quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço

Crianças de dois anos são verdadeiras esponjas, repetem tudo o que fazemos ou falamos. Na verdade, filhos são espelhos dos pais, e eles nos fazem perceber comportamentos nossos que a gente não se dava conta desde então.
Quando vejo alguma criança maltratando uma babá, xingando outra pessoa ou chamando alguém de idiota, sei que há grande chance de essa criança ter em casa pais que não respeitam os empregados ou que brigam na frente dos filhos. Ou pior, xingam os próprios filhos. Ou, tão ruim quanto, pais totalmente ausentes. Dia desses, num hotel, o molequinho de uns 4 anos chamou a mãe de idiota. E ela não fez nada. Tempos depois, observei a forma agressiva como ela tratava o filho.
Mas, por mais que sejamos educados e tenhamos cuidado, sempre deixamos escapar alguma coisa. Como é que eu vou explicar pra Luísa que nós podemos chamá-la de "safadinha" ou de "sem-vergonha", mas que ela não pode falar o mesmo pra gente ou para os outros?
Outro dia ela soltou uma dessas: "ai, ai, mamãe safada". Sei que a maldade nesse caso está na cabeça dos adultos, porque ela não tem noção de que a palavra pode ter uma conotação pejorativa se mal utilizada. Mas nem sempre esse comentário pode ser bem recebido caso ela resolva fazê-lo a um outro adulto, né? E o pior: ela aprendeu com nós mesmos, os pais, que sempre brincamos quando ela faz alguma traquinagem: "ê, sua safadinha".
Em suma, não é fácil acertar sempre, não.

14 comentários:

Claudia disse...

Tenta trocar pra sapequinha, danadinha. Daí, não vai ter problema. Se bem que minha sogra me chamou a atenção porque danado tem conotação "diabólica" para os evangélicos. Como pra mim, não significa nada além de traquina mesmo, ignorei!
bjos

Paloma, a mãe disse...

E a Ciça hoje, que chamou o pai de louco? Vai ver me ouviu falar assim, em tom de brincadeira. Agora, a gente tem pensar dez mil vezes no que faz e fala na frente delas.
Beijos

Renata disse...

NOssa, a gente tem que pensar mil vezes antes de falar. Eu sempre chamo o André de "safado" e nunca tinha pensado nisso. Ainda bem que li esse post antes de ele começar a fase de repetir...
beijinhos

Marina disse...

hahahahaha
Nem me fale!
Uma amiga, quando o filho fazia bagunça demais e acabava fazendo besteira falava "ai, seu zé mané"!!!
Ela foi levá-lo ao trabalho um dia e o chefe dela derrubou um copo d´água, ao que prontamente foi repreendido pelo pequeno "Ai, seu zé mané"!!!
A mãe não sabia onde enfiar a cara! hahahahahahahahaha

Nathalia E. Strutzel Pádua disse...

nossa é verdade ! nunca tinha parado pra pensar nisso !!!
assunto sério esse !!!!
temos que nos conscientizar como pais, para não passarmos aos nosso filhos coisas erradas né?!
bjo

Paloma disse...

pois é. eu brinco com a Isa, dizendo, quando ela faz alguma palhaçada, que ela está doida. Outro dia, ela pegou meu rosto, olhou pra mim, me deu um beijo e falou: "Fala, sua doida!". Putz, aí me dei conta de que temos que medir muito as palavras. bjo
Paloma e Isa

Paty disse...

nao, a gente nao acerta 100%. Mas ter a conciencia de que a gente precisa mudar alguma coisa, já é um grande passo. infelizmente muitos destes pais nao tem noção. e os filhos acabam sendo estes sem a menor educação.... bjs

Fabi disse...

Espero lembrar das coisas que leio aqui e em outros blogs de mães experientes pra tentar minimizar os erros que certamente vou cometer com o meu filho...
Afinal como vc disse, mesmo sabendo o que podemos ou não fazer, é difícil acertar sempre!

Beijinhos

Letícia Volponi disse...

xi, to perdida, também digo que a Laura é safadinha, sem-vergonha, cara de pau e doidinha... ainda não escapou nada disso para ninguém exceto quando ela ouve Saltimbancos e na briga do cachorro com a gata fica repetindo: Cachorro doido, né, mamãe?

Cissa disse...

Minha prima, outro dia, naqueles carrinhos que parecem um carro mesmo, com volante e tudo, estava passeando e soltou uma para um cachorro: Sai da frente cara! Imitou a mão dirigindo. hehehe

Maria Luiza, minha vida!!! disse...

Ai menina...tenho essa mesma preocupação viu...essa fase é terrível mesmo e é onde eles aprendem coisas que vão levar pro resto da vida...
Por isso tenho muito cuidado com meu palavreado perto dela mesmo...
Beijo grande.
Rafa

Anônimo disse...

Esses dias eu tbm levei ums susto, minha filha Carolina de 1 ano e 9 meses me disse: Ai que caco (saco)!Levei um susto. Dificil é segurar a risada.
Mas eles imitam mesmo.
bj - Fabiany

Val disse...

Eu falei sobre isso, de outra forma, é claro, pq não escrevo tão bem assim. Mas falei ontem exatamente sobre o "educar pelo exemplo" e essa fase de 2 anos a 3 anos, (que meu filho está) é a mais perigosa. Ah, o vídeo do post de cima tá muito fofo. Impressionante o que essas crianças podem fazer... Bjos

luciana disse...

Olha, preciso fazer uma defesa das mães cujos filhos distribuem "idiota" a torto e a direito.

O meu filhote, apesar de todo nosso esforço corretivo, é uma dessas crianças.

E sabe onde ele aprendeu? Nos filmes da Pixar-Disney.

Olha, nunca pensei que precisasse me preocupar com o conteúdo palavrístico de um filme infantil que conta com a chancela da Disney.

Mas a verdade é que a palavrinha está em todos eles. Vida de Inseto? Tem. Carros? Também. Toy Story? Idem Os Incríveis? Ibidem.

Então é assim. Pega mal mesmo para os pais, eu sei. Mas nem sempre o mau exemplo vem deles.