabe qui na minha mão, na minha mão. Aí a Banca di Eve..."
Vira a página de novo.
E assim Luísa vai lendo suas histórias e inventando roteiros usando o repertório que tem. Quem vê de longe pensa até que ela está lendo mesmo, porque ela corre os dedinhos pelas frases como se estivesse entendendo tudo o que está escrito ali.
Me divirto muito.
Mas, nessa ânsia por ler suas próprias histórias, Luísa não tem tido mais paciência para nos ouvir contando histórias, coisa que ela amava. Ela pede pra gente ler o livro pra ela, mas dois segundos depois ela pega um outro livro e começa a ler o dela sozinha. São raríssimas as vezes nos últimos tempos em que eu consigo ler uma história do começo ao fim pra ela. Em geral, quando o livro é novo, ela me deixa ler pela primeira vez. Depois, faz questão de ler sozinha. Ah, essa independência. Mas também já notei que, quando ela assiste a uma contação de histórias em algum lugar, com uma pessoa desconhecida lendo, ela fica vidrada.
No começo fiquei um pouco preocupada: "será que minha filha não vai mais nos deixar ler pra ela e vai ficar batendo na tecla do mesmo repertório?" Mas depois entendi que não. Percebi que é ansiedade dela em querer participar de tudo. Talvez isso seja só uma fase. Pelo menos vejo que ela continua adorando os livros, de um jeito ou de outro.

14 comentários:

Paloma disse...

é bem normal. Isa fazia isso também. o legal é você mostrar que, quando alguém lê, é bacana prestar atenção. Eu explicava pra Isa que estava lendo, que ela deveria ouvir e que, depois, na vez dela, eu ouviria. Funcionou comigo. bjo
Paloma e Isa

Paloma disse...

é bem normal. Isa fazia isso também. o legal é você mostrar que, quando alguém lê, é bacana prestar atenção. Eu explicava pra Isa que estava lendo, que ela deveria ouvir e que, depois, na vez dela, eu ouviria. Funcionou comigo. bjo
Paloma e Isa

Paloma disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Lia disse...

Me parece ótimo! Isso é que é interesse pelos livros... :)

Nina Fiuza disse...

Menina, tenha orgulho da sua filha! o que falta no mundo são pessoas que acreditam nelas mesmas, com a criatividade latente. As "leituras" dela mostram que ela está super segura de si, além do que fica evidente que ela chique pegar um livro, passar as páginas, ler... A realção dela com o livro já está se estabelecendo e pode ter certeza que vocês vão colher os frutos disso pro resto da vida. Não desiste de contar histórias, nem que seja só o começo. E não tenha dúvidas: ela está, sim, lendo o livro. Há muitas maneiras de se ler um livro, principalmente os de hoje com projetos gráficos maravilhosos. (Sou foramda em letras, estou terminando a pedagogia, tenho pós em psicopedagogia e faço mestrado em crítica literária com foco em literatura infantil. Tenho alguma propriedade pra te assegurar que está tudo corretíssimo com a sua boneca. Antes todas as crianças tivessem essa intimidade com o livro como ela tem... ai ai.)

Nina Fiuza disse...

Obrigada pelo "super especialista". Nem tanto. Mas eu adoro esse assunto e dedico meus estudos e muito do meu tempo à isso. Tenho um projeto de blog só sobre literatura e a criança. Pretendo colocar no ar até julho. Te aviso quando acontecer. =)

Priscila disse...

Oi, Roberta!
O Gui adora livros, mas de um tempo pra cá, perco a paciência quando vou ler pra ele. Ele simplesmente me interrompe a cada duas palavras pra me perguntar alguma coisa sobre a história...
Bjs.

Nádia disse...

Que bom que vcs lêem bastante pra ela, ela adora tanto a ponto de ficar ansiosa! Isso é bom, nunca desistam disso, logo ela vai voltar a ouvir, é uma fase mesmo. E essa coisa de passar o dedinho enquanto lê é muito lindo, assim quando ela crescer vai entender a ordem de como se lê, da esquerda pra direita. E não vai escrever espelhado. Bjus!

Dany disse...

Gostei da atitude da Luísa!
Ela sabe o que quer... Escolhe e lê o que bem entende. rs
Depois ela vai querer que vc continue lendo... É só uma fase...

Cynthia Santos disse...

