sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Entre o sofrimento e a sem-vergonhice

Para quem acompanha o martírio com o sono da Luísa, vai o último update. Aqui é sempre um dia após o outro. Na volta do carnaval, quando chegamos de viagem, ficou uma maravilha. Vários dias dormindo a noite toda. Essa semana começou o martírio de novo. Acordando mil vezes de madrugada e dando seus pitis adoráveis.
Ontem o Luiz chegou pra mim:
- Rô, acho que temos que ser mais radicais com a Luísa com essa questão do sono, assim não tá dando.
- Eu sei, mas também sei que tem esse lance da minha gravidez, da escola, ela pode estar se sentindo insegura
- Insegura nada, é manha. Essa madrugada ela ficou um tempão tirando meleca do nariz na frente do espelho aqui do corredor antes de vir te chamar chorando e fazendo manha. Acho que temos que dar algum castigo, tirar algum brinquedo.
- Ai, não sei... mas tá bom, acho que você tem razão, vamos tentar.
- Então hoje você conversa sério com ela.
- Tá
....
- Luísa, mamãe está muito triste com você. Estamos todos aqui em casa muito cansados e tristes, porque você não deixa a gente dormir direito à noite. Se você está doente, é uma coisa, mas eu sei que é tudo manha sua. Se essa noite você fizer birra de novo, amanhã vou guardar a sua boneca da Branca de Neve e você não vai mais brincar com ela até voltar a se comportar direito. Combinado?
- Combinado
....
Ontem fomos dormir. A neura na nossa cabeça é tanta que cada vez que o Luiz mexia as pernas eu achava que era o barulho da Luísa se arrastando pelo quarto. E nada. De vez em quando eu levantava a cabeça porque achava que ela estava ali no corredor parada. E nada. E chegou de manhã.
Às 6h30 ela aparece no quarto pra deitar na minha cama (a partir desse horário nós permitimos). Eu e o Luiz nos olhamos.
Dormiu de novo até as 8h30. Levantou toda animada e a primeira coisa que fez foi pegar a Banca di Eve. Passou o dia grudada na boneca.

Nessas horas é que confirmo (o que eu sempre acreditei) que existe uma sutil linha que separa o real sofrimento ou insegurança de uma criança e a sem-vergonhice. Difícil identificar esse momento, mas é fundamental agirmos com firmeza em nome da sanidade da família.

PS: COMENTÁRIO POSTERIOR: Desde então, ela nunca mais deu piti de madrugada (13/03)

17 comentários:

Paloma, a mãe disse...

Posso parecer dura, mas sou totalmente a favor da firmeza quando vc detecta que é manha, sim.
Porque elas aprendem a nos fazer de marionetes desde muito cedo (as manhas começam aos seis meses, por aí).
Se há adultos na casa, eles são os responsáveis pelo bom-senso, não dá para esperar isso de uma criança.
E elas entendem direitinho o recado, como vc constatou. Espero que continue bem, curtindo a boneca e os pais a partir das 6:30h.
Beijos

Tathyana disse...

Realmente. Vcs agiramc erto. Depois de ter uma conversa mais firme com Alice ela parou de acordar a noite pra ir pra nossa cama. Ela faz como a Luisa, vai as 06:30 e aí a gente tmb libera. Antes de deitar ela fala pra mim:"mamãe, eu vou de dia pra nossa cama né"?

Bjsss

piscardeolhos disse...

Roberta do céu, eles são ótimos, que malandrinha hahahahaha...
Te dou o maior apoio: aqui em casa eu e marido tentamos nos manter firmes também. Porque se deixar o Noah monta mesmo.
Ele só tem 15 meses mas já se faz de louco, bate o pé e ainda sequestra a Branca de Neve.
Ainda bem que eu sou mais louca que ele :)

Mãe do Pitoco disse...

Ro, vc está certíssima! E, realmente, é muito difícil perceber quando é sofrimento e quando é manha ou esperteza. Agora nesta fase de adaptação de Pitos na escolinha tá difícil saber quando é tristezinha e saudade e quando é chantagem braba, mas a gente vai aprendendo aos poucos e, quando tem certeza de que se trata de sem-vergonhice, o certo é mesmo agir como vc e seu marido fizeram. Parabéns porque dar amor é dar limites tb. Beijos

Line Sena disse...

