segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Filmes infantis e seus ensinamentos

Outro dia eu escrevi esse post aqui sobre crianças repetirem o que os adultos fazem e falei sobre crianças que vejo chamando os pais de idiotas.
Achei que um dos comentários muito interessantes que recebi nesse post valeria um novo assunto. Uma das mães, a Luciana, comentou o seguinte e eu gostaria de compartilhar:
"Olha, preciso fazer uma defesa das mães cujos filhos distribuem "idiota" a torto e a direito. O meu filhote, apesar de todo nosso esforço corretivo, é uma dessas crianças.
E sabe onde ele aprendeu? Nos filmes da Pixar-Disney.
Olha, nunca pensei que precisasse me preocupar com o conteúdo palavrístico de um filme infantil que conta com a chancela da Disney.
Mas a verdade é que a palavrinha está em todos eles. Vida de Inseto? Tem. Carros? Também. Toy Story? Idem Os Incríveis? Ibidem.
Então é assim. Pega mal mesmo para os pais, eu sei. Mas nem sempre o mau exemplo vem deles."

Eu queria comentar duas coisas: uma é que eu me referi especificamente à reação dos pais a essas situações, viu Luciana! Sei, por exemplo, que Luísa vai trazer muita coisa de fora e muitas delas são atitudes e comportamentos que não condizem com os meus valores. Especialmente depois que ela começar a ir à escola, mês que vem. Mas o que mais me espanta é que alguns pais não se incomodam com essas atitudes, e aí é que eu acho que está o grande erro. Se minha filha me chamar de idiota, será repreendida. Mil vezes que seja. Eu não posso impedi-la de falar, mas posso reprimi-la e mostrar que isso está errado. E isso, Luciana, eu tenho certeza que você faz aos montes!! Estou certa?
E a outra coisa é o comentário em si feito por ela, que eu achei ótimo. Sobre quanta bobagem esses filmes trazem para as crianças. Quanta agressividade está contida nesses desenhos. Já li que é importante a existência do bem e do mal para a referência das crianças, mas alguns desenhos chegam a ser mesmo assustadores.

9 comentários:

Lu disse...

É Roberta! não é fácil não! Aqui em casa tem filme infantil as pampas para a minha enteada se esbaladar quando quiser. Ela adora vários clássicos da Disney, apesar de eu já ter notado algumas palavras com as quais não concordo. Idiota é só uma delas. Se ela repete, a gente repreende. Na escolinha (que é evangélica, como a escolha da mãe) também a repreendem, o que é ótimo. Mas chega em casa de novo ela escuta várias palavras vindas de vizinhos, coleguinhas na rua, desenhos na tv. E a gente as vezes é que passa carão na rua quando ela se lembra de uma palavra e a solta assim do nada seguida de uma risada e depois da fala: Não pode falar 'disgr***', né Lu? Mas aí, já era, já falou!
Educar hoje em dia está mais difícil, mas a gente vai conseguir. Beijos em vocês!

Pérola disse...

Roberta do Céu! Ia fazer um post sobre isso! Menina, isso é tema recorrente aqui em casa. Temos batalhado contra essa dita palavrinha o tempo todo. Vira e mexe meu filhote de 4 anos solta a tal.
Está super difícil reverter pq ele não tem dimensão do significado, embora saiba que é ofensivo...
Ótimo post! Muito bom!
Beijos solidários!

Sarah disse...

Olá! Conheci seu blog por meio do Comer para Crescer e adorei. Sou mãe de um menininho de 8 meses e ainda estou um pouco longe dessa fase de palavras inadequadas, mas achei o post bastante pertinente. Também concordo que as crianças ouvem de outras pessoas coisas que não ensinamos e não concordamos, mas que devemos repreendê-las.
Ah, e também sobrevivemos a uma mudança com criança...
Linkei seu blog no meu, ok? Se quiser conhecer meu filhote, meu blog é: http://maedobento.blogspot.com/
PS.: a Luísa é linda! :P

Laura disse...

é, a influencia externa que nossos filhos recebem pe realmente preocupante, porem inevital ?!?!!
Nos resta fazer nossa parte, educando-os da maneira que nos parece adequada !!!!

bj

Paloma, a mãe disse...

A maioria destes filmes infantis é para crianças maiores de 6, 7 anos, mas as mães não percebem isso e querem empurrar para os pequenos. Já fiz um post sobre isso também (filmes). E acho que é um grande erro querer que filmes, DVDs e desenhos "ensinem" algo de bom para o filho. Filme é diversão, quem ensina são pais, escolas e pessoas com quem elas convivem. Ou seja, é o exemplo.
Sempre que alguém volta a este assunto me empolgo!
Beijos

Priscila disse...

Oi, Roberta!
Vc disse tudo! As crianças vão aprender, sim, muita coisa ruim fora de casa. A gente não pode colocá-los numa bolha. Mas a gente tem que explicar o que pode e o que não pode. Meu filho nunca disse nada parecido pra mim até agora, com quase 4 anos. Mas algumas vezes, ouvi ele falando algum palavrão quando está incomodado com alguma coisa. A reação tem que ser na hora. Isso não pode ser dito.
Sobre o que ver na tv também é complicado. Ele está gostando de ver Ben 10. Outro dia estava assistindo com ele e não achei nada de positivo nesse desenho. Não vou proibi-lo de ver, mas não vou incentivar. Assim, aos poucos ele vai cansando do assunto.
Bjs.

Cynthia Santos disse...

É engraçado como a gente muda quando tem um filho dentro de casa. Eu sempre fui apaixonada por desenhos infantis, principalmente os da Disney e não vejo a hora de me esbaldar com o Arthur assistindo todos, devorando pipoca...ehehehe eu nunca havia reparado nessa questão das palavrinhas, mas no final do ano, não me lembro qual desenho que estava passando na tv, e eu me peguei criticando cada palavra a situação que passava ali. Fiquei totalmente embasbacada, só lembro de virar toda hora pro meu marido e dizer: "Queisso, quem disse que esse desenho é pra criança??" Mas é assim mesmo, principalmente na hora que eles "forem pro mundo", teremos que ter muita paciência e jogo de cintura pra conseguirmos incentivar o que é certo e "desincentivar" o que é errado.
No quesito desenhos, adoro a Discovery kids, até agora não vi um desenho lá que dê motivos pra críticas. Já no CArtoon Network... sem comentários.

Beijo grande!

Bia disse...

Por isso sou fã das animações e programinhas da TV cultura...

Letícia Volponi disse...

Ro, é um desafio, mas uma escola que tenha os mesmos valores que nós é fundamental para que a gente tenha ajuda. Na escola da Laura as reprimendas são muito semelhantes às minhas e aprendo muito com eles. Além disso, concordo com a Paloma. Televisão é lazer, não é educação. E mais é apenas uma das formas de lazer. Música, quebra-cabeça, lietratura, pega-pega... poxa, a gente tem que ter tempo para isso tb. Lá em casa, até cozinhar o jantar é brincadeira para não deixá-la em frente à TV