quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Fazendo amigos e influenciando pessoas

É incrível como a capacidade de fazer amizades se multiplica depois da gravidez e do nascimento dos filhos. Esses dias estava conversando com as amigas sobre isso: pergunta se alguém vinha puxar papo comigo e com o Luiz na padaria, domingo de manhã, quando éramos só os dois? Nunquinha. Na gravidez, já começou a aproximação. Depois do nascimento da Luísa, disparou. Agora temos os amigos da padaria, da pracinha, do clube, do blog (até isso, olha só!!)... tudo por causa da Luísa. As pessoas simplesmente chegam. Às vezes é o adulto que vem mexer com a Luísa ou fazer perguntas do tipo: "que idade tem?" "qual é o nome dela?" etc, e às vezes são as próprias crianças que se aproximam pra brincar com a Luísa e, logo na sequência, os pais que vêm para buscá-las entram no papo também. E nessas você conhece gente besta, que é só ignorar, e também muita gente super bacana.
Imagino que deve haver mães e pais que não gostam desse papo furado e devem se irritar horrores com esses "aproachs", mas eu, como sou das bem conversadeiras, confesso que a-d-o-r-o isso tudo. E o Luiz não admite, fala que eu é que fico puxando papo com todo mundo (pagando a língua, porque quando eu era adolescente eu reclamava que a minha mãe puxava conversa até no caixa do supermercado), mas ele também adora.

13 comentários:

Isa disse...

Se a gente tem blog pra falar de filho, imagina pessoalmente!!! ahahahaha
bjo Isa

Nathalia E. Strutzel Pádua disse...

me identifiquei com esse post, você sabe que um dia desses estava no parque com o Guilherme, e claro eu e mais um monte de mamães com suas crianças também ! e me peguei conversando com outra mãe, adooooorooo, e as perguntas foram essas aí ! rs
mas é muito bom.

bjs

Paloma disse...

Eu confesso que fiquei mais receptiva a essas novas amizades depois do nascimento da Isa. Não tem um lugar em que não falem com ela, puxem papo. Mas eu gosto mesmo é quando as outras crianças se aproximam. Daí, eu me derreto. bjo
Paloma e Isa

Adriana disse...

Oi!
Adorei os posts sobre o desfralde.
Vou esperar o início do verão, moro no RS e por aqui aida tem feito dias bem frios, e vou deixar minha guria sem fraldas, já estou preparada para lavar umas 15 bermudinhas por dia!

Tenho o blogger da minha pequena, que é privado! que conhece-la? deixe seu mail que dou o acesso pra vcs!

bjs

Adriana Stock disse...

Como eu sinto falta disso, Rô. Que saudade do Brasil!!!

Paloma, a mãe disse...

A gente também conheceu e tem conhecido muita gente legal assim. Eu adoro e Bernardo faz como o luiz, finge que não tá nem aí,mas gosta também.
Aqui em Brasília, como ele ficou mais tempo com ela nos parques, já conheceu bastante gente assim e vinha comentar comigo à noite, todo animado.

Bia Mello disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bia Mello disse...

Adorei o post, porque sempre fui muito comunicativa! Mas percebo que a gravidez quebra mesmo barreiras.
Digo isso pois moro nos USA e aqui as pessoas sao bem mais reservadas que no Brasil, dificilmente puxam conversa com alguem que não conhecem. Mas já percebi que, estando grávida isso muda muito! Ontem mesmo estava na fila de uma loja e uma senhora me perguntou de quanto tempo eu estou. E ainda disse: Nossa, daqui eu consigo ve-lo se mexer na sua barriga!!! What a big boy!!! :)
Adorei!
Beijinhos a todas,

Daniella PSF disse...

costumava dizer que quando a gente engravida a barriga vira pública né... todo mundo quer passar a mão.. rsrsrs
e depois que o filho nasce é assim mesmo, vem gente de todo lugar pra puxar papo, confesso que também adoro..

Anônimo disse...

Já que o tema do post é aproximação,tomei coragem e resolvi me aproximar..hehehe Conheci seu blog por acaso e venho acompanhando as estórias da fofa Luísa. Moro no Rio e sou mãe da Laura que dia 10 completa 7 meses.Tenho aprendido bastante com vcs e me divertido mais ainda! Prometo participar mais e deixar o voyerismo de lado! Parabéns pelo blog! bjo Fabi

Flavia disse...

super certo!
eu não faço parte do time das super sociaveis, mas depois do João, uma vez ou outra eu arrisco puxar papo com outras mães.
E adoro falar do filhote... Rá!
bjo

Patricia disse...

Nossa, acho que em casa é o contrário....É o pai quem virou amigo do universo depois que Mariana nasceu. Ele, que já era sociável nível máximo, agora então, ninguém segura. Eu, que sou bem mais reservada (leia-se, tímida!), fico só do lado, olhando para pai e filha, desinibidões de nascença!

Roberta disse...

Ai, me divirto com esses comentários. Bom é ver que eu não sou a única louca por aí rsrs.
E Fabi, seja muito bem-vinda! Pode escrever bastante!
Beijos