Ai, Ro, que delícia!!
Me diz uma coisa, com que idade ela começou a se interessar pelas historinhas? Eu leio pro Arthur desde bem pequenininho, mas ele prestava mais atenção quando tinha quatro meses do que hoje, com um ano...ehehehe hoje, se eu abro um livro e tento ler, ele para, olha, e tira o pobre da minha mão, querendo virá-lo do avesso... na verdade, ele não para um segundo, fico me perguntando se um dia vou conseguir fazê-lo parar pra acompanhar uma historinha...
Beijo grande!

Betty Mello disse...

Só um palpite de uma contadora de histórias/terapeuta que tem muitas histórias pra contar...Já experimentou Ccontar ao invés de ler ? Leia a história -que para a idade dela deve ser curta - e simplesmente conte pra ela ( qdo a gente lê não olha mais o tempo todo pra crianças, e ela quer este contato !!!) Reconte usando bonecos,objetos e até desenhos feitos por você ( e por ela , ainda que sejam rabiscos...). Ler é uma coisa e ouvir é outra. Ela "lê as imagens e enriquece com o repertório infantil de canções que já conhece, fantástico ! Se puder enriqueça a sua contação com pequenas melodias ( pode até inventar na hora !!!).
Qdo meu filho era bem pequeno eu contava histórias para ele todos os dias (TODOS) na hora de dormir. Contava- mesmo porque estávamos na penumbra...era um ritual que durou muitos anos...e foi bárbaro !Se eu lhe disser que ele pediu a mesma história por meses, diariamente ! Eu preparava outra -pra variar- mas ele dizia, "mas primeiro você conta dos Duendes eo Sapateiro, tá ?"
Você é quem tem as rédeas da carruagem nas mãos - a repetição é terapêutica ( Já leu A psicanálise dos Contos de Fadas ?, vale a pena !)Se uma criança tem material de leitura disponível ( não apenas livros) e tem pessoas por perto que tem o hábito de ler ( seus próprios livtros) este já é um enorme empurrão para ela se tornar uma devoradora de livros...pode crer !
Visite o http://canto-do-conto.blogspot.com tem muita coisa legal lá e o http://tecendo-historias.blogspot.com
Bjs carinhosos, Betty

Tatiana Vegi disse...

Meu nome é Tatiana Vegi e tenho um site feminino de Dicas para o sucesso das Mulheres, a Sintaliga (http://www.sintaliga.com.br ).

Temos um espaço especial para divulgarmos Blogs de interesses Femininos, a nossa lista já tem mais de 800 Blogs cadastrados.
Gostaria de convidá-la(o) para divulgar o seu Blog na Sintaliga.

Para entrar na lista de Blogs Femininos da Sintaliga é super simples.

Basta fazer o seu cadastro http://www.sintaliga.com.br/dicas-para-mulheres_cadastre-se depois fazer o seu login (e-mail+senha) e então acessar o link ‘Divulgue seu Blog” http://www.sintaliga.com.br/dicas-para-mulheres_divulgar-blog preencha as informações e clique em Salvar. Pronto! Seu Blog já estará Sintaligado.

Será uma honra poder contar com o seu Blog na nossa lista de Blogs Femininos.

Beijos e Obrigada

Tat Vegi
sintaliga@sintaliga.com.br
www.sintaliga.com.br/dicas-para-mulheres

Tatiana Vegi disse...

Meu nome é Tatiana Vegi e tenho um site feminino de Dicas para o sucesso das Mulheres, a Sintaliga (http://www.sintaliga.com.br ).

Temos um espaço especial para divulgarmos Blogs de interesses Femininos, a nossa lista já tem mais de 800 Blogs cadastrados.
Gostaria de convidá-la(o) para divulgar o seu Blog na Sintaliga.

Para entrar na lista de Blogs Femininos da Sintaliga é super simples.

Basta fazer o seu cadastro http://www.sintaliga.com.br/dicas-para-mulheres_cadastre-se depois fazer o seu login (e-mail+senha) e então acessar o link ‘Divulgue seu Blog” http://www.sintaliga.com.br/dicas-para-mulheres_divulgar-blog preencha as informações e clique em Salvar. Pronto! Seu Blog já estará Sintaligado.

Será uma honra poder contar com o seu Blog na nossa lista de Blogs Femininos.

Beijos e Obrigada

Tat Vegi
sintaliga@sintaliga.com.br
www.sintaliga.com.br/dicas-para-mulheres

Letícia Volponi disse...

A Laura tem feito a mesma coisa aqui e eu acho um baratinho. A única coisa que fazemos é entrar num acordo que, enquanto uma de nós lê, a outra tem que ficar quietinha prestando atenção.