segunda-feira, 25 de maio de 2009

Mala de mala de viagem

Quem falou (...será que alguém falou? ou eu supunha isso porque as roupas são pequenininhas?) que as coisinhas do bebê cabem facilmente em uma mala pequena de viagem? Ok, até cabem, desde que você espalhe tudo o que ficou sobrando (especialmente as fraldas) em outras sacolas de mão, na sua mala e na do marido ou na de quem mais estiver viajando junto.
Quando estava grávida, comprei um daqueles conjuntos de mala de maternidade + sacolas de mão, lindos, bordados e molinhos (tudo o que é de bebê precisa ser assim delicadinho, não?...). Para a maternidade foi ótimo, mas cada vez que eu viajava, tinha que lotar as três malas da Luísa e acabava levando um monte de tralhas na mão em vez de uma coisa só. Fora o berço desmontável, o carrinho e as minhas próprias coisas. Além disso, descobri logo que aquela malinha fofa não dava pra levar em viagem de avião, porque era delicada demais para despachar.
Então fomos lá, eu e o pai, comprar outra mala, desta vez mais reforçada. Compramos uma vermelha linda, da Petit Bebê. Eu queria mala com rodinha, mas meu marido insistiu para levarmos aquela mesmo, bem da linha mala sem alça (a mala ou o marido? haha, deixa ele ler esse post que ele me mata). Apesar de reforçada, essa continuou pecando na questão do tamanho. Só consigo colocar tudo nela se for viagem bate-e-volta de fim de semana. Quando eu digo tudo, me refiro apenas às roupas, sapatos e fraldas, porque brinquedos, mamadeira e lanchinhos continuam de fora. Ou seja, continuo levando aquele monte de tralhas.
Acho que vou me render e deixar de lado essa história de que bebê tem que ter mala para bebê, toda bonitinha e delicadinha. Vou começar colocar as coisas da Luísa em uma das minhas malonas pretas e está bom demais. Cabe tudo num lugar só e a mala não suja na esteira do aeroporto. Lembrando que uma sacola de mão com as emergências - kit fralda + 1 troca de roupa + comidinhas + chupeta + brinquedinho - será sempre necessária, a não ser que caiba tudo na sua própria bolsa.
Podem até achar que sou exagerada, mas descobri que não dá para economizar na mala do bebê. Especialmente depois que começam a engatinhar/andar e comem comida (e quando se metem a comer sozinhos, então?), porque você perde o controle de quantas trocas terá de fazer por dia. Fora a preocupação com o tempo: e se esfria muito? E se der praia ou piscina? (aí tem toda a parafernália de bóia, roupao, baldinhos etc). Outro dia quis ser econômica na mala e deu tudo errado.
E o pior de tudo é quando, no meio da viagem, você solta: "puta merda, esqueci de pegar chupeta". Naquele instante, sua filha ouve a palavra mágica e começa a chorar: "Pepê, mamãe, pepêeeeeee...."
Porque SIM, sempre vai faltar alguma coisa.

Nenhum comentário: