quarta-feira, 7 de maio de 2008

Ciúmes da babá

Tive sim, confesso. Eu contratei uma babá enquanto ainda estava grávida mas combinei que ela começaria só depois de 15 dias a partir do nascimento da Luísa, quando minha mãe fosse embora. Mas gente, tenho que admitir. Eu não suportava ver a babá carregando a Luísa no colo. Quando a neném chorava e eu corria para atender, ficava louca da vida quando via que a babá já estava lá. Pegava a Luísa na hora. Não sei se é algum tipo de medo que o bebê crie amor por ela igual ao que ele sente por mim, sei lá. O fato é que, por um bom tempo, a babá só cuidava do periférico (roupas, minha comida, quarto) e eu cuidava da Luísa. Ela só cuidava da neném quando eu saía de casa e deixava a Lulu com ela.
Tinha também o fato de meu santo não bater muito com o dela, porque ela emburrava toda hora e eu não suportava aquelas caras feias. Depois troquei de babá e, também por já estar mais segura de tudo, as coisas se normalizaram. Hoje a Luísa (com 8 meses) adora a babá e eu acho ótimo (como eu optei por trabalhar em casa, não corro o risco de a Luísa chamá-la de mãe, então isso também ajuda na questão do ciúme... hehe).

Um comentário:

Anônimo disse...

Eu trabalho fora de casa, meu filho fica o dia todo com a babá. Ano que vem, vou manter a babá, mas ele vai entrar na escolinha 4 horas por dia. Tenho que confessar que tenho ciúmes da babá, mas se ele chamar a dita cuja de mãe, eu demito na hora...