segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Babás e o álcool

Aconteceu com uma pessoa conhecida na semana passada, vejam só.
Ligaram da escola do filho dela dizendo que a babá, que foi buscar o menino (de 1 ano e 9 meses), estava estranha. Minha amiga, na hora, deu uma fugida no trabalho e correu pra casa ver o que se passava. Chegou lá, a babá estava bêbada. Sim, bêbada.
Uma babá que ganha R$ 1.900 por mês, salário superior ao de qualquer outra babá que eu conheço que cuida de uma única criança. Mulher que essa amiga minha julgava incrível, experiente, cuidadosa. Ia se mudar com eles para os Estados Unidos, inclusive.
Ocorre que, no dia do aniversário da babá, fizeram um brinde com vinho na hora do almoço. A moça tomou um golinho. A garrafa ficou na geladeira e ela teve a brilhante ideia de tomar mais um pouco. E mais um pouco. Não estava acostumada a beber, ficou embriagada. E foi buscar o garoto na escola.
Também aconteceu com uma outra amiga: babá indicada por uma agência, checadas todas as referências. Pessoa bem humilde, não tão referenciada como a outra da história anterior, porém parecia correta. Tudo andava bem até que minha amiga começou a desconfiar que ela andava esquisita. E um dia descobriu que, ao longo do tempo, a moça tinha bebido toda a bebida que estava aberta guardada em um armário. A babá era alcóolatra.

Longe de mim tratar esses dois casos como uma generalização. Até porque tem gente boa e gente irresponsável em qualquer profissão. Mas vale o alerta para ficarmos atentas(os) aos menores sinais das pessoas que estão próximas dos nossos filhos.

13 comentários:

Carol disse...

Concordo que nao dá pra generalizar, mas que acontece, acontece.

minha sogra tinha uma moca que fazia faxina e a primeira vez que ela foi fazer na minha casa, ela tomou uma garrafa quase inteira de 51 que a gente tinha.

daí, foi embora e esqueceu a bolsa lá em casa (com dinheiro, chaves de casa), nao fez o servico, largou a porta da nossa casa aberta e depois ainda nos ligou pra saber se tinhamos visto a tal da bolsa dela, já que ela dormiu no onibus pra casa e achou que pudesse ter sido roubada.

ainda negou tudo dps, já que era evangélica e, teoricamente, nao podia beber. Como nao tomou TODA a garrafa, ficou a dúvida e nao havia o que fazer.

é uma situacao chata e delicada, acho que o melhor a fazer é ficar atento as garrafas (minha sogra comecou a marcar o nivel de liquido nas dela) e as atitudes da pessoa.

é fogo, pode parecer elitismo e generalizacao mesmo, mas nao é que a pessoa que trabalha na nossa casa nao possa consumir as coisas, mas eu nao conheco nenhum trabalho em que uso de alcool seja permitido ou encorajado (a nao ser que vc seja um sommelier, heheh).

meda de acontecer isso de novo comigo, imagina qdo eu tiver o baby? é fogo, toda atencao é pouca!

bejus
(e desculpa o POST que escrevi aqui!)

Renato Carvalho disse...

Eu acho que as "babás bebem bem bonito".

ReZveibel disse...

Cada vez que escuto histórias de babás fico com os cabelos em pé! Daqui uma semana eu volto a trabalhar e minha filha, de 5 meses, ficará em casa com a babá. Ela está comigo há apenas 3 semanas (infelizmente as outras 4 que passaram não deram certo, e olha que eu comecei a testar desde o dia em que cheguei da maternidade!)
É super bem indicada mas como colocar a mão no fogo por uma pessoa que não temos qualquer tipo de relacionamento? Só me resta rezar e ficar bem atenta a tudo!

bjos,

Renata

Isabella Estanislau disse...

Oi Roberta!
Interessante você abordar esse assunto pois tive um problema semelhante há 1 mês. Neste caso não era a babá e sim uma empregada que eu tinha há pouco mais de 1 ano mas que já tinha ficado com a minha filha de 1 ano algumas vezes. Meu marido deu falta de latinhas de cerveja que estavam na geladeira fui na lata de lixo e descobri uma vazia. No dia seguinte fui perguntar à ela e a mesma teve a coragem de me dizer que estava com "sede". Fiquei arrasada! Mandei ela embora na mesma hora!

Mônica Brandão disse...

Oi Roberta, babá realmente é um assunto sério. Tive sorte porque, como meu marido tem o escritório de arquitetura em casa, ele sempre ficou de olho enquanto eu trabalhava fora. E agora, com a chegada da minha segunda filha, eu decidi trabalhar em casa também. Mas imagino como deve ser difícil confiar totalmente em alguém. Minha dica é dar umas incertas, pedir para as avós, tias, primas passarem algumas vezes na casa, pedir para os vizinhos ficarem de olho. Quando a criança já tem uns dois anos, ela própria dá sinais de que a babá não é legal. Mas os bebês não e eles são mais frágeis. Acho que as incertas são a melhor pedida.
Mas que raiva dessa que ganhava 1900 e ainda fez isso!!!!
beijos
Mônica

Marina disse...

Sério, dá medo!
Ouço cada história de babá que me arrepia!

Letícia Volponi disse...

eu fiquei com muito medo e optei pelo berçario desde sempre. Fico muito mais sossegada.

Dany disse...

Estou chocada.

Lia disse...

E, por via das dúvidas, não manter bebidas em casa.

Renata disse...

Eu tb acho que tem muita gente boa por aqui, com vontade de trabalhar, carinhosa com as crianças, mas confesso que morro de medo de babá! Ai que horror!

dê uma olhadinha no meu último post e veja o que acha!!!
beijinhos

Alê disse...

Isso acontece tanto.... Tem mesmo que ficar muito ligada!
Minha filha teve uma babá até 2 anos e meio.Nunca tive problemas.Até pq minha empregada que está comigo há 9 anos, sempre ficou de olho.
Acho que dei sorte.E também sempre estive ligada em tudo.
Enfim....valeu como alerta mesmo para as pessoas que tem babá em casa!
Ps- uma curiosidade... a babá chegou a levar a criança embora da escola? Não, né...

Paty disse...

Olha, a primeira baba que eu ia contratar aqui, quando viu o background checking que eu faria, me falou que tinha sido pega dirigindo e bebendo uma vez, ha 6 anos atras. quando chegou o relatorio, ela foi pega vaaaarias vezes. Contratei outra, claro. Mas e por isto que os USD300 que gastei, foram os mais bem gastos. Vc revira todo o passado, carteira de motorista e ainda faz teste de drogas .... isto nao tem no Brasil infelizmente. e por isto que tem que ter muuuuito cuidado...
A minha antiga baba, que eu adorei, nao esta gostando muito do emprego... se voce precisar, me fale. bjs

Claudia disse...

Só eu tô chocada com o salário? Acho que vou virar babá!