terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

O que me levou à escolha da escola

Todos pais sabem o quanto é difícil escolher uma escola para os pequenos, especialmente em uma cidade como São Paulo. É preciso pesar milhares de fatores como preço, distância de casa, modelo de ensino, experiência dos professores, tamanho da escola etc.
Eu, lógico, também sofri com isso para escolher a escola da Luísa. Com esse maluca disputa entre escolas por causa do Enem, fiquei um pouco assustada com a dificuldade de entrar em boas (ou pelo menos nas famosas) escolas. Achava que eu deveria tentar colocar a Luísa agora na escola que ela estudaria o ensino médio para depois ela não ter dificuldade de conseguir uma vaga. Fui peregrinar por algumas escolas da região de casa.
- Escola 1: Uma delas, dentro do bairro, é a que a maior parte das crianças do bairro estudam. Tem uma unidade nova só para os pequenos, espaço bacana, professoras experientes. Preço caro, mas dentro da média da região. Problema: público elitizado demais. Aquela disputa pelo consumo absurda, apesar de isso não ser estimulado pela escola. Única que dava para ir a pé.
- Escola 2: Uma outra, no bairro vizinho, muito famosa e uma das mais bem colocadas no Enem. Escola relativamente nova, moderna, espaço enorme. Fui fazer a primeira visita e me mandaram preencher uma ficha. Uma mocinha da recepção me mostrou rapidamente a escola. Depois me mandou voltar numa data X para a reunião com a coordenação. Cheguei lá e a reunião era num auditório, coordenadora falando no microfone, pais se estapeando para fazer perguntas. Proposta pedagógica bacana, ensino bastante puxado. Preço caro, na média das demais da região.
- Escola 3: Escola pequena, com uma proposta de trabalho muito livre e muito estimulante para as crianças. Muito bem recomendada por amigos. Gostei muito do atendimento, feito direto pela diretora. Brilho nos olhos dela. Preço na média das outras. Bairro vizinho.
- Escola 4: Dentro de um clube esportivo. Só jardim de infância. Em princípio, achei que não conseguiria vaga porque é bastante disputada. Muito muito bem recomendada. Problema: é a mais distante de todas: levo em torno de 20 minutos pra chegar. Vantagem: um terço do preço das outras e estacionamento.
A escolha final foi a Escola 4. Sabe por que? Cheguei a me emocionar quando falava com a diretora. Brilho nos olhos, paixão pela escola que existe há mais de 60 anos. Sabe um lugar que lembra a escola da nossa infância? Sem frescura, espaço grande pra brincar, muitas árvores, professoras antigas na escola, porém altamente recicladas.
A escola usa toda a infra-estrutura do clube, que é maravilhosa. Coisa mais simples que as outras que eu tinha visitado. Valores mais parecidos com os meus.
Enfim, no final das contas, o que mais pesou foi mesmo a emoção. Estou muito contente com a escolha e tenho certeza que não vou me arrepender. E outra coisa: a diretora me disse que eu não preciso me preocupar com essa história de escolher desde já a escola que a Luísa vai estudar para o resto da vida escolar. Ela disse, e eu também já li muito sobre isso, que o Enem está distorcendo muito as coisas, e que essa disputa pelo ranking está fazendo com que algumas escolas desviem das suas propostas e valores iniciais. A partir daí, relaxei. Fiz o que o meu coração e a minha intuição mandaram. E o do marido também, porque ele também adorou a escola.
Sobre a adaptação, ontem correu tudo bem. Luísa ficou numa boa, não chorou. Mas eu fiquei ali perto o tempo todo, vai ser tudo com calma. Mas vou esperar mais uns dias pra fazer um balanço mais preciso do processo.

11 comentários:

Camila Bandeira disse...

A emoção acaba mesmo sendo o melhor critério! Eu também escolhi com o coração e um pouco com minha formação de arquiteta, então a estrutura física, a localização em relação ao trabalho e estacionamento (aí entra o meu trabalho), a cozinha (aí entra a preocupação com a alimentação)...
Enfim, acho que a gente sempre acerta no final o que é melhor para as nossas crias. Beijos e boa sorte!

Glauco disse...

Oi mana... to acompanhando atentamente por aqui os primeiros passos da Luísa na escolinha.
E parabéns pelos seus posts sempre muito úteis e explicativos.
Beijão!

Mãe do Pitoco disse...

Roberta, tb estou fazendo a adaptação do pequeno nesta semana e o que pesou mais na minha escolha foi também a emoção. Aquela sensação de que aquela escola escolhida era a mais próxima de meus valores, que dava uma ideia de aconchego. Mas, ao contrário de Luísa, Pitos teve momentos de muito chororô, e ainda está se adaptando ao espaço e às professoras. Ontem passou 1h, hoje 2h, amanhã serão 3h. Vamos ver como ele fica. Boa sorte com sua pequena e um beijão nas duas.

Paloma, a mãe disse...

Rô, realmente isso de escolher a escola que a criança vai estudar o resto da vida é absurdo. Ela só tem 2 anos e, nesta fase, é muito mais importante uma boa pré-escola que notas de Enem. Eu nunca olhei classificação do Enem, porque realmente não ligo para isso. Talvez se tivesse uma adolescente em casa, ligaria, mas agora eu quero é que a escola seja acolhedora, ofereça uma boa alimentação e tenha bons professores, no sentido de estimulá-la artisticamente, apenas isso.
Vc já viu no processo de escolha que escola perfeita não existe, talvez vc tenha um ou outro contratempo mesmo nesta, mas isso faz parte, viu? Desde que vc confie na sua escolha e na proposta da escola.
Beijos

Laura disse...

Nossa, as suas dúvidas são exatamente como as minhas !!!
A minha filha tem 1 aninho e pretendo coloca-lá na escola somente qdo ela tiver 2 ou 2 e meio, mas já me preocupo !!!
Só uma pergunta: ela ficará o dia todo ou só meio periodo ? Em que bairro fica ?
Vc não pode me passar por emial (rs rs rs rs) o nome da escola
barbosalaura@bol.com.br


bjão

Dani disse...

Tô adorando estes posts sobre escola! Até tinha pesando em colocar Nina, mas, acabei mudando de idéia e prorrogando isto pro ano que vem. Por isso, enquanto não chega a nossa vez, sigo aqui guardando essas preciosas lições das mamas mais experientes!
Beijo, Rô! Outro para suas meninas!
Dani
PS:vendo essa mulherada toda grávida, fico mais animada para o segundo. Só falta eu resolver tirar meu mirena! Dúvida cruel!

piscardeolhos disse...

Concordo com a Paloma, se dê o direito de se preocupar com isso tudo mais tarde, Ro!
Parabéns pela escolha!
E viva a Luisa, que vai iniciar uma nova etapa cheia de emoções!!!!

Beijos e sorte,

Roberta

A. Martinez disse...

Querida nunca imaginei que encontrar uma escola fosse tão complicado assim...ainda mais quando se trata de um lugar para passar pelo menos 18 anos estudando...

Relaxa com certeza vc fez a escolha certa!!!

Bjussssss
Aline

Cissa disse...

Nossa, Ro, quando comecei a ler essa coisa de Enem para a Luisa, nesta idade, achei que estava no blog errado!Ainda bem, super mãe, que você lembrou de como a sua infância foi boa, e tentou trazer um pouco do interior para a vida da Lulu também, dentro do possível, claro. que o Enem, o cursinho traz.

Anônimo disse...

Oi. Concordo plenamente com a Paloma, mamãe da Ciça... Ainda tem muito tempo para o Enem. E o objetivo atual da formação dela é a construção e modelamento do caráter, da personalidade, dos valores. Uma escola que pontua bem no Enem não necessariamente oferece o campo fértil pro desenvolvimento de uma criança de 2 anos.

Mas fico feliz com a escolha que você fez e desejo muita sorte pra vc e pra Luísa.

Duda Bastos disse...

Oi, Roberta, tudo bem? Acabo de conhecer seu blog por intermédio da Cris, do Outlander. E já estou in love com seus posts.... Tb sou mãe; uma adolescente de 14 e um fofucho de 4. Mundos muuuito diferentes. Sou do Rio e moro em Buenos Aires, mas me mudo pra SP no ano que vem. E estou naquele momento 'punk' de ver escolas. E o pior: não conheço nada de SP... Falando com amigos, tive vários inputs, mas queria trocar uma idéia com vc, principalmente pra escola do meu filho. Aproveitar sua experiência recente. Como já me avisaram que a escolha do bairro onde viver é quase determinante, estamos entre Moema, Vila Nova ou Itaim. Imaginei q vc tb está por esta região.... Podemos trocar infos por email? Desde já desejo tudo de melhor pra vc, seu marido, a Luísa e a Rafaela.