quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Trégua

A última noite antes da minha viagem foi talvez a mais cansativa e desgastante emocionalmente que tive desde que a Luísa nasceu. Foi a primeira vez que não consegui controlar o cansaço e chorei no meio da madrugada. Sempre lidei bem com isso, até porque ela sempre deu trabalho pra dormir, mas aquele dia foi péssimo. Ela não só acordou muitas vezes como teve ataques horríveis de birra. Chorava e batia as pernas na cama como se tivesse sendo espancada. Nada acalmava aquele choro. Acordei um caco e fui viajar esperando pelas noites de tranquilidade que teria pela frente sozinha com meu marido. Ela ficou com a minha mãe e com a babá.
Eis que telefono no primeiro dia: Luísa dormiu a noite inteirinha, foi até 7h30 da manhã! "Dumi sozinha, mamãe", ela logo foi me dizendo ao telefone. Segundo dia, idem. E assim foi. Dormiu como um anjo todas as noites, porque sabia que eu não estaria no meu quarto para acudi-la. Pode uma sem-vergonhice desse tamanho?
Sei que, no fundo, a viagem foi boa demais pra dar essa pausa pra todos. Eu estava cansada. E, mais do que das outras vezes, sentia que precisava tirar umas férias dela. Assim passa a mágoa, revigora o corpo e a mente, dá pique pra enfrentar o que vier de novo. Sobra só a saudade e vontade de apertar muito. Hoje, quando cheguei, foi uma delícia. Recomendo para as mães se revigorarem.
Mas agora estou rezando para que esses dias também tenham servido para acalmá-la. Vamos ver hoje à noite, porque aqui é um dia depois do outro.

10 comentários:

Beta disse...

Eu acho que pode ser a forma dela extravasar a ansiedade que pode estar aparecendo com a chegada da irmãzinha, né?
Boa sorte!

Tathyana disse...

Eu tmb sou super a favor de tirar uns dias de férias dos filhos. Faz super bem ao casal. Acho que vc deveria ter uma conversa franca com a Luísa, sem gritar, mas com tom firme. Alice estava com o mesmo problema da Luisa e depois que conversei sério com ela e falei que se ela levantasse a noite pra ir pra minha cama eu fecharia a porta do quarto dela e só abriria no outro dia pela manhã. Ela entendeu e passou a não levantar mais. Espero que dê certo por aí tmb.

Bjsss

Letícia Volponi disse...

ai, Ro, nem me fale. Aqui está super difícil também. Laura sempre dormiu a noite toda e de umas semanas para cá está da pá virada. Acorda várias vezes, chora, resmunga, quer ir para minha cama. E eu também ando cansada, bem cansada e com isso acabo brigando com ela sem necessidade e morro de remorso.

Mãe do Pitoco disse...

Rô, não é fácil mesmo. Tem dias que bate mesmo um cansaço danado e a melhor coisa é mesmo botar pra fora, chorar e pedir colo do maridão ou das amigas virtuais - e reais!

Tenho passado por diversas experiências que me mostraram que nossos bebês precisam e às vezes imploram por uma bronca, por uma conversa séria... enfim, um limite. Eles ficam nos testando até o limite e andei lendo no Baby Center que isso é super natural nesta idade, faz parte do crescimento e, segundo eles, depois de uma birra seguida de uma bronca bem dada, eles se acalmam. E parecem fazer isso de propósito, pois não sabem se acalmar sozinhos. Se quiser ler mais sobre isso, acesse o Babycenter, no bebês de 1 ano e 4 meses (ou 1 ano e 5 meses, fiquei na dúvida pois sempre leio um mês a frente, ansiosa que sou).

No mais, espero que tenhas descansado, namorado bastante e esteja revigorada, beijocas nas duas - nas três!

Marina disse...

Eita, nem quero pensar quando a Bia chegar na fase de fazer birra...
É complicado e a gente tem que se controlar mesmo!
Espero que essa noite seja um sucesso! hahahaha

Paloma, a mãe disse...

A gente finge que não vê, mas mãe estraga filho. A gente sente pena, não quer deixar chorando, cede às pressões mesmo sem perceber. É por isso que com os outros elas sempre se comportam melhor.
E isso com certeza vai ajudar no relacionamento de vcs daqui pra frente. Converse bastante com ela, elogie o comportamente e seja um pouco mais dura quando ela fizer birra. Daqui a pouco passa (se é que não já passou!).
Beijos

Anônimo disse...

Com quantos meses/anos a Luiza tinha quando você foi viajar sem ela pela primeira vez?
Sinto que estou precisando muito disso, mas meu marido num ta topando... tststs parece que o cordão umbilical tava nele!
bj
ana

Nina Fiuza disse...

Eu também estou diminuindo as antecipações de sofrimento. Tomara que elas passem logo. Em julho eu e meu marido fomos pra Europa e eu só não aproveitei tanto por causa da maldita saudade-culpa. Mãe é um bicho bobo mesmo.

Menina, fiquei feliz em te achar de novo. Há um tempão li o seu post sobre a pior experiência que teve, aquela em NY (no outro blog) e sofri tanto com a sua história que contei pra meio mundo, como se vc fosse uma conhecida minha. hehe Outro dia uma amiga minha veio me contar a mesma história como se fosse uma amiga dela e eu disse: maluca, eu que te contei isso! Ou seja, sua história tocou nossos corações femininos e consumistas. hehehe

Estou linkando este blog, seguindo e aproveitando pra te chamar pra conhecer o meu "mãe-solteira recém-casada". Passa lá, leia pelos tags dos assuntos que te interessam. Vc vai gostar.

Parabéns pelo blog. adorei!

Lu Terceiro disse...

Não tem jeito, né, elas sabem como fazer manhã para a gente. Quando estou dirigindo e o pai vai com ela, atrás, a Alice fica mega-boazinha, não chora nem nada. Quando a gente inverte e eu fico atrás com ela, é um chororô só. Manhã para a mãinha :P Mas elas não deixam de ser fofas mesmo assim :) bjs!

Giovana Gomes disse...

Imagino sua situação e sei que nao é nada facil (o Pedro tbem acorda de madrugada, mas agora desencanei e qdo isso acontece o levio para nossa cama). Engraçado é esse lance das crianças dormirem super bem na nossa ausencia ne??? O que será isso??? Eu e meu marido nunca (ainda nao - pois estou numa luta incansavel por uma viagem a 2) viajamos sozinhos, mas um dia (uma unica vez) deixamos o pedro com minha mae para pegarmos uma baladinha e resultado??? Dormiu a noite toda, nao acordou nenhuma vezinha sequer..... Espertinhos ne?

Bjs e que as coisas melhorem por ai.