domingo, 10 de janeiro de 2010

Alguma coisa aconteceu

Tiramos uma semaninha de férias com a Luísa. Bahia, terra santa. Tem algo mais inspirador do que tomar água de côco à sombra do coqueiro, olhando pro mar?
Pois bem. Não sei se foi a água de côco, ou a minha gravidez, ou somente coisa da idade. Mas alguma coisa aconteceu com a Luísa nessas férias e, de repente, ela se transformou em outra criança. Pro bem e pro mal.
Para o bem há de constar que ela de repente virou a garota mais sociável e adorável da face da terra, considerando que ela sempre foi uma criança mais reservada em lugares públicos ou com desconhecidos. Fez amizade com todas as monitoras do hotel, brincava com os hóspedes, fazia graças divertidíssimas, molecagens na piscina e em todos os cantos. Vontade de apertar mil vezes. Sabe aqueles momentos mãe coruja em que você realmente acredita que o seu filho é o mais incrível, fofo e inteligente da face da Terra? Então, era assim mesmo. Eu e o Luiz ficamos babando com a esperteza da Luísa e com o humor afiado que ela está aprimorando cada dia mais.
Mas... agora vem o outro lado. Acho que agora estou entendendo porque nos EUA chamam os dois anos de "terrible twos". Até agora eu achava que isso era bobagem, porque não poderia haver fase mais gostosa do que esta. Ela tinha seus momentos chatos, mas eram poucos e geralmente quando ela estava cansada ou com fome. Porém, de repente, Luísa começou a ter pitis insuportáveis. Não pode mais ser contrariada. As vontades dela têm que ser atendidas na hora. Durante alguma refeição no restaurante do hotel, por exemplo, ela começava bem comportada. Mas, depois que terminava de comer, começava o piti. Queria sair dali e tinha que ser agora. Senão, começava a berrar. Olha, teve dias em que a gente tinha vontade de dar uns tapas nela. Não fizemos. Tentamos distraí-la, sacrificamos parte de algumas refeições para poder acalmá-la. Mas nossa paciência em algumas situações foi ao limite. Engraçado que, até o final do ano, ela não dava esse tipo de piti. Até ficava impaciente às vezes, mas sem fazer gritaria.
Ela também começou a nos desafiar de uma forma mais moleca, testando claramente nossos limites. Sabe quando você fala não e a criança continua fazendo aquilo errado e te encarando? Mas nesses casos ela perde. O castigo (ficar sentada num canto até eu mandar sair) por enquanto está funcionando.
Espero que esse lado terrível se acalme agora que ela entra na rotina de novo. Afinal, além da minha gravidez, este foi um fim de ano super tumultuado, com mudança de casa, Natal, férias, ou seja, totalmente fora do normal.
Que continue prevalecendo o lado fofíssimo e espertíssimo dela.

12 comentários:

Lu disse...

Ei Roberta!
Aqui em casa passamos pela mesma coisa com minha enteada, só que agora aos três e não aos dois. O mais engraçado é que tudo por aqui começou com a notícia da irmãzinha que estava chegando. Não sei se vocês já contaram a Luisa, mas pouco depois da Maria Alice saber, começaram as birras, manhas e ordens, já que tudo deve ser como ela quer! E se for mesmo isso prepare-se: a Maria aprendeu a fazer chantagem emocional de peso e nem a mãe dela ou o pai sabem quando é sério ou para chamar atenção. O negócio foi ficando tão feio por aqui que outro dia a mãe ligou aos prantos pedindo a meu marido "pelamordedeuz!" para buscar a menina porque ela não aguentava mais!
Agora, passados 8 meses de descoberta da gravidez, com a Antônia na reta final, é que ela começou a colocar a mão na minha barriga, beijar, fazer carinho. Antes,só olhava e de cara feia. Parece que agora ela aceitou de vez o fato e diminuiu bastante as birras e malcriações. Mas te falo, foi muito difícil! Se fosse te contar tudo aqui, escrevia um pequeno livro. Não gosto nem de lembrar!
Espero de coração que seja só uma fase aí com a Luísa e que logo isso passe!
Fica com Deus!
Beijos nessa família linda e abençoada!

Paloma, a mãe disse...

Ainda bem que os pitis vêm acompanhados desta fase linda, cheia de tagarelices inteligentes e coisas fofíssimas, senão os pais não aguentariam. Fique firme que passa e a parte linda com certeza prevalece (a Ciça, com quase 3, está mais linda que nunca e cada vez com menos pitis).
Vamos trocar os terrible twos pelos awesome twos?
Beijos

Li disse...

Olá Roberta
Pois é, infelizmente essa fase é normal e pode ter certeza que 10% é da idade (eles ficam o tempo todo testando até onde podem ir com a gente) e 90% é por causa da sua gravidez.
O meu filho mais velho (Pietro, 3 anos) começou com isso agora, depois que minha filha nasceu. Durante minha gravidez era tudo tranquilo, pois a atenção era somente dele, mas agora que a Paola toma boa parte do meu tempo (afinal de contas ela só tem 3 meses) ele resolveu dar vários pitis que chega a ser revoltante. Ele quer tudo na hora e se não cedemos, ele não grita, mas bate e chuta.
Estou aprendendo a lidar com isso ainda e muitas vezes fico perdida, sem saber o que fazer.
Como sempre falo, ser mãe é uma escola e tanto! HEHEHE
Bjos e espero um visita

http://www.inabalavelamor.blogspot.com/

Denise disse...

Bah, a Elisa tem só 1ano e 5mese e já tá começando.Tem o perfil que tu descreve, é um doce de criança, esperta, sociável, deixa a gente super coruja com as suas aprntações, não para um minuto.
Por outro lado, quer tudo do jeito dela e na hora que deseja.
Já pensei no castigo, mas além dela não parar quieta de jeito nenhum eu não sei se ela entenderia com essa idade. O que acham?

Bjs!

Bia disse...

Olá Roberta,

Te encontrei no blog da Paloma, e devo dizer que gostei muito do seu cantinho, sua filha é linda!
Parabéns pela nova gestação!
Bianca

disse...

Olha Roberta, eu não conhecia essa expressão americana, mais tenho passado exatamente por isso com a Maria Ísis. Ao ser contrariada, chora sem lágrimas, faz pirraça e ainda por cima tb testa os nossos limites.
Agora o que faz? No meu caso esperar mais 9 meses até ela completar 3 anos e vê se passa rsrs.
Beijos.

Si Collet disse...

Ei Roberta.. depois q li seu post corri e mandei pra minha amiga Bárbara.. estive na casa dela semana passada e ela queixava exatamente a mesma coisa.. a Clara está com pouco mais d 2 anos. Fim d 2009 eles foram pra Buzios lá a Clara mudou tb, voltou outra. ela me contou q um dia a Clara nao queria ir embora da praia e foi um xilique só! berros.. q parecia q ela estava batendo na filha (e nao estava).. acho q nesses casos devemos tentar mudar o foco.. distrair a criança.. mau posso esperar pelo meu "terrible twos" ihihihihihih

Fabiola disse...

Roberta,

Como sempre me dizem na época que estou desesperada com algo relativo ao comportamento da minha pequena, "é fase, isso passa". Talvez ela já esteja demonstrando cíúmes pelo novo bebê... realmente é preciso muita paciência e muito amor pra lidar com as mais diversas fases, né?? Mas tenho certeza que vc consegue!! pense só nas coisas boas que ela fez nesse tempo na Bahia.. :)
Bjinhos!

Renata disse...

Ai meu Deus, tenho lido em tantos blogs sobre essa fase que já estou com um medo antecipado. Ë que o quando o André fizer 2, eu já vou estar com uma pequenininha de 3 meses aqui...ai ai ai...rs!
Ainda bem que o lado fofo compensa, né?
beijos

Fe disse...

Luísa TAMBÉM está nessa fase de se fingir de surda quando lhe convem. Como é difícil !! Ás vezes tenho pressa por algum motivo e lá vem ela com a mãnha, birra, se lá o que...Respiro fundo, preparo meus ouvidos, converso com ela e puff...tiro o que tem na mão, carrego ela no colo, enfim...tento acalmá-la mas é difícil viu !!

Letícia Volponi disse...

Menina, eu também tomei um susto com a Laura e foi depois desse final de semana. Em geral o castigo funciona, mas tem horas que o piti é tamanho que haja criatividade e paciência, socorro!
Se eu pudesse canalizar toda essa criatividade para ganhar dinheiro teria uma conta mais rechonchuda do que o Bill Gates.

Alê disse...

hum..... a fase 2 anos é assim mesmo.....tudo é pra ontem, e ai de nós se não atendermos....Mas, aos poucos vai melhorando.É preciso muita paciência mesmo.A minha tá com 3 anos e 3 meses e tá bem mais compreensiva....rs