terça-feira, 15 de setembro de 2009

Obrigado, desculpa, por favor

Como dizem os manuais da boa educação e das boas maneiras, essas três palavrinhas - obrigado, desculpa e por favor - devem ser ensinadas às crianças desde sempre. E também o "com licença". E eu faço a minha parte com a Luísa, sempre reforçando.
Mas olha que dá um trabalho... tem horas em que eu não consigo arrancar um "desculpa" dela de jeito nenhum. Outro dia eu a coloquei de castigo (sentada no sofá da sala, sozinha, TV desligada) porque ela deu um tapa na babá. Depois de uns dois minutinhos (e ela chorando, lógico) voltei lá, expliquei que ela estava saindo do castigo, reforcei o motivo e falei: "agora vai lá pedir desculpas pra Vera". Ela levantou, foi até lá, ficou encostada na babá mas não pedia desculpas. De jeito nenhum. "Se você não pedir desculpas, vai voltar pro castigo". Acredita que tive que botar de castigo de novo? Ficou lá, sentadinha, esguelando. Depois acabou pedindo desculpas. Sei que tenho que ser firme nessas horas, pra que ela entenda que determinadas atitudes têm consequências.
Mas na verdade não posso reclamar, não, porque a Luísa é uma menina boazinha e são raras as vezes em que eu preciso ser assim tão rigorosa. Ela agora já fala "agada" (obrigada) espontaneamente quando recebe alguma coisa, é bem fofa.
Às vezes fica até engraçado, porque ela troca as bolas. Ontem ela arranhou a minha boca sem querer, e eu falei:
- Filha, como é que se diz quando a gente machuca alguém, mesmo que seja sem querer?
- Agada
- Não, filha, não é obrigada, é desculpa
- Ah, acupa.

13 comentários:

Lu Terceiro disse...

que fofa :D bjs, saudades de passar por aqui!

Adriana Stock disse...

Ai, ela é muito linda, Rô!

Bolsas disse...

Luísa sempre muito fofa !!!!!
é verdade ás vezes temos que ser firmes com os pekenos....
beijos

Daniella PSF disse...

ai que delicía... imagino a carinha dela dizendo...

Lia disse...

Que graça. Mas esse negócio de não querer pedir desculpas parece mais vergonha que falta de arrependimento... Acho que você agiu super bem, pra ela já ir se acostumando a fazer essa coisa tão difícil que é se desculpar.

Dani disse...

Reitero o que todo mundo falou aí em cima: fofa demais essa Luísa!
Beijo nas duas!
Dani

Fe disse...

ahahahaaa...me coço toda só de ficar imaginando a minha Luísa falando sabe....mas tá saindo tão aos poucos a fala dela...ai que linda sua Lulu falando agada...linda !!!!

Thaís Rosa disse...

fofa!! mas a lia falou uma verdade, não é fácil pedir desculpas... já já ela aprende! estou começandpo a reforçar o obrigado com o Caio agora... mas ainda não saiu nada! hehehe! é tão bonitinho ver eles tão pequenininhos falando obrigada, por favor...
beijo

dannah5 disse...

Que linda!
Olha, eu ate acho facil pra eles aprenderem a pedir desculpas, depois de um tempo a gente repetindo eles fazem ja no automatico, aprendem que tem palavrinhas chave, o q me deixa as vezes cabrera eh quando a desculpa parece sair o tempo todo, ate quando faz algo de proposito. Eu to nessa fase, ela faz cara de arrependida, pede desculpas e depois de um tempo faz novamente.

Quando eles aprendem a dissimular eh q o bicho pega!hehe

beijocas

Letícia Volponi disse...

Roberta, nossas filhas estão em plena sintonia. Há dias estou enrolando para escrever um post sobre isso, também motivada pelo episódio da pracinha. Em casa, o que é dificil de sair daquela boquinha é o "obrigada", nem sempre ela diz, mas a gente continua insistindo. E ela troca o "por favor" por "com licença"...

Renata disse...

Que fofa trocando tudo.rsrsrs!
Quanto ao episódio com a babá, acho que vc agiu direitinho, temos que ser firmes pra que uma hora "desculpas" saia naturalmente, né? E eu só fico imaginando como deve ser difícil conseguir deixar de castigo e ver a pequenininha chorando tanto...tem horas que é tão difícil, né?
beijinhos, Re

Roberta disse...

É difícil sim, Rê, não vou dizer que não é. Fico com o coração apertado, andando pra lá e pra cá enquanto espero um tempinho pra tirá-la do castigo. Mas, como eu não quero criar um monstrinho, meu coração me diz que agindo assim, educando, é que eu mostro o amor que eu sinto por ela.

Alê disse...

que fofa!