Olá Roberta.

Obrigada pelo comentário no meu blog, e muito mais obrigada por ler o meu relato, afinal ficou meio grandinho...

Adorei seu blog tbm, não gosto de blogs do tipo "diário do bebê" e seu blog é muito mais do que isso, muito informativo, crítico, etc..

Bjocas.

Line Sena

mamae-moderna.blogspot.com

Pollyanna disse...

Olá! Sou nova seguidora por aki!
Penso que se qdo minha filha estivesse nessa fase, eu tivesse essa ferramenta de blog em mãos, teria ficado muito mais aliviada... Minha filha já vai fazer 4 anos, mas estou agora aprendendo a lidar com a mnha dela. Sempre dormiu bem a noite, mas em outras qustões ela da um shoz! E só agora estou aprendendo a impor limites pra ela, sendo franca e dura com ela. Se não ha um acordo entre nós ou ela decumpre o acordo, tiro tudo o que ela mais gosta, em ordem crescente.
Parabens pelo blog! Amei, é muito informativo!!!!
Bjus pra vcs!!!

Priscila disse...

Difícil é identificar se é manha ou realmente há um problema, uma insegurança. O Gui desde o carnaval tem dado um show na hora de entrar na escola. Todo dia saio de lá ainda ouvindo ele chorar. Não sei se é manha ou se não está gostando da professora nova, que muitos alunos andam reclamando que é mais dura, brava...

Paula Duailibi Homor disse...

ai Roberta, a Nina ta fazendo isso comigo.
Toda noite eh o mesmo martirio....acorda aos prantos, fazendo escandalo ate eu chegar no quarto (coloquei um cercadinho na porta do quarto dela para ela nao sair do quarto). Qdo eu chego ela para de chorar na hora. Quer cafune ou ouvir musica ou comer um queijinho as 3 da madrugada!
Estou tentando o dialogo....vamos ver ate qdo vai isso...algumas noites sao melhores, mas outras piores...
bjs

Nina Fiuza disse...

Hahha, ótimo!

Kelly disse...

concordo com a dureza!! MAs não sei o que faço de errado, na escola todos os alunos sem excessão me respeitam e me obedecem, minnha filha faz piada da minha cara, guardar brinquedo por exemplo não há cristo que faça ela guardar!!!!Quero o segredo...bjs

Dany disse...

Para mim, a questão do sono ainda é um martírio...
Queria ter essa firmeza, mas não tenho, como já disse nesse post: http://quartinhodadany.blogspot.com/2010/02/arrependimento.html
Passo mt perrengue ainda...

Lia disse...

Parabéns, Rô! Adorei o papo cabeça com sua filhota. O diálogo é mesmo essencial.

Letícia Volponi disse...

Ai, que aperto no coração. Difícil mesmo saber quando a insegurança virou sem-vergonhice, mas identificados os sintomas, sou super a favor de ser mais firme. que bom que deu certo!

Giovana disse...

Oi Rô, acho que encontraram o caminho, la em casa rola cama compartilhada, o Pedro me chama sem chorar, nem fazer birras, mas quer ir pra nossa cama, isso la pelas 2 da manha, mas mesmo assim ja estou pensando em aproveitar as ferias do marido, para darmos inicio a essa separação total de camas, não sei se faço isso agora ou depois do inverno, tenho medo de estar fazendo a coisa errada e ser irreversivel. Aff

Beijos e sorte ai.....

Joe Baby disse...

Estou adorando seu blog, meu filho João gabriel está com 16 meses, e estou nessa mesma luta, quando vc diz que fica desesperada quando ela movimenta a perna me vi, eu ainda amamento, acho que dificulta um pouco mais, mas vou tentar adotar a sua gestação já que para vc deu muito certo.
Beijos Ludmyla

Eva disse...

Ai, esse post caiu como uma luva para mim. Dificil mesmo saber onde está esse limite sutil. Mas quem prometeu que iria ser fácil?
No caso do pequeno lá de casa a nossa odisseia foi iniciada por conta das crises respiratórias. Mas já tem algumas semanas que estamos desconfiados de pura manha.

Laura disse...

eu bem sei como é essa maratona noturna !!!!!!