quinta-feira, 18 de junho de 2009

Mamando no peito alheio?

Uma amiga (vou omitir os nomes para preservar a vida do tal marido traidor rsrs) me contou uma história que quase me matou de rir, mas se estivesse no lugar dela eu acho que matava meu marido (e também a tal mulherzinha atrevida, talvez?). Não tenho palavras! Vou reproduzir aqui do jeito que ela contou (e me autorizou a reproduzir) para ficar mais fiel, e vocês por favor façam seus comentários. O Guy da história é o filho dela, de 3 meses.

“Meu marido saiu com o Guy e vi que eles estavam demorando muito, porque ele nunca fica muito tempo sem mamar. Quando chegam, o Guy estava tranquilão, dormindo no colo.
Daí eu perguntei: “ele não chorou de fome? Tá dormindo, como?”
E ele me disse que eles estavam em um projeto cultural lá da cidade. E aí seguiu: ‘Ele (Guy) chorou, mas tinha uma menina lá com um filho de 8 meses e ela disse que tinha leite e podia dar pra ele’. O patzo achou suuuuuper normal, o Guy mamou um peito e meio nela e dormiu.
E ele veio depois todo orgulhoso me contar... e eu.... fiz greve de sexo. Ele e meu irmão ficaram dizendo que eu é que era tonta, tava exagerando. Eu fiquei pensando, tentando achar normal e nada demais, mas não consegui.... fiquei com ciúme mesmo. Era melhor o meu marido ter me traído do que o Guy. Era só ele ter trazido pra casa, uai.... Para o meu marido foi tudo muito simples: tá com fome, vai e come... resolvido... nós, mães, é que temos que ter nossas crises filosóficas, neuróticas e histéricas... Meu marido é baiano, e o baiano é primitivo, preocupa-se em resolver as necessidades básicas do corpo: comer, beber, trepar e descansar...”

14 comentários:

Fe disse...

hahahahahahahhahahaa..é engraçado demais, mas eu ficaria muuuuuuuuuuito brava, putíssima, se meu marido fizesse isso "comigo".......

Roberta disse...

Se eu já tinha ciúme da babá, que no máximo carregava no colo, imagina o que eu sentiria se minha filha tivesse mamado no peito de outra mulher por uma razão assim... tão banal. É incrível a visão prática que os homens em geral têm dessas coisas, como a própria mãe do Guy fala. Certamente o coitado do marido achou que ela iria ficar orgulhosa por ele ter resolvido o problema...
Eu acho que, além de brigar com o marido, eu teria um ódio mortal dessa mulher (será que eu sou uma pessoa descontrolada? Preciso de terapia? rsrs)

Cissa disse...

"Será que eu sou uma pessoa descontrolada? Preciso de terapia? rsrs". Acho que sim, mas como não sou mãe, posso acabar pagando a minha língua.
Bem, em todo caso, já deixo o Stuart avisado que se um dia ele sair com o bebê que a gente ainda vai ter e a criança estiver com fome e eu não estiver por perto para amamentar, e, se por um acaso, tiver uma mãe de bebê pequeno, que tenha leite e ofereça amamentar o nosso filho, para ele NÃO aceitar.
Obrigada pela dica. Pelo menos mitigo o risco de passar por isso no futuro! :)

Lu Terceiro disse...

Oi Roberta! Ainda por cima, sem querer ser muito neuras, mas já sendo, eu sei :P , tem o lado da saúde também, né. Mamar no peito/leite alheio, só se tiver certeza da "procedência", já que infelizmente algumas doenças podem passar por meio da amamentação. Beijos da mãe neurinhas :)

Roberta disse...

Pois é, Lu, nem tinha entrado nesse mérito, mas você tem razão. Minha mãe, quando teve gêmeos, tinha tanto leite que foi "ama-de-leite" de duas crianças cujas mães não podiam amamentar. Hoje em dia isso é proibido nos hospitais, e quem quer doar ou precisa receber leite faz isso por meio dos bancos de leite. Coitado do marido dessa amiga, deve ter sido massacrado. :-)

disse...

Bem eu ficaria irada. Não por ciúmes da criança não, mas pela falta de discernimento do companheiro. Ele nunca ouviu dizer que quem vê cara não vê coração? Através do leite materno se transmitem zilhões de doenças, inclusive HIV né? Portanto, pau no marido "resolve tudo" rsrs.
Boa história.
PS: Eu não tive leite nos 2 primeiros dias de nascimento da Maria, várias meninas na maternidade se ofereceram pra amamentar, mas eu sou tão louca com esss coisas que até no banco de leite eu fiquei bolada de ir. Preferi que me ensinassem direitinho o processo de amamentação...

mimi disse...

Gente... essa estória é D+... eu não consigo nem pensar o que eu seria capaz de fazer com meu marido nessa situação...
Só rindo mesmo.... bjs

Kuka disse...

Genteeee!!!! aqui quem fala é a vítima, eu tinha ficado com ciume e coisa e tal, mas realmente, a questao é muito mais seria mesmo. Também nao tinha pensado por este lado. Bem, quando ele me contou disse que a menina é saudavel,mas como diz o velho deitado, quem ve cara nao ve que horas são...rsrsr...e meu bem, tenho certeza que nao vai mais fazer isso...ainda mais depois da polêmica....

Nanda disse...

Gente, tô com dó do Breno agora. Tenho certeza de que el fez isso com uma enroem intenção de ajudar o Guyzinho. Mas aprenda Breno, leva o bebê de volta pra casa da próxima vez !!! Suuper beijo

Roberta disse...

Bom, Kuka, já que você se manifestou, fala pro seu marido que não é nada pessoal! Tenho certeza que ele agiu na maior das boas intenções. Mas é que só as mães são capazes de entender essas coisas. Só pedi pra contar essa história aqui porque ela é muito engraçada!!

Dani disse...

Olha, Rô, se fosse comigo, confesso que também não iria gstar nadinha desta história de mamar em peito alheio! E, cá entre nós: que mãe oferecida esta, heim! Eu...acho que não ofereceria meu peito a outro bebê...sei lá...tem o lance da saúde, higiene...
A propósito continue escrevendo sobre a viagem...to adorando! Beijo! Dani

Fe disse...

Voltando a história do peito alheio, há algum tempo atrás levei a Luísa ao portinho para tomar vacina e ela quis "tetê" lá mesmo. Tinha mais crianças no lugar e uma em especial, devia ter uns 4 anos, ficou olhando. Mas tava olhando normal, sem aqueles olhinhos de peixe faminto...Meu marido, Lucas, vira pra mim e diz: "Nanda, será que ela (a menina de 4 anos) não tá com vontade? Oferece?" Acreidta? claro que não? Imagina eu dando mama pra uma criança de 4 anos, que não é nem minha? Éca !!! Falou isso porque não era com ele....

Roberta disse...

Fora que uma criança de 4 anos pode matar a fome com qualquer outra coisa, né? Além de ainda mamar no peito nessa idade, pegar uma boquinha na comida dos outros seria demais, né? haha!!

kinho disse...

Quanta Neura, Ele resolveu que a CRIANÇA não podia ficar com fome. E a questão prática foi resolvida. Ou queriam que fosse Ele, ao invés da Criança